EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Regiões das costas e dos glúteos

Esta videoaula de momento está apenas disponível em inglês.

Regiões das costas e dos glúteos observadas numa vista posterior.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Se lhe dissessem que um paciente apresentava dor nas costas, onde você acha que ele estaria sentindo dor?

Aqui, aqui ou aqui?

É difícil de saber ao certo, não é?

Todas estas áreas fazem parte das costas.

Os médicos usam regiões com nomes específicos para a identificação de lesões ou patologias em estruturas subjacentes para tornar as suas descrições e a comunicação com outros clínicos mais precisa e clara.

Hoje, nós vamos falar sobre as regiões das costas e das nádegas. Vamos então começar? Nós vamos começar a nossa videoaula com as regiões das costas, abordando-as grosseiramente numa direção de superior para inferior, depois vamos chegar às nádegas e identificar as regiões na área.

Primeira paragem, as regiões das costas. Uma área fácil de identificar é a área que nós vemos destacada em verde, e esta é a região vertebral das costas, nomeada devido à sua localização sobre a coluna vertebral.

Especificamente, esta região corresponde às regiões torácica e lombar da coluna vertebral subjacentes e aqui há apenas uma região vertebral mesmo na linha média das costas. Outra região nomeada devido ao osso que recobre é a região escapular, e como você adivinhou, esta região recobre a escápula.

Nós temos uma região escapular direita e outra esquerda onde nós podemos encontrar alguns dos músculos do manguito dos rotadores e outras estruturas relacionadas com a escápula. Entre cada região escapular e a região vertebral, nós encontramos a região interescapular, e profundamente à pele nesta região é onde iríamos encontrar os músculos romboides maior e menor.

E isto encaixa-se muito bem, já que os nossos músculos romboides se localizam entre a escápula e a coluna vertebral. A região supraescapular também é nomeada devido à sua relação com a escápula, e está agora destacada em verde, e superior e medialmente à região escapular.

Medialmente à região supraescapular encontra-se a coluna vertebral. Imediatamente profundamente à região supraescapular encontra-se parte do músculo das costas mais superficial, o trapézio.

A próxima área de que vamos falar é tecnicamente uma região do ombro, mas vamos mencioná-la rapidamente, já que nós a podemos ver desta perspetiva, e a região de que eu estou a falar é a região deltoide.

Esta região é delimitada pelos limites do músculo deltoide, que é o músculo que forma a aparencia arredondada do membro superior. E a região deltoide, tal como o músculo deltoide, estende-se à volta do ombro anteriormente, por isso o que nós estamos a observar nas costas é o aspeto posterior da região deltoide.

Continuando inferiormente, vemos duas áreas destacadas a verde, que são as regiões peitorais laterais, e estas regiões também têm um aspeto anterior
que é abordado na nossa videoaula sobre as regiões do tórax e do abdômen.

Vamo-nos concentrar, por agora, na parte posterior. O aspeto posterior da região peitoral lateral tem dois limites mediais, o primeiro deles é formado pela região escapular e o segundo pela região infraescapular.

E esta região também tem um limite superolateral que é formado pela região axilar do membro superior. Vamos agora olhar mais atentamente para o limite
medial da parte posterior da região peitoral lateral. Então o que nós vemos destacado agora é a região infraescapular e, mais uma vez, ela tem este nome devido à sua relação com a escápula já que se localiza inferiormente a ela.

O seu limite superior corresponde à região interescapular e entre as duas regiões infraescapulares, temos a região vertebral. Imediatamente profundamente à pele desta região está parte do latíssimo do dorso, e repare que este músculo está subjacente a muitas regiões da porção inferior das costas. Então as duas estruturas que nós vamos falar em seguida são triângulos.

O triângulo lombar superior, também conhecido como o triângulo de Grynfeltt-Lesshaft é delimitado por três estruturas. O seu limite superior é formado pela décima segunda costela, o seu limite lateral é formado pelo oblíquo interno, e o seu limite medial é formado pelo músculo quadrado lombar.

E o triângulo lombar superior é um espaço anatómico através do qual podem ocorrer hérnias lombares. Agora estamos a olhar para o triângulo lombar
inferior que também é conhecido como o triângulo de Petit.

E, mais uma vez, esta região tem três limites que são formados por três estruturas diferentes. O seu limite medial é formado pelo latíssimo
do dorso, o seu limite inferior é formado pela crista ilíaca, e por fim, o limite lateral é formado pelo oblíquo externo.

Tal como o triângulo lombar superior , o triângulo lombar inferior é um espaço através do qual as hérnias lombares podem ocorrer. A última região das costas que nós vamos analisar hoje é a região sacral, e nós podemos vê-la destacada em verde agora.

Ela situa-se mesmo em cima das nádegas e na base da coluna, inferiormente à região vertebral. E esta região consiste essencialmente na área que recobre o sacro.

Muito bem, estas são todas as regiões das costas.

Vamos agora continuar com as regiões das nádegas continuando com a região glútea. A região glútea abrange a área que é mais frequentemente referida como as nádegas. A região glútea estende-se desde a crista ilíaca até à prega glútea e é considerada a região de transição entre o tronco e os membros inferiores.

Superiormente na linha média, a região glútea está próxima à região sacral. Ela contém três músculos glúteos, o maior deles, o glúteo máximo, está destacado nesta imagem, e também contém alguns rotadores laterais da coxa. Na nossa próxima imagem, podemos ver a fenda interglútea destacada em verde, e a fenda interglútea é o sulco entre as nádegas que corre do bordo inferior do sacro até ao períneo.

Situada profundamente à fenda interglútea, encontramos a última região das nádegas que nós vamos abordar hoje, a região anal. E esta região compreende o ânus e a pele circundante. Ok, e assim chegamos ao fim da nossa videoaula de hoje.

Antes de eu o deixar ir, vamos rever rapidamente o que nós vimos hoje. Primeiro, abordamos as regiões das costas que incluem a região vertebral na linha média recobrindo a coluna vertebral e as regiões escapulares recobrindo cada escápula, e entre as regiões escapulares e a região vertebral temos a região interescapular.

Superiormente a cada região escapular e interescapular encontramos a região supraescapular, e continuando lateralmente, encontramos a região deltoide recobrindo o músculo deltoide.

Inferiormente a ela, encontramos a parte posterior da região peitoral lateral que, lembre-se, também tem uma parte anterior, e continuando medialmente
encontramos a região infraescapular que está localizada inferiormente à escápula.

Seguidamente falamos dos triângulos lombares superior e inferior que são vulneráveis a herniação, e por fim, nós vimos a última região das costas - a região sacral - que recobre o sacro.

Nós depois continuamos com as regiões das nádegas onde nós vimos as regiões glúteas que contêm os músculos glúteos e a fenda interglútea que corre do bordo inferior do sacro até ao períneo. Profundamente à fenda interglútea, encontramos a região anal que compreende o ânus e a pele circundante.

E assim chegamos ao final da nossa videoaula sobre as regiões das costas e das nádegas. Eu espero que tenha sido útil.

Obrigada por assistir.

Bom estudo!

Continue a sua aprendizagem

Assista mais videoaulas

Faça teste

Leia artigos

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!