EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Visão geral dos nervos cranianos - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.201.153 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Visão geral dos nervos cranianos

Nervos facial - vista lateral direita

Sabe quando alguém menciona os nervos cranianos e você revira os olhos levando-os em direção ao seu mesencéfalo?  A gente sabe que os pares cranianos sempre foram um tema desafiador entre os estudantes de anatomia. E é por isso que estamos aqui, para facilitar a sua vida.

Saber a anatomia dos nervos cranianos é essencial para quase toda especialidade médica, já que eles controlam muitas estruturas do corpo, como os seus olhos quando você revira eles por estar irritado com alguma coisa. Então vamos quebrar este estigma de que eles são difíceis de estudar e venha com a gente aprender isto de uma vez por todas.

Anatomia

Nervos cranianos são os 12 pares de nervos do sistema nervoso periférico que emergem de forames (buracos) e fissuras cranianas. Eles são ordenados numericamente (1-12) de acordo com seu local de saída no crânio (de rostral para caudal).  Todos os pares de nervos cranianos originam-se de núcleos no cérebro. Dois deles originam-se do prosencéfalo (olfatório [olfativo] e óptico), um tem o núcleo na medula espinhal (acessório), enquanto os restantes se originam do tronco cerebral.  Os pares cranianos fazem o suprimento sensitivo e motor da cabeça e do pescoço, controlando a atividade desta região. Somente o nervo vago se estende além do pescoço, para inervar as vísceras torácicas e abdominais.

Diagrama dos nervos cranianos

A gente sabe que quando você lê os livros texto, você encontra termos como aferente, eferente, misto, geral, visceral, especial, somático etc., se referindo às modalidades dos nervos cranianos. Estes termos frequentemente nos deixam confusos, então vamos explicá-los antes de prosseguirmos.

A função de um nervo é transmitir informação sensitiva e/ou motora entre o corpo e o cérebro. Se a informação vai do cérebro para a periferia, o nervo é eferente (motor). Se ela vai da periferia para o cérebro, então ele é um nervo aferente (sensitivo). Nervos que carregam informações em ambos os sentidos são nervos mistos. Ao contrário dos nervos espinhais, que são sempre mistos, os pares de nervos cranianos podem ser puramente motores, puramente sensoriais ou mistos.

Agora vamos entender os seguintes termos: especial, geral, somático e visceral. A informação é classificada como especial se ela se origina dos nossos sentidos especiais (visão, olfato, paladar, tato e audição), enquanto geral descreve as informações que vêm de ou vão para qualquer outro lugar. A informação transmitida por um nervo é dita somática se ela vai de/para a pele e músculos esqueléticos e visceral se ela vai de/para nossos órgãos internos.

Combinar estas categorias nos permite definir os componentes funcionais de um nervo. Por exemplo, se as fibras nervosas transmitem exclusivamente informações sensoriais especiais, o nervo é chamado de nervo especial aferente. Se o nervo levar outros tipos de informações sensoriais - como toque, pressão, dor, temperatura - ele é um nervo geral aferente. Se o nervo transporta informações para o músculo liso, músculo cardíaco ou glândulas, ele é um nervo visceral eferente. Se ele transporta informações para a pele ou músculos esqueléticos, ele é um nervo somático eferente. Como o termo visceral é frequentemente um sinônimo para (sistema nervoso) autonômico, note que nervos gerais viscerais contêm fibras nervosas autonômicas de/para os órgãos alvo. Às vezes você vai ver nervos especiais viscerais eferentes descritos como “eferentes branquiais”, o que está relacionado com a origem embriológica dessas fibras nervosas. Informações de movimento e posição (propriocepção) de estruturas somáticas como músculos, tendões e articulações são transmitidas por nervos gerais somáticos aferentes. Por fim, note que não existe a classificação especial somático eferente.  

Então, para concluir, considerando as possíveis direções e modalidades, os pares cranianos podem ser:

  • Aferente somático geral (ASG)

  • Eferente somático geral (ESG)

  • Aferente visceral geral (AVG)

  • Eferente visceral geral (EVG)

  • Aferente somático especial (ASE)

  • Aferente visceral especial (AVE)

  • Eferente visceral especial (EVE)

Aqui está um pacote de iniciantes em nervos cranianos, que inclui artigo detalhado, tutoriais em vídeo e testes.

Lista dos 12 pares de nervos cranianos

Para nos familiarizarmos com o que estamos estudando, vamos ver uma lista de todos esses pares cranianos em uma só tabela.

Lista de nervos cranianos
1.º nervo craniano Nervo olfatório (olfativo) (NC I) - sensorial
2.º nervo craniano Nervo óptico (NC II) - sensorial
3.º nervo craniano Nervo oculomotor (NC III) - motor
4.º nervo craniano Nervo troclear (NC IV) - motor
5.º nervo craniano Nervo trigêmeo (NC V) - misto
6.º nervo craniano Nervo abducente (NC VI) - motor
7.º nervo craniano Nervo facial (NC XII) - misto
8.º nervo craniano Nervo vestibulococlear (NC VIII) - sensorial
9.º nervo craniano Nervo vestibulococlear (NC VIII) - sensorial
10.º nervo craniano Nervo vago (NC X) - misto
11.º nervo craniano Nervo (espinhal) acessório (NC XI) - motor
12.º nervo craniano Nervo hipoglosso (NC XII) - motor

Mnemônico dos nervos cranianos

Se nós pegarmos a primeira letra de cada nervo, podemos construir um mnemônico para nos ajudar a lembrar os nomes dos pares cranianos. “O Objeto de Ouro Tinha Teias de Aranha Fazendo a Vassoura Girar Varrendo o Armário Horripilante”. Lembre-se desta frase e você sempre recordará os pares de nervos cranianos em sua ordem numérica.  

Além disso, para lembrarmos se um nervo é sensorial, motor ou os dois, na sua ordem numérica, podemos usar a seguinte frase: Samanta Saiu Molhada do Mercado às Duas da Manhã Dizendo: “Sonhe Desejando a Madrugada Maldita”.

Agora que a gente aprendeu estes truques para conseguir lembrar os nervos cranianos e suas modalidades, vamos nos introduzir na anatomia de cada um deles.

Nervo olfatório (NC I)

O 1.º nervo craniano é um nervo aferente somático especial que inerva a mucosa olfatória (olfativa) na cavidade nasal. Ele transporta a informação do cheiro até o cérebro. Note que existe alguma discussão acerca da modalidade do nervo olfatório (olfativo). Alguns autores classificam-no como ASE, outros como AVE. Em todo o caso, você estará sempre correto se o considerar simplesmente um nervo aferente especial.

Fatos importantes sobre o nervo olfatório (olfativo) (NC I)
Tipo ASE/AVE
Núcleo Nenhum
Campo de inervação Sensorial: Mucosa nasal

Os vários ramos do nervo olfatório (olfativo), chamados de fila olfatória (olfativa), saem da cavidade nasal através da placa cribiforme (crivosa) do osso etmoide. Eles terminam no bulbo olfatório (bolbo olfativo), que então se continua como trato olfatório (fita olfativa). Dentro do cérebro, as fibras do trato olfatório (fita olfativa) se dispersam e acabam no córtex olfatório (córtex piriforme, amígdala, córtex entorrinal).

O nervo olfatório (olfativo) não tem um núcleo específico para si. Ao contrário, seus corpos celulares são encontrados na área olfatória (olfativa) da mucosa nasal, que cobre o teto da cavidade nasal.

Nervo óptico (NC II)

O 2.º nervo craniano é um nervo aferente somático especial que inerva a retina do olho e traz informação visual ao cérebro.

Fatos importantes sobre o nervo óptico (NC II)
Tipo ASE
Núcleo Nenhum
Campo de inervação Sensorial: Retina

As fibras neurais se originam dos fotorreceptores da retina. Elas convergem até o disco óptico, formando o nervo óptico. O nervo óptico deixa a órbita através do canal óptico. No assoalho da fossa média do crânio, a parte nasal de cada nervo cruza para o lado oposto, formando o quiasma óptico. As fibras nervosas então se continuam como as duas vias ópticas. O NC II também não possui seu próprio núcleo, mas seus corpos celulares estão localizados na retina. O nervo óptico faz sinapse com os centros relacionados à visão no cérebro.

Está a fim de aprender tudo sobre o nervo óptico? Dá uma olhada neste material de estudo que preparamos para você.

Nervo oculomotor (NC III)

O 3.° nervo craniano é um nervo eferente motor tanto somático quanto visceral. Isto quer dizer que ele tem dois núcleos e contém dois tipos de fibras eferentes. Como seu nome sugere, o nervo oculomotor é o principal nervo motor que inerva o olho. Ele se origina do mesencéfalo e deixa o crânio através da fissura orbital (orbitária) superior, para entrar na órbita, onde ele vai permitir a movimentação dos olhos, a constrição da pupila (miose) e a acomodação do cristalino.

Fatores importantes sobre o nervo oculomotor (NC III)
Tipo ESG, EVG (parassimpático)
Núcleos

Núcleo do nervo oculomotor (ESG)

Núcleos acessórios do nervo oculomotor (EVG)

Campo de inervação Motor: todos os músculos extraoculares, exceto o reto lateral e o oblíquo superior (ESG); músculo ciliar, músculo esfíncter da pupila (EVG)

Solidifique o seu conhecimento sobre o nervo oculomotor com este artigo, videoaula e teste.

Nervo troclear (NC IV)

O 4.° nervo craniano é um nervo motor somático geral. Ele se origina do mesencéfalo e entra na órbita através da fissura orbital (orbitária) superior. O troclear inerva um músculo ocular, tendo função, portanto, na movimentação ocular.

Fatos importantes sobre o nervo troclear (NC IV)
Tipo ESG
Núcleo Núcleo do nervo troclear
Campo de inervação Motor: músculo oblíquo superior

Para te ajudar um pouco sobre a anatomia do nervo troclear...

Nervo trigêmeo (NC V)

O 5.° nervo craniano é um nervo misto, que contém tanto fibras viscerais especiais, quanto fibras somáticas gerais. Estas fibras se originam do tronco cerebral, formando o gânglio trigeminal, próximo ao ápice da parte petrosa do osso temporal. O nervo trigêmeo se divide em três ramos: nervo oftálmico (NC V1), nervo maxilar (NC V2) e nervo mandibular (NC V3). Cada um deles deixa o crânio por uma abertura diferente: o oftálmico sai através da fissura orbital (orbitária) superior, o maxilar através do forame (buraco) redondo e o mandibular se exterioriza através do forame (buraco) oval.

Fatos importantes sobre o nervo trigêmeo (NC V)
Tipo EVE, ASG
Núcleos

Núcleo motor do nervo trigêmeo (EVE)

Núcleo sensorial principal do nervo trigêmeo (ASG)

Núcleo espinhal do nervo trigêmeo (ASG)

Núcleo mesencefálico do nervo trigêmeo (ASG)

Divisões

Nervo oftálmico (NC V1)

Nervo maxilar (NC V2)

Nervo mandibular (NC V3)

Campo de inervação

Motor: músculos da mastigação, milohióideo, ventre anterior do digástrico, músculo tensor do tímpano (EVE)

Sensorial: Couro cabeludo, face, órbita, seios paranasais, dois terços anteriores da língua (ASG)

Todos os três ramos do nervo trigêmeo inervam sensorialmente a pele da face. As áreas de inervação cutânea (dermátomos) são as seguintes: nervo oftálmico (dermátomo NC V1) supre o couro cabeludo, órbita e nariz; o nervo maxilar (dermátomo NV V2) supre a região zigomática e lábio superior enquanto o nervo mandibular (dermátomo NC V3) inerva a pele da boca, lábio inferior e pele da região mandibular.

Para aprender tudo sobre o nervo trigêmeo e suas divisões, recomendamos que você veja os seguintes materiais:

Nervo abducente (NC VI)

O 6.° nervo craniano é um nervo eferente somático geral, que inerva o músculo reto lateral (extraocular). Ele se origina do tronco encefálico e sai do crânio através da fissura orbital (orbitária) superior.

Fatores importantes sobre o nervo abducente (NC VI)
Tipo ESG
Núcleo Núcleo do nervo abducente
Campo de inervação Motor: músculo reto lateral

Apesar de poder parecer que ele é pouco relevante, o nervo abducente é muito importante para o movimento ocular. Pergunte a qualquer um com estrabismo.

Aprenda tudo sobre este nervo aqui!

Nervo facial (NC VII)

O 7.° nervo é um nervo multimodal, que contém tanto fibras gerais como especiais. Ele se origina do tronco encefálico como duas divisões separadas: uma raiz primária maior carregando fibras motoras e um nervo intermediário menor carregando fibras sensoriais e parassimpáticas. As duas divisões deixam a cavidade craniana através do meato acústico interno e depois seguem pelo canal facial. Aqui elas se juntam, formando o nervo facial propriamente dito, e juntas, deixam o crânio através do forame (buraco) estilomastoideo. Quando o nervo facial chega até a face, ele tem várias funções, como expressão facial, secreção de glândulas e sensação de tato.

Fatos importantes sobre o nervo facial (NC VII)
Tipo EVG (parassimpático), EVE, AVG, AVE, ASG
Núcleos

Núcleo salivatório superior (EVG)

Núcleo motor do nervo facial (EVE)

Núcleos do trato solitário (AVG, AVE)

Núcleo espinhal do nervo trigêmeo (ASG)

Campo de inervação

Sensorial: ouvido médio, cavidade nasal, palato mole (AVG); dois terços anteriores da língua (AVE); meato acústico externo (ASG)

Motor: lacrimal, submandibular, sublingual, basal, glândulas palatinas (EVG); músculos da mímica facial (EVE)

Mesmo que o estudo dele pareça não ter mais fim, o nervo facial não é tão difícil de aprender, se você tiver um bom método de estudo. Oferecemos a você os nossos artigos, videoaulas e testes.

Nervo vestibulococlear (NC VIII)

O 8.° nervo craniano é um nervo aferente somático especial. Ele é formado de duas partes: o nervo vestibular e o nervo coclear. Eles fazem sinapse com seus respectivos núcleos no tronco encefálico. O componente coclear permite a audição, enquanto que a parte vestibular medeia o equilíbrio e o movimento. No fundo do meato acústico interno, as duas partes se unem e entram no crânio através do meato acústico interno.

Fatos importantes sobre o nervo vestibulococlear (NC VIII)
Tipo ASE
Núcleos

Núcleos vestibulares

Núcleos cocleares dorsal e ventral

Campo de inervação Sensorial: órgão espiral (de Corti), mácula do utrículo, mácula do sáculo, ampolas dos canais semicirculares (ESA)

Para que você não se confunda, note que a terminologia dos núcleos cocleares ventral e dorsal varia. Às vezes, você vai encontrar eles como núcleos cocleares anterior e posterior e em outros lugares agrupados como núcleos auditivos.

Transforme-se em um mestre em anatomia do nervo vestibulococlear com nosso amigável artigo, divertida videoaula e teste interessante.

Nervo glossofaríngeo (NC IX)

O 9.° nervo craniano é outro nervo multimodal. Ele se origina do tronco encefálico e deixa o crânio através do forame (buraco) jugular. Ele permite a deglutição, salivação e sensação gustativa, assim como sensações viscerais e gerais da cavidade oral.

Fatos importantes sobre o nervo glossofaríngeo (NC IX)
Tipo EVE, EVG (parassimpático), AVE, AVG, ASG
Núcleos

Núcleo ambíguo (EVE, AVG)

Núcleo salivatório inferior (EVG)

Núcleo do trato solitário (AVE, AVG)

Núcleo espinhal do nervo trigêmeo (ASG)

Campo de inervação

Motor: estilofaríngeo e constrictores da faringe (EVE); glândula parótida (EVG)

Sensorial: terço posterior da língua (AVE), ouvido médio, faringe, epiglote (AVG); terço posterior da língua, palato mole (ASG)

Aumente seu conhecimento sobre o nervo glossofaríngeo com os recursos do Kenhub.

Nervo vago (NC X)

O 10.° nervo craniano também é um nervo multimodal, que se origina de múltiplos nervos no tronco encefálico e deixa o crânio através do forame (buraco) jugular. Ele é o nervo craniano mais longo e o único a deixar a região da cabeça e do pescoço. Ele vai até as cavidades torácica e abdominal, levando inervação parassimpática para os órgãos viscerais.

Fatos importantes sobre o nervo vago (NC X)
Tipo EVG (parassimpático), EVE, AVE, AVG, ASG
Núcleos

Núcleo posterior do nervo vago (núcleo motor dorsal) (EVG)

Núcleo ambíguo (EVE)

Núcleos do trato solitário (AVE, AVG)

Núcleo espinhal do nervo trigêmeo (ASG)

Campo de inervação

Motor: vísceras torácicas e abdominais (EVG); músculos laríngeos e faríngeos (EVE)

Sensorial: epiglote (AVE); vísceras torácicas e abdominais, corpo carotídeo (AVG); meato acústico externo, pele retroauricular, parte posterior das meninges (ASG)

O nervo vago tem dois gânglios, chamados de gânglio superior do nervo vago e gânglio inferior do nervo vago (gânglio nodoso). O primeiro fornece fibras para a função sensorial geral, enquanto o último dá origem a fibras sensoriais especiais e viscerais. O nervo vago controla um grande número de funções, incluindo secreção glandular, peristalse, fonação, gustação, sensação visceral e geral da cabeça, tórax e abdome (abdómen).

O nervo vago é muito cobrado em provas de anatomia. Use nosso conteúdo para ficar especialista em nervo vago e gabaritar suas provas!

Nervo acessório (NC XI)

O 11.° nervo craniano é um nervo eferente que se origina do tronco encefálico e da medula espinhal. Ele sai do crânio através do forame (buraco) jugular e permite a fonação e movimentos da cabeça e dos ombros. Fibras sensoriais do plexo cervical se juntam ao nervo acessório para transmitir as sensações dos músculos por ele inervados. Então, quando você estiver confortável ao ganhar uma massagem nos seus ombros, agradeça ao seu plexo cervical por isto!

Fatos importantes sobre o nervo acessório (NC XI)
Tipo ESG/EVE*
Núcleos

Núcleo ambíguo

Núcleos do nervo acessório (C1-C5)

Campo de inervação Motor: músculos laríngeos, esternocleiodmastoideo, trapézio

O nervo acessório (espinhal) é interessante, pois os anatomistas ainda não entraram em um consenso de onde exatamente suas fibras se originam. *Alguns debatem que ele é um nervo EVE, acreditando que o núcleo espinhal acessório se continua com o núcleo ambíguo (que é EVE). Enquanto outros o descrevem como um nervo ESG, que fornece inervação motora para os três músculos, sem envolvimento com o núcleo ambíguo. Existem também outros anatomistas que acreditam que o NC XI contém tanto nervos EVE como ESG, recebendo fibras de ambos os núcleos.

Aprenda tudo sobre o nervo acessório com os materiais de estudo do Kenhub.

Nervo hipoglosso (NC XII)

O 12° nervo craniano é um nervo eferente somático geral que se origina no tronco encefálico. Ele deixa o crânio através do forame (buraco) hipoglosso. Sua função é permitir os movimentos da língua.

Fatos importantes sobre o nervo hipoglosso (NC XII)
Tipo ESG
Núcleo Núcleo do nervo hipoglosso
Campo de inervação Motor: músculos intrínsecos da língua, músculos extrínsecos da língua (exceto o palatoglosso)

O nervo hipoglosso é muito importante para o bom funcionamento de cada pessoa no dia-a-dia, uma vez que ele tem importante papel na fala e na deglutição. Similarmente ao NC XI, o nervo hipoglosso também interage com o plexo cervical. Ele recebe fibras ESG dos nervos espinhais C1 e C2 e fibras ASG do gânglio espinhal do nervo espinhal de C2.

Fique fera na anatomia do nervo hipoglosso com nosso artigo, vídeo e teste.

Videoaulas relacionadas

Testes relacionados


 

Visão geral dos nervos cranianos - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.201.153 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Artigo, revisão e layout:

  • Jana Vaskovic
  • Nicola McLaren

Tradução para Português e layout:

  • Lívia Lourenço do Carmo
  • Rafael Vieira

Ilustrações:

  • Nervos facial - vista lateral direita - Paul Kim
  • Diagrama dos nervos cranianos - Johannes Reiss
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Mostre mais 16 artigos

Assista videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!