EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Músculos da parede faríngea

Este vídeo tem legendas em Português

Generalidades sobre os músculos da parede faríngea e estruturas com eles relacionadas.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Olá a todos!

Aqui é o João, do Kenhub, e sejam bem-vindos a mais uma videoaula sobre anatomia. Neste tutorial nós vamos ver os músculos da faringe. Nós vamos focar na origem, inserção, função e inervação destes músculos. E para isso nós vamos usar principalmente duas imagens - esta que você vê aqui, que é basicamente uma visão dorsal da sua faringe e de todos os músculos faríngeos, e esta outra visão aqui, onde nós os cortamos e abrimos como um livro, para que possamos ver o que está acontecendo dentro desta estrutura tubular, a faringe.

Muito bem, a faringe é uma coluna muscular que liga as cavidades nasal e oral - cavidades nasal e oral, você consegue ver um pouco aqui - à laringe, que você vê aqui, também conhecida como caixa vocal. Ela também conecta estas estruturas ao esôfago - como você pode ver parcialmente aqui no seu pescoço, ou começando no seu pescoço.

Bem, a cavidade faríngea é uma via comum para alimentos e ar, e as paredes da faringe são anteriores às margens das cavidades nasal, oral e da laringe. Baseado nestas relações anteriores, a faringe pode ser dividida em nasofaringe, vista aqui destacada em verde, orofaringe e hipofaringe.

As cavidades nasais se comunicam com a nasofaringe através destes orifícios aqui, conhecidos como coanas. A cavidade oral se comunica - como você pode ver aqui - isto é parte da cavidade oral - com a orofaringe através do istmo da orofaringe, e a laringe se comunica com a hipofaringe através do introito laríngeo.

Nesta videoaula nós vamos discutir os músculos que constituem as paredes da faringe. Os músculos da faringe são organizados em dois grupos, baseado na orientação das fibras musculares.

As fibras dos músculos constritores são orientadas em uma direção circular em relação à parede da faringe, e a lista inclui o músculo constritor superior, o músculo constritor médio e o inferior, enquanto as fibras dos músculos longitudinais são orientadas verticalmente, e a lista inclui o músculo estilofaríngeo, o músculo salpingofaríngeo e o músculo palatofaríngeo.

Muito bem, agora vamos começar com os músculos constritores da faringe. Os três músculos constritores se alojam uns nos outros de cima para baixo. Uma boa forma de visualizar os músculos constritores é como três copos em forma de cone - você pode ver um deles aqui destacado e mais um e mais um.

Eles são como três copos cônicos encaixados um dentro do outro. Este que você vê aqui destacado em verde é o constritor superior, que se encaixa no constritor médio, que por sua vez se encaixa no constritor inferior, encontrado aqui embaixo.

O músculo constritor faríngeo superior é o mais superior dos músculos constritores da faringe. Este músculo constritor quadrilateral consiste
em uma parte pterigofaríngea, que possui origem na margem posterior da placa pterigóide medial e hâmulo.

Há ainda uma parte bucofaríngea, que possui sua origem na rafe pterigomandibular. Há ainda outra, a terceira parte, que é a parte milofaríngea, que se origina no processo alveolar da mandíbula.

E finalmente, uma parte glossofaríngea, que se origina nas fibras da língua. Este músculo se insere no tubérculo faríngeo e na rafe faríngea. Ele recebe inervação do plexo faríngeo, a partir do ramo faríngeo do nervo vago.

A função do constritor faríngeo superior é a de contrair a parte superior da faringe, empurrando e deslocando o bolo alimentar inferiormente. Em seguida nós vamos ver aqui um pouco abaixo, o constritor faríngeo médio, que é um músculo em forma de leque que se prende proximalmente ao ligamento estilo-hióideo e aos cornos maior e menor do osso hióide. Ele se insere distalmente na rafe faríngea.

Este músculo é inervado pelo plexo faríngeo - por um ramo do nervo vago - e tem como função contrair a parte média da faringe sobre o bolo alimentar, e empurrá-lo em direção ao esôfago. O último dos músculos constritores, que você vê agora destacado em verde é o músculo constritor faríngeo.

A origem deste músculo é na linha oblíqua da cartilagem tireoide, além do aspecto lateral da cartilagem cricoide. A sua inserção se dá na rafe faríngea. Ele é o mais espesso dos três músculos constritores da faringe, e sua função é contrair a parte inferior do órgão.

Este músculo consiste em duas partes - uma parte tireofaríngea e uma parte cricofaríngea. Vamos dar uma olhada rápida nas duas partes do músculo constritor faríngeo inferior, começando com esta aqui. Esta é a parte tireofaríngea do constritor faríngeo inferior, que se origina da linha oblíqua da cartilagem tireoide.

Ela é inervada pelo plexo faríngeo por ramos do décimo nervo craniano, o nervo vago. A outra parte é esta aqui que você vê agora destacada, a parte cricofaríngea do constritor inferior da faringe, que se origina a partir da cartilagem cricoide, entre o músculo cricotireoideo e a faceta articular para o corno inferior da cartilagem tireoide.

Esta parte também é inervada por um ramo do nervo vago através do plexo faríngeo. Agora que nós discutimos os músculos constritores da faringe, eu quero só mencionar rapidamente que estes músculos possuem uma função comum
importante.

Quando eles se contram sequencialmente de cima para baixo quando você está deglutindo, eles movem o bolo alimentar através da faringe para o interior do esôfago. Antes de nós continuarmos para os músculos longitudinais da faringe, vamos dar uma olhada nesta estrutura aqui, que serve como um ponto de inserção para os músculos constritores, que é a rafe faríngea.

A rafe faríngea é uma banda de tecido conectivo entre os músculos faríngeos direitos e esquerdos. Ela se estende posteriormente na linha média e une os dois lados da parede faríngea posteriormente. Ela se prende ao tubérculo faríngeo superiormente, e se estende até o nível de C6 inferiormente, onde se funde à parede posterior do esôfago.

Bem, agora vamos falar sobre os músculos longitudinais da faringe. Como nós vamos ver, estes três músculos são nomeados de acordo com as suas origens. O primeiro destes três músculos que nós vamos ver é este aqui visto agora destacado em verde, que é o músculo estilofaríngeo.

O músculo estilofaríngeo se origina do aspecto medial da base do processo estiloide, e passa entre os músculos constritores superior e médio da faringe, se espalhando para a parede faríngea, a cartilagem tireoide e a epiglote. Este músculo eleva a faringe e a expande lateralmente.

O músculo estilofaríngeo recebe inervação motora do nono nervo craniano, também conhecido como nervo glossofaríngeo. Em seguida nós vamos ver este músculo destacado aqui em verde, que é conhecido como o músculo salpingofaríngeo, que se origina da cartilagem da tuba auditiva, que você pode ver aqui - as duas cartilagens da tuba auditiva.

Elas também são conhecidas como tubas faringotimpânicas. E ele vai se inserir - este salpingofaríngeo - ele vai se inserir na parede lateral da faringe. Este músculo pode ser visto como uma elevação ou prega localizada posterior ao torus tubário, conhecida como prega salpingofaríngea.

A função do salpingofaríngeo é a de elevar a faringe e a laringe durante a deglutição e impedir o deslocamento posterior do músculo levantador do palato. Devemos lembrar que o músculo salpingofaríngeo é inervado pelo nervo vago através do plexo faríngeo.

O próximo músculo que nós vamos destacar aqui é o músculo palatofaríngeo. Bem, este é o último músculo longitudinal da faringe que nós vamos ver, e ele se origina da aponeurose palatina na borda posterior do palato duro, no teto da boca.

Ele se insere no aspecto posterior da lâmina da cartilagem tireoide. Este par de músculos vai então elevar a faringe para fechá-la da nasofaringe durante a deglutição. Ele recebe inervação motora do plexo faríngeo, especificamente do nervo vago, através do plexo faríngeo.

Até agora nós cobrimos os músculos da faringe, vamos agora continuar e ver algumas das estruturas adjacentes que podem ser vistas nesta região, especificamente também nesta imagem. Primeiramente vamos dar uma olhada na fáscia faringobasilar, que você pode ver aqui destacada em verde, que também é conhecida como aponeurose faríngea.

Esta aponeurose é localizada entre as camadas muscular e mucosa da faringe. Ela se prende à porção basilar do osso occipital e à parte petrosa dos ossos temporais. Ela reforça a parede faríngea onde o músculo é deficitário.

Do aspecto posterior da faringe nós vemos duas pequenas estruturas cartilaginosas que são as partes cartilaginosas da tuba auditiva. A tuba auditiva, também conhecida como tuba de Eustáquio, é chamada ainda de tuba faringotimpânica, e se estende da parede lateral do ouvido médio até a nasofaringe.

Uma abertura para a tuba auditiva pode ser vista na nasofaringe, e a parte cartilaginosa da tuba de Eustáquio pode ser vista como uma elevação na nasofaringe abaixo da mucosa, conhecida como tórus tubário.

Outra estrutura cartilaginosa que nós vemos desta visão posterior é a cartilagem tireoide. É a maior das cartilagens laríngeas, e está localizada à frente da laringe, acima da glândula tireoide, que você vê parcialmente aqui, a glândula tireoide.

Esta cartilagem consiste em duas metades que se encontram na linha média para formar a proeminência laríngea - algo que você pode ver mais facilmente nos homens, conhecida como pomo de Adão.

Ela possui uma incisura tireoidea superior e uma incisura tireoidea inferior, e um corno inferior e o corno superior, que não são visíveis desta perspectiva, mas mesmo assim devem ser mencionados quando se estuda a estrutura desta cartilagem, mas nós vamos cobrir este tema em outra videoaula - mantenha isso em mente.

Na superfície lateral da cartilagem tireoide há uma linha oblíqua que não é vista claramente desta perspectiva, a partir da qual o músculo tireo-hióideo e o músculo constritor inferior da faringe se originam - só um lembrete. Imediatamente superior à cartilagem tireoide nós vemos destacados aqui em verde os cornos maiores do osso hioide nos lados esquerdo e direito deste aspecto posterior da faringe.

Estas estruturas se projetam posteriormente a partir da borda exterior do corpo do osso hioide, fornecendo ligação para o músculo hioglosso e para o músculo constritor médio da faringe na sua superfície superior.

Finalmente, esta estrutura que nós vemos aqui na parte mais inferior desta imagem é o esôfago. O esôfago se estende desde abaixo da cartilagem cricoide, aproximadamente ao nível de C6, até a cárdia do estômago.

Ele é um tubo fibromuscular que serve como passagem para os alimentos cursarem da cavidade oral até o estômago e o esôfago sendo revestido por mucosa - só algumas informações para adicionar aqui sobre esta importante estrutura.

Agora que você completou esta videoaula é a hora de você continuar a sua experiência de aprendizagem testando e aplicando seu conhecimento. Existem três formas de fazer isso aqui no Kenhub.

A primeira delas é clicar no nosso botão "comecar treinamento", a segunda é navegar através da nossa biblioteca de artigos relacionados, e a terceira é conferir o nosso atlas.

Boa sorte a todos, e eu vejo vocês na próxima.

Continue a sua aprendizagem

Faça teste

Leia artigos

Mostre mais 5 artigos

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!