EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Artéria femoral e suas ramificações

Este vídeo tem legendas em Português

Generalidades sobre a artéria femoral e as suas ramificações a partir de uma vista anterior.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Olá a todos! Aqui é a Megan, do Kenhub, e sejam bem-vindos a nossa videoaula sobre a artéria femoral e seus ramos. A artéria femoral é a principal fonte de suprimento sanguíneo para o membro inferior. Ela fornece sangue para a maior parte da coxa, bem como para toda a perna e pé. Nesta videoaula nós vamos ver o curso anatômico da artéria femoral e falar sobre seus ramos. Para finalizar, nós vamos ver alguns aspectos clínicos sobre a artéria femoral que são úteis para a prática clínica.

Então nessa ilustração nós podemos ver a artéria femoral destacada em verde com os tecidos moles adjacentes removidos. Nós também podemos ver a transição da artéria ilíaca externa para a artéria femoral, conforme ela passa sob o ligamento inguinal, que é esta estrutura aqui. A primeira coisa que você precisa saber sobre a artéria femoral é que ela é uma continuação da artéria ilíaca externa.

Como você pode ver nesta imagem, a aorta se bifurca nas duas artérias ilíacas comuns. Cada artéria ilíaca comum em seguida se bifurca nas artérias ilíacas externa e interna. Dois ramos notáveis da artéria ilíaca externa estão localizados nesta região aqui. Então vamos discuti-los mais detalhadamente.

O vaso destacado nesta imagem logo antes da artéria ilíaca externa passar sob o ligamento inguinal e se tornar a artéria femoral é a artéria epigástrica inferior. Este vaso sempre se origina logo antes da artéria ilíaca externa atingir o ligamento inguinal. Ele cursa superiormente pela fáscia transversal e em seguida perfura o músculo reto abdominal.

Agora vamos ver outra artéria que se origina quase no mesmo nível que a artéria epigástrica inferior, mas do lado oposto. Esta é a artéria ilíaca circunflexa profunda, que, como você pode ver, se origina do aspecto lateral da artéria ilíaca externa. Eu devo mencionar que esta imagem pode enganar um pouco, já que parece que a artéria ilíaca circunflexa profunda se origina após o ligamento inguinal como um ramo da artéria femoral. No entanto, isso não é verdade. Esta artéria é um ramo da artéria ilíaca externa, e se origina ao nível do ligamento inguinal, onde a artéria ilíaca externa se torna a artéria femoral. Ela ascende oblíqua, lateral e posteriormente para o ligamento inguinal, e em seguida cursa para a espinha ilíaca anterior superior, onde se anastomosa com o ramo ascendente da artéria femoral circunflexa lateral.

Muito bem, então nós definimos que a artéria femoral é a continuação da artéria ilíaca externa. Mas onde começa a artéria femoral? O ligamento destacado aqui em verde é conhecido como ligamento inguinal. Você pode ver aqui nesta imagem que a artéria ilíaca externa passa sob este ligamento. Ela passa sob o ligamento inguinal mais ou menos na metade do trajeto entre a espinha ilíaca anterior superior, que é uma importante referência anatômica do quadril, e a sínfise púbica, que é uma articulação que une os dois ossos púbicos da pelve.

A artéria femoral se inicia neste ponto onde a artéria ilíaca externa passa sob o ligamento inguinal. Então nesta ilustração, nós podemos ver o ligamento inguinal aqui, cursando entre a espinha ilíaca anterior superior e a sínfise púbica, aqui. Na metade deste trajeto nós podemos ver a artéria ilíaca externa passando sob esta estrutura para se tornar a artéria femoral. Então vamos dar uma olhada na artéria femoral.

A artéria femoral, depois de passar sob o ligamento inguinal, cursa inferiormente no aspecto anteromedial da coxa, emitindo muitos ramos musculares antes de de entrar no canal dos adutores para se tornar a artéria poplítea. Então primeiro nós vamos discutir o curso da artéria femoral ao longo das regiões da coxa, e em seguida nós vamos falar sobre os vasos que se originam a partir da artéria femoral antes da origem de outro grande vaso, que é a artéria femoral profunda. Finalmente, nós vamos discutir o trajeto e os ramos da artéria femoral profunda.

A artéria femoral entra na coxa em uma região conhecida como trígono femoral. O trígono femoral é uma depressão em forma de cunha encontrada inferiormente ao ligamento inguinal. Como você pode ver nesta imagem, este trígono é limitado pelo ligamento inguinal, superiormente, pelo adutor longo, medialmente, e pelo músculo sartório, lateralmente. A fáscia lata foi removida nesta imagem, mas normalmente ela forma o teto do trígono femoral.

Outra coisa a se observar é que no interior do trígono femoral a artéria femoral é envolvida por uma bainha junto com a veia femoral. Esta bainha é conhecida como bainha femoral, mas ela não contém o nervo femoral, apenas a artéria e a veia femorais. Uma forma útil de se lembrar dos conteúdos do trígono femoral é usar o acrônimo VAN. Então, de medial para lateral, nós temos a veia femoral, com a letra V, a artéria femoral, letra A e o nervo femoral, letra N. Nós podemos ver também alguns linfonodos inguinais neste trígono.

Então para ajudá-lo a organizar e se lembrar dos limites do trígono femoral de uma forma um pouco mais fácil, eu vou passar por eles de forma organizada neste slide. Então a borda superior é o ligamento inguinal, a borda medial é o músculo adutor longo, e a borda lateral é o músculo sartório. E apenas como um lembrete, a bainha femoral é uma bainha de tecido conjuntivo que contém a artéria e a veia femorais.

Então vamos resumir rapidamente o curso anatômico da artéria femoral. Ele se inicia conforme ela passa sob o ligamento inguinal, na metade do trajeto entre a espinha ilíaca anterior superior e a sínfise púbica. Ela então passa pelo trígono femoral, antes de cursar inferiormente pelo aspecto anteromedial da coxa, superficialmente aos músculos adutores magno e longo. Ela então passa através do canal dos adutores, onde ela termina e se torna a artéria poplítea. Nesta ilustração nós podemos ver a artéria femoral passando pelo canal dos adutores para se tornar a artéria poplítea. Então agora nós estamos prontos para discutir os ramos da artéria femoral.

O primeiro ramo que eu quero mencionar é a artéria epigástrica superficial. A artéria epigástrica superficial está destacada em verde nesta imagem, e como você pode ver, ela se origina cerca de um centímetro abaixo do ligamento inguinal. Ela cursa pela fáscia cribriforme e desce em direção à fáscia abdominal superficial. A fáscia cribriforme é uma região da fáscia superficial da coxa que é perfurada. A palavra cribriforme é derivada da palavra em latim cribrum, que significa “peneira”. Esta artéria fornece sangue para a pele da região inguinal, para a fáscia superficial e para os linfonodos inguinais superficiais.

O próximo ramo que nós vamos discutir é a artéria ilíaca circunflexa superficial, que é o menor ramo da artéria femoral. Ela emerge quase ao nível da artéria epigástrica superficial, que é o ramo que já mencionamos. A artéria ilíaca circunflexa superficial passa através da fáscia lata antes de cursar em direção à espinha ilíaca anterior superior. Como a artéria epigástrica superficial, ela vasculariza a pele, a fáscia superficial e os linfonodos inguinais superficiais.

Agora vamos continuar para o próximo ramo da artéria femoral. Esta artéria é conhecida como artéria pudenda superficial externa. Ela emerge logo inferiormente aos dois primeiros ramos - a artéria epigástrica superficial e a artéria ilíaca circunflexa superficial. Ela cursa através da fáscia cribriforme antes de cruzar o cordão espermático profundamente para a veia safena magna. Esta artéria fornece sangue à pele da região abdominal inferior, bem como à pele do pênis, escroto ou dos lábios.

Outro ramo emitido pela artéria femoral na região proximal da coxa é a artéria pudenda externa profunda. Como você pode ver, esta artéria se origina logo abaixo da artéria pudenda externa superficial. Como seu nome sugere, esta artéria é encontrada mais profundamente do que a artéria pudenda externa superficial. Esta artéria é recoberta pela fáscia lata, e cursa medialmente sobre os músculos pectíneo e adutor longo. Em seguida ela perfura a fáscia lata para vascularizar a pele da bolsa escrotal ou dos lábios maiores, bem como a pele do períneo.

Nós agora vamos discutir o maior ramo da artéria femoral, que é a artéria femoral profunda. Esta artéria também é conhecida como artéria femoral profunda da coxa. Como você pode ver nesta imagem, a artéria femoral profunda se origina lateralmente a partir da artéria femoral, cerca de 3,5 cm abaixo do ligamento inguinal. Ela então continua inferiormente pelo aspecto lateral da coxa, antes de perfurar o músculo adutor magno e formar anastomoses com ramos musculares da artéria poplítea. A artéria femoral profunda é a principal fonte de suprimento sanguíneo para os músculos extensores, flexores e adutores da coxa, e por isso é chamada de ramo muscular da artéria femoral. A artéria femoral profunda por sua vez emite muitos ramos, incluindo a artéria femoral circunflexa lateral, a artéria femoral circunflexa medial, e as artérias perfurantes.

Vamos dar uma olhada na mais importante destas artérias - a artéria femoral circunflexa lateral. Como você pode ver nesta imagem, a artéria femoral circunflexa lateral se origina do aspecto lateral da artéria femoral profunda. Ela cursa profundamente aos músculos sartório e reto femoral, e se divide nos ramos ascendente, descendente e transverso. Nós agora vamos ver estes ramos em maiores detalhes.

Aqui nós podemos ver o ramo ascendente da artéria femoral circunflexa lateral. Este ramo ascende ao longo da linha intertrocantérica do fêmur, e supre o trocânter maior, que é este marco ósseo aqui. O ramo transverso se origina lateralmente e cursa superficial ao músculo vasto intermédio. Ele então perfura o vasto lateral, antes de formar anastomose com os ramos arteriais menores da superfície lateral da coxa.

O último ramo da artéria femoral circunflexa lateral, ou ramo descendente, cursa inferiormente, profundo ao reto femoral e ao longo da borda anterior do vasto lateral. Ele supre o músculo vasto lateral. Muito bem, vamos continuar para a artéria femoral circunflexa medial. Esta artéria geralmente se origina do aspecto posteromedial da artéria femoral profunda, próximo à sua origem. A artéria femoral circunflexa medial se divide em vários ramos, e supre o colo femoral, bem como os músculos adutores. A artéria femoral profunda também emite algumas artérias perfurantes. Elas são chamadas artérias perfurantes porque elas perfuram o músculo adutor magno. Esta artéria, destacada em verde, é a primeira artéria perfurante, e ela supre o adutor curto, o adutor magno, o bíceps (bicípite) femoral e o glúteo máximo. Na próxima imagem nós podemos ver a segunda artéria perfurante, que é mais longa que a primeira, e vasculariza os músculos do aspecto posterior da coxa. Ela geralmente se divide em ramos ascendente e descendente. Em seguida nós temos a terceira artéria perfurante, que também supre os músculos posteriores da coxa.

O último ramo da artéria femoral que nós vamos discutir é a artéria genicular descendente. Esta artéria é o ramo mais distal da artéria femoral, e se origina logo proximal ao canal dos adutores. A artéria genicular descendente cursa inferiormente no interior do músculo vasto medial, que foi removido nesta ilustração para mostrar a artéria, aqui. Esta artéria e seus ramos suprem os músculos vasto medial e adutor magno, bem como a pele da região súpero-medial da coxa.

Finalmente, para finalizar esta videoaula, nós vamos discutir algumas notas clínicas sobre a artéria femoral, que são relevantes na prática clínica. A artéria femoral pode ser palpada para se sentir o pulso femoral. O melhor lugar para se palpar este pulso é na metade do trajeto entre a espinha ilíaca anterior superior e a sínfise púbica, logo inferiormente ao ligamento inguinal. Se o pulso estiver reduzido, isto pode indicar uma oclusão parcial ou total da artéria ilíaca comum ou da artéria ilíaca externa. Isto pode indicar também coarctação da aorta, que é uma condição congênita que causa estreitamento de um segmento da aorta.

Outra coisa que é importante mencionar é que a artéria femoral é um local comum de cateterização, já que ela fornece acesso ao coração e a vários outros vasos. A cateterização é um procedimento na prática médica onde um pequeno tubo conhecido como cânula é inserido em um vaso. A angioplastia das artérias coronárias é uma intervenção comum utilizada na doença coronariana, que envolve a cateterização da artéria femoral. Depois de uma cateterização bem sucedida da artéria femoral, um cateter é inserido na artéria femoral e levado até as várias artérias, como a artéria ilíaca comum e aorta, antes de chegar à artéria coronária. Um fio e um balão são então utilizados para dilatar a artéria coronária.

Os últimos pontos clínicos que nós vamos discutir são a laceração da artéria femoral e a oclusão da artéria femoral. Devido à sua posição superficial no trígono femoral, a artéria femoral é vulnerável a laceração. Em feridas na região anterior da coxa, a veia femoral também é comumente lacerada, devido a sua proximidade com a artéria femoral. A oclusão da artéria femoral pode ser causada por aterosclerose, que você pode ver na doença vascular periférica. A aterosclerose se refere a quando a artéria é obstruída por substâncias gordurosas. A oclusão da artéria femoral pode causar claudicação intermitente na panturrilha. Isto é uma dor tipo câimbra na panturrilha, exacerbada pelos movimentos e aliviada pelo repouso.

E isto conclui a nossa videoaula sobre a artéria femoral e seus ramos. Eu espero que você tenha gostado, e obrigado por assistir.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!