EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Músculos glúteos

Este vídeo tem legendas em Português

Origens, inserções, inervação e funções dos músculos glúteos.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Olá a todos! Aqui é o João, do Kenhub, e sejam bem vindos a mais uma videoaula, hoje eu vou falar sobre os músculos glúteos, que nós vamos ver agora no ecrã. E estes são músculos que você encontra na região das nádegas.

Nesta videoaula, eu vou ajudar você a aprender e perceber a anatomia e as funções dos músculos glúteos. Agora, antes de continuarmos, eu quero só
descrever um pouco o que você está a ver nesta imagem.

Nós estamos olhando uma vista posterior ou dorsal da pelve óssea. E você pode ver o grupo de músculos que nós iremos discutir nesta videoaula, aqui mesmo. E estes são os músculos glúteos direitos.

Claro que você tem os mesmos músculos aqui no lado esquerdo. E você pode ver um pouco do fêmur projetado aqui inferiormente na imagem aqui. Agora, lembre-se que eu vou adicionar um outro grupo de músculos conhecidos como os músculos posteriores da coxa.

Você também pode ver, se eu diminuir o zoom, pode então ver os músculos glúteos em contexto com outros músculos do membro inferior. Agora, nesta videoaula, eu quero referir que os músculos glúteos são importantes porque são essenciais para diferentes funções incluindo a extensão e também a abdução da articulação do quadril.

Como tal, eles são bastante úteis para diferentes coisas, incluindo andar, equilibrar-se numa só perna, ou subir escadas. O grupo dos músculos glúteos contém quatro músculos: o glúteo máximo, o glúteo médio, o glúteo mínimo e o tensor da fáscia lata.

Por baixo dos músculos glúteos, nós vamos encontrar outra camada, conhecida como a musculatura posterior da anca, que nós vamos abordar nesta videoaula, e que você pode ver agora na imagem do lado direito.

E estes incluem o músculo piriforme, os músculos obturadores interno e externo, os gémeos superior e inferior, e o quadrado femoral. Vamos começar com o primeiro músculo da nossa lista, destacado aqui em verde.

Este é, exatamente, o maior de todos os músculos glúteos. Por essa razão, nós tivemos de o chamar de glúteo máximo. O glúteo máximo dá forma à superfície
glútea superficial e é o mais forte extensor e rotador externo da articulação do quadril.

Agora, em relação aos pontos de origem, nós precisamos de nos lembrar de alguns, incluindo o sacro que serve de ponto de origem. E você pode ver aqui que o glúteo máximo está a surgir da parte dorsal do sacro. O íleo também é um ponto de origem, especificamente a fossa glútea.

Há um ligamento que também serve de ponto de origem conhecido como o ligamento sacrotuberoso. E também podemos considerar a fáscia toracolombar como ponto de origem para este músculo.

Agora, vamos dar uma olhada nos pontos de inserção do glúteo máximo. As fibras caudais, vão-se inserir na tuberosidade glútea do fêmur. Enquanto as fibras craniais passam superficialmente para se inserir no que é conhecido como a fáscia iliotibial, trato iliotibial ou fáscia lata.

Você pode ver, aqui, uma parte do músculo glúteo que se vai ligar ao trato iliotibial. Agora, lembre-se que o trato iliotibial é uma forte banda fibrosa superficial na coxa que se insere no côndilo lateral da tíbia.

Vamos agora ver as funções do músculo glúteo máximo. E isto inclui as mais importantes que são a extensão da coxa, como você pode ver aqui, e também a rotação externa da articulação do quadril, como você pode ver com as setas e também precisamos de referir que este músculo vai ajudar na estabilização da articulação do quadril.

É importante adicionar que a contração das fibras craniais vai abduzir, e que a contração das fibras caudais irá aduzir o fêmur. A explicação para esta oposição ou este movimento contrário das fibras craniais e caudais é as fibras craniais estarem posicionadas por cima do ponto do pivot rotacional da articulação. Como tal, a contração causa abdução.

E as fibras caudais correm por baixo do eixo rotacional, por isso, vão causar adução. Nós aprendemos quase tudo sobre o glúteo máximo, mas ainda falta a inervação. E aqui podemos ver o nervo destacado em verde que vai inervar o glúteo máximo.

Este nervo é chamado de nervo glúteo inferior e você tem aqui, também, a terminologia Latina. E saindo… ou melhor dizendo este nervo vai sair
do plexo sacral. Agora, vamos continuar para o próximo músculo na nossa lista.

Este é conhecido como o glúteo médio. E localiza-se uma camada por baixo
do glúteo máximo. Em relação ao ponto de origem para o glúteo médio
vamos ter a asa ilíaca ou a fossa ilíaca. O glúteo…
O músculo glúteo médio origina-se entre as linhas glúteas anterior e posterior do ílio. Vamos agora ver o ponto de inserção que você pode ver claramente nesta imagem no lado direito.

O ponto de inserção para o glúteo médio vai ser o trocânter maior do fêmur, como você pode ver aqui mesmo. Este é o ponto de inserção para este músculo. Agora, vamos veras funções deste músculo. E este…

As principais funções que você precisa de lembrar e escrever nas suas notas vão ser a abdução e também a rotação interna da articulação do quadril. E lembre-se que a parte anterior das fibras anteriores deste músculo vai fazer a rotação interna, enquanto a parte posterior das fibras posteriores vai fazer extensão e rotação externa.

E escreva também nas suas notas que este é um dos mais poderosos músculos da abdução e rotação interna da articulação do quadril. Continuando com os mais pequenos, o pequeno músculo glúteo: o glúteo mínimo. E o glúteo mínimo encontra-se também uma camada por baixo do glúteo médio.

E se eu lhe mostrar aqui o… ou adicionar o glúteo médio à imagem, você pode ver agora o glúteo mínimo mesmo por baixo dele. Em termos de ponto de origem, nos vamos ver que este músculo vai surgir da asa ilíaca ou fossa glútea.

E o glúteo mínimo origina-se um pouco inferiormente ao glúteo médio entre as linhas glúteas do ílio. Em termos de pontos de inserção, nós vamos ver o mesmo ponto de inserção que vimos para o médio, e este vai ser o trocânter maior do fêmur.

Agora, vamos ver rapidamente as funções do glúteo mínimo. A primeira é uma que também vimos para o médio. E vai ser a abdução e também rotação interna da articulação do quadril. Agora, neste caso também vamos ver que a parte interior ou as fibras anteriores vão ser responsáveis pela rotação interna, enquanto as fibras posteriores vão ser responsáveis pela extensão e rotação
externa.

Em conjunto, o médio e o mínimo vão ter um papel importante na estabilização da pelve. Antes de continuarmos para outros músculos, eu quero fazer aqui uma nota clínica relacionada com o médio e o mínimo, e para o fazer, eu vou mostrar aqui a imagem do médio destacado e o tímido mínimo escondendo-se por baixo dele.

Agora, o que eu quero mostrar aqui nesta imagem é que para perceber a função

de como estes músculos são capazes de estabilizar a sua pelve, imagine que está em pé na sua perna direita como vê na imagem. Se estes pequenos músculos, os músculos glúteos, o médio e o mínimo, não estivessem aqui, a sua pelve cairia então para a esquerda.

Estes músculos seguram-na em direção ao fêmur direito e consequentemente erguem a pelve. Se em algum caso o músculo ou a sua inervação forem lesados, o que irá acontecer, as pessoas vão ter a sua pelve descaída inferiormente para o lado saudável, isto é conhecido como sinal de Trendelenburg, ou simplesmente posição de Trendelenburg.

O próximo músculo na nossa lista é este aqui, destacado em verde, conhecido como o tensor da fáscia lata. Este é um pequeno músculo que se localiza por cima de todos os músculos da anca e pode ser facilmente palpado na parte lateral da anca, especialmente em atletas. Ponto de origem, vamos ver dois.

O primeiro é conhecido como crista ilíaca, e o outro vai ser a espinha ilíaca anterior superior, que você também pode ver aqui nesta imagem. Agora, é altura de nós continuarmos para o ponto de inserção do tensor da fáscia lata, e eu disse um ponto porque é tudo o que você precisa de lembrar.

E este músculo vai se inserir nesta banda aqui, como você pode ver, esta longa banda. Que é conhecida como o trato iliotibial. Agora, o trato iliotibial é um reforço longitudinal fibroso da fáscia lata.

Agora, certo, você pode perguntar o que é a fáscia lata, é basicamente uma fáscia profunda envolvendo toda a musculatura da coxa. É altura de continuarmos para as funções associadas ao tensor da fáscia lata.

Agora, a principal função deste músculo é sustentar a tensão da banda que nós acabamos de falar, o trato iliotibial. Quando o corpo do fêmur se junta à pelve, vai haver um ângulo de pressão superior, que impõe uma grande tensão de flexão no fêmur.

Os dois abdutores e o tensor da fáscia lata contrariam a pressão do lado oposto e ajudam a estabilizar o osso. Isto é o que nós chamamos de efeito de flexão tensão. Para além disso, há outras funções que nós precisamos de incluir nesta lista, e estas são a abdução, flexão, e também a rotação interna da articulação do quadril.

Agora, eu falei de três músculos, mas eu não expliquei a sua inervação, agora nós vamos ver aqui destacado em verde. Este nervo é responsável pela inervação dos três músculos que acabamos de falar.

Então, o glúteo médio, o glúteo mínimo, assim como o tensor da fáscia lata são todos inervados pelo nervo glúteo superior que se origina no plexo sagrado. E tal como eu mencionei anteriormente, a segunda parte desta videoaula inclui a musculatura posterior da anca.

A musculatura posterior da anca inclui um grupo de músculos que se estendem do osso pélvico para o fêmur. Durante o seu percurso, eles atravessam a articulação do quadril dorsalmente. E você pode ver claramente nesta imagem
o grupo de músculos que eu acabei de falar indo desde a pelve até ao fêmur.

Antes de falarmos sobre eles um pouco mais detalhadamente, eu quero começar com a inervação da musculatura posterior da anca. E isto vai ser… a inervação vai ser fornecida por ramos diretos do plexo sacral com exceção de um músculo
desta lista, que é o músculo obturador externo, mas nós vamos ver a sua inervação mais à frente.

Lembre-se que toda a musculatura posterior da anca vai ser inervada por ramos diretos do plexo sacral. Começando com o primeiro da nossa lista, o músculo
Piriforme. Em relação à origem deste músculo, esta vai ser o lado ventral do osso sacral também conhecido como superfície pélvica do sacro.

E como você pode ver aqui, este músculo origina-se da frente deste ou do aspeto ventral deste osso conhecido como sacro. Em termos de pontos de inserção, o músculo corre para o trocânter maior do fêmur como você pode ver aqui.

Vamos ver as diferentes funções do piriforme. Agora, o músculo piriforme é um rotador externo da articulação da anca. Outras funções relacionadas com este músculo incluem abdução, como você pode ver aqui exemplificado com as setas, e ligeira extensão.

Os próximos músculos na nossa lista vão ser estes dois músculos aqui, este par que são conhecidos como o obturador interno, visto aqui no lado esquerdo, e o músculo obturador externo, visto no lado direito.

E você pode ver claramente por que nós chamamos de obturador interno e externo, porque como você pode ver aqui o obturador externo, encontra-se um pouco mais ventralmente enquanto o interno se encontra um pouco mais dorsalmente.

Agora vamos ver estes músculos mais atentamente.

E o que você precisa de saber sobre os músculos obturadores interno e externo em termos de pontos de origem é que eles têm uma seme… a mesma, e que é a membrana obturadora e o seu rebordo ósseo.

Agora, em termos de pontos de inserção, você também precisa de se lembrar que ambos se estendem até à fossa trocantérica do fêmur onde se inserem. Agora, se você se lembra dos slides anteriores, eu disse que todos os músculos posteriores da anca, vão ser inervados por ramos diretos do plexo sacral, mas havia uma exceção.

E esta exceção vai ser inervada pelo nervo que você pode ver aqui, destacado a verde, que é conhecido como nervo obturador. Agora, se você também se lembra, a exceção é um dos músculos de que nós estivemos a falar, que é o músculo obturador externo.

Agora, vamos falar sobre as diferentes funções associadas aos músculos obturadores interno e externo.

Em termos de funções, estes músculos funcionam como rotadores externos da articulação da anca, como você pode ver aqui nestas setas. Agora, para além disso, o músculo obturador externo faz ou produz adução ou tem um papel de adutor no movimento do quadril. E o obturador interno vai fazer ligeira extensão.

O próximo grupo de músculos também é um par conhecido como os gémeos. Agora, como você pode ver, eles estão destacados em verde nestas imagens. No seu lado esquerdo, você encontra o músculo gémeo superior. E no lado direito, você encontra o músculo gémeo inferior.

Agora, vamos falar sobre os pontos de origem para os gémeos. Os pontos de origem são as espinhas isquiáticas. O músculo gémeo superior origina-se da
espinha isquiática como você pode ver aqui. Isto vai servir de ponto de origem para este músculo.

O inferior vai surgir da tuberosidade do ísquio como você pode ver aqui indo desde a porção superior da tuberosidade do ísquio. E depois ambos se inserem na fossa trocantérica, a fossa trocantérica do fêmur.

E você pode ver claramente em ambas as imagens que eles se inserem muito próximo um do outro. Agora é altura de passarmos para as funções dos gémeos.

E o que nós vemos aqui é que os músculos gémeos superiores vão servir como rotadores externos da articulação do quadril, outras funções que estes músculos vão ter incluem adução e também extensão da anca.

Seguindo para o último músculo desta videoaula, o quadrado femoral, e o quadrado femoral origina-se na tuberosidade do ísquio como você pode ver claramente aqui nesta imagem que este músculo se origina da tuberosidade
deste osso.

Agora, em termos de pontos de inserção, este músculo vai cruzar o limite e dirigir-se para a crista intertrocantérica, como você pode ver aqui no fêmur. E esta área é conhecida como crista intertrocantérica porque ela existe como uma área entre o trocânter maior e o trocânter menor como você pode ver aqui nestas imagens.

Continuando, as funções associadas ao quadrado femoral. O que você precisa de saber é que o músculo quadrado femoral é um rotador externo da anca e um adutor da articulação do quadril. Agora que você completou esta videoaula, está na hora de continuar a sua aprendizagem, testando e aplicando o seu conhecimento.

Há três formas para o fazer aqui no Kenhub. A primeira é premir o nosso botão
“Faça teste”, a segunda é navegar pelos nossos artigos relacionados, e a terceira é visitar o nosso atlas.

Agora, boa sorte para todos, e até à próxima.

Continue a sua aprendizagem

Assista mais videoaulas

Mostre mais 21 videoaulas

Faça teste

Leia artigos

Mostre mais 10 artigos

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!