EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Músculos da parte anterior do pescoço

Este vídeo tem legendas em Português

Generalidades sobre os músculos da parte anterior do pescoço.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Olá pessoal! Aqui é o João, do Kenhub, seja bem vindo a outro tutorial de anatomia onde, desta vez, vou falar sobre os diferentes músculos do compartimento anterior do pescoço. Então o que vou fazer aqui é descrever os diferentes músculos que encontramos na parte anterior do seu pescoço.

E agora estamos olhando para o pescoço anteriormente, e você pode ver que se a gente remover a pele, a gordura, os vasos e os nervos, o que restaria seriam os ossos, que você pode ver aqui, e alguns dos músculos.

Agora vou remover esse músculo aqui, conhecido como platisma, para, expor o outro conjunto, ou a coleção completa de músculos que serão abordados neste tutorial. Vamos começar abordando ou falando sobre as diferentes origens, inserções, inervações e funções associadas a todos esses músculos, e esses músculos definem a parte anterior do seu pescoço.

Bem, a lista inclui o esternocleidomastóideo, os músculos escalenos, o grupo dos músculos infra-hióideos, o grupo dos músculos supra-hióideos, o músculo longo da cabeça, o músculo longo do pescoço e o platisma - aquele primeiro músculo que eu removi da imagem - então temos muito que abordar nesta videoaula.

Vamos começar com esse que você pode ver aqui, destacado em verde. Este é conhecido como o músculo esternocleidomastóideo. E esse músculo é um músculo do pescoço com duas cabeças. Temos um desses músculos de cada lado do pescoço, como você pode ver claramente nesta imagem.

O músculo se encontra superficialmente, de modo que ele é facilmente visível e palpável, logo todos nós já o vimos ou sabemos sobre ele, mas agora você sabe qual é de fato o nome que usamos para descrevê-lo em anatomia. Você pode ver e palpar o músculo esquerdo quando você vira a sua cabeça para a direita, e vice-versa.

Agora, em termos de origens do músculo esternocleidomastóideo, esse músculo possui duas cabeças: uma cabeça esternal e uma clavicular.

Então, a cabeça esternal se origina do manúbrio do esterno, como você pode ver claramente nesta imagem, enquanto a cabeça clavicular se origina do terço medial da clavícula, como você também pode ver aqui - então as duas cabeças do músculo esternocleidomastóideo.

Em termos de ponto de inserção desse músculo, a inserção ocorre no processo mastóideo do osso temporal. A linha nucal superior do osso occipital também funciona como ponto de inserção para o esternocleidomastóideo.

Em relação à inervação desse músculo, ele é inervado pelo nervo acessório, ou nervo craniano XI. Como você pode ver claramente aqui, destacado em verde e penetrando através dos músculos esternocleidomastóideos.

E repare que aqui, nesta imagem, estamos vendo essas estruturas de uma vista posterior. De uma vista posterior, você pode ver aqui os músculos faríngeos e os diferentes vasos sanguíneos que você pode encontrar no pescoço.

O músculo esternocleidomastóideo também é inervado por ramos diretos do plexo cervical.

Em relação às diferentes funções associadas ao músculo esternocleidomastóideo, a contração de um músculo esternocleidomastóideo flexiona a coluna vertebral cervical para o mesmo lado, o que chamamos de flexão ipsilateral, e pode ser visto aqui indicado por esta seta - quando você tenta encostar a sua orelha no seu ombro - e ele também faz a rotação da cabeça para o lado oposto, o que é conhecido como rotação contralateral.

Bem, a contração de ambos os músculos esternocleidomastóideos ao mesmo tempo leva ao que conhecemos como extensão dorsal ou elevação da cabeça - ou seja, quando você olha para o céu.

Além disso, esse músculo auxilia na inspiração, desde que a cabeça permaneça imóvel.

Então nós também consideramos que o músculo esternocleidomastóideo é um músculo auxiliar da inspiração.

Agora alguns fatos divertidos sobre o músculo esternocleidomastóideo, e um desses fatos divertidos é que o pulso carotídeo pode ser facilmente palpável no terço médio da margem anterior desse músculo.

E também é importante mencionar que ramos sensitivos do plexo cervical se fundem na margem dorsal desse músculo no ponto de Erb, ou punctum nervosum. Pode ser usado como uma área de punção para anestesia local.

Além disso, um fato curioso aqui é que, se você se lembrar bem, a famosa “pinça nervosa Vulcana”, da série Star Trek, é realizada ao aplicar uma pressão nesse ponto para fazer com que os inimigos desmaiem. Então como você pode ver, conhecer um pouco sobre anatomia pode ajudar você a entender o que está acontecendo nas suas séries preferidas.

Agora estamos prontos para seguir para o próximo grupo de músculos que você pode ver agora nesta imagem. Esses são conhecidos como músculos escalenos.

Existem três músculos escalenos que você precisa conhecer: o escaleno anterior, visto aqui agora escrito em Latim; o escaleno médio, e o escaleno posterior. E você pode vê-los facilmente aqui nesta imagem.

Então aqui você encontra aqui o escaleno anterior, e o escaleno médio somente um pouco mais atrás do escaleno anterior. E mais atrás desses dois você encontra, então, o escaleno posterior. E em Latim, a palavra “escaleno” significa “uma escada”. Então você pode memorizá-los se os imaginar como uma escada entre suas costelas e suas vértebras.

Agora vamos falar sobre o primeiro naquela lista. Este é o escaleno anterior. Em termos de pontos de origem, esse músculo se origina nos processos transversos da terceira à sexta vértebras cervicais. Em seguida ele percorre todo esse caminho para se inserir na primeira costela. E você pode ver claramente nessa imagem aqui o músculo, ou os dois músculos, se inserindo na primeira costela.

O próximo músculo sobre o qual vamos falar é conhecido como escaleno médio. Em termos de pontos de origem, o escaleno médio se origina nos processos transversos da terceira à sétima vértebras cervicais. E em termos de ponto de inserção, como você pode ver agora nessa imagem que estamos vendo de uma vista lateral esquerda do músculo, assim como o escaleno anterior esse músculo se insere na primeira costela, posteriormente ao escaleno anterior.

E por último na nossa lista está esse músculo aqui, o escaleno posterior. Quanto ao ponto de origem, ele tem sua origem nos processos transversos da quinta à sétima vértebras cervicais. Ele então percorre todo esse caminho para, então, se inserir não na primeira costela, mas dessa vez na segunda costela.

Agora, em termos da inervação dos diferentes músculos escalenos, vamos ver que esses músculos vão ser inervados por ramos diretos dos plexos cervical e braquial.

Em termos das diferentes funções associadas aos músculos escalenos, os músculos escalenos são capazes de realizar a elevação das costelas, como você pode ver aqui indicado por esta seta, e consequentemente o seu tórax. Por essa razão, eles também são considerados músculos acessórios da inspiração.

Quando um dos músculos se contrai, o que chamamos de contração unilateral, ele vai curvar a coluna cervical para o lado, o que chamamos de flexão lateral. E quando os dois músculos se contraírem, o que chamamos de contração bilateral especificamente do músculo escaleno anterior, eles vão causar a curvatura da coluna cervical para a frente - o que chamamos de flexão ventral, como você pode ver aqui, também representado por esta seta.

Agora estamos prontos para seguir em frente para o próximo grupo de músculos que você vê agora na tela. Bem, esses são conhecidos como os músculos infra-hióideos, e há uma lista de quatro músculos que nós precisamos abordar: o esternotireóideo, o tireo-hióideo, o esterno-hióideo, e o omo-hióideo. Agora, não desespere. Esses nomes são um pouco complicados, mas eles te fornecem pistas sobre onde esses músculos vão se inserir.

E sem mais delongas, vamos continuar com os primeiros da lista, o esternotireóideo e o tireo-hióideo.

Bem, esses dois músculos formam uma unidade, uma vez que o tireo-hióideo é uma continuação do músculo esternotireóideo. Em termos de pontos de origem, vamos ver que o músculo esternotireóideo vai se originar na superfície dorsal do manúbrio do esterno. E aqui você pode ver claramente nessa imagem, o músculo se originando do manúbrio do esterno.

O tireo-hióideo vai, então, se originar da cartilagem tireóidea, e você também pode ver aqui a cartilagem tireóidea e o ponto de origem do tireo-hióideo.

Quando se trata dos diferentes pontos de inserção desses músculos, porque um é a continuação do outro, o mais inferior deles, que é o músculo esternotireóideo, se insere na cartilagem tireóidea. O músculo tireo-hióideo então cursa até ao corpo e o corno maior do osso hioide. E você pode ver claramente aqui o ponto de inserção do músculo esternotireóideo, e também o ponto de inserção do músculo tireo-hióideo.

Vamos seguir em frente para o próximo da lista, que você vê agora destacado em verde. Esse é conhecido como músculo esterno-hióideo. E como o nome indica, a origem desse músculo vai ser, então, o esterno ou o manúbrio do esterno, o que você pode ver aqui claramente nessa imagem.

Mas para ser um pouco mais específico, o ponto de origem do músculo esterno-hióideo é a superfície dorsal do manúbrio do esterno, assim como a articulação esternoclavicular. Então esse músculo se vai estender e inserir ao longo do corpo do osso hioide. E como você pode ver, esse é o mais superficial de todos os músculos infra-hióideos.

Vamos seguir em frente para o próximo músculo da nossa lista, visto aqui destacado em verde, e como você pode ver, de todos os músculos que estamos vendo aqui, você sempre vai encontrar dois - um de cada lado do pescoço. Agora, esse é conhecido como músculo omo-hióideo. E ele é dividido em um ventre superior e um inferior.

Agora, em termos de pontos de origem, o ventre inferior se origina na margem superior da escápula, e então ele sobe craniomedialmente e se funde num tendão intermediário ao nível da região cervical lateral.

Agora, o ventre superior se origina no tendão intermediário.

E, quando se trata do ponto de inserção do omo-hióideo, distalmente, o músculo vai se inserir, então, no corpo do osso hioide.

Nós agora estamos prontos para falar sobre a inervação dos músculos infra-hióideos. Bem, todos os quatro músculos infra-hióideos são inervados pela ansa cervical profunda, que surge do plexo cervical. E podemos ver aqui a ansa cervical, destacada em verde.

Agora vamos dar uma olhada nas diferentes funções associadas aos músculos infra-hióideos. E esses músculos, em geral, serão responsáveis pelo posicionamento do osso hioide, juntamente com os músculos supra-hióideos, e também estão envolvidos na deglutição e no movimento da laringe e do osso hioide - então tudo relacionado, todos os movimentos que são relacionados aos pontos de inserção. Então quando esses músculos se contraem, eles irão produzir movimentos e ações ou funções associados a essas áreas do corpo.

Se quisermos ser um pouco mais específicos, todos os músculos infra-hióideos promoverão o que é conhecido como depressão do osso hioide - ou seja, vão traciona-lo para baixo.

Entretanto há uma exceção: o músculo esternotireóideo não se insere no osso hioide, logo ele não está envolvido na depressão desse osso.

Agora, o músculo esternotireóideo permite o rebaixamento da laringe, enquanto o tireo-hióideo faz o contrário, ou o que é conhecido como elevação - ou seja, quando o osso hioide está fixo.

O omo-hióideo tem uma função adicional devido à sua estrutura. Lembre-se que ele tem aquele tendão intermediário que nós vimos, e esse tendão se fixa à bainha carotídea que contém a veia jugular interna, a artéria carótida comum, o nervo vago, e linfonodos. E ao tracionar essa bainha, ele evita que a grande e fina veia jugular colapse, e mantém a baixa pressão na veia jugular interna. Desta forma, ele aumenta o retorno sanguíneo da cabeça para a veia cava superior.

Agora estamos prontos para seguir em frente para o próximo grupo de músculos. Eles então são conhecidos como músculos supra-hióideos. Os músculos supra-hióideos são quatro músculos que cursam da mandíbula até o osso hioide. E juntamente com os tecidos adjacentes, eles compõem o assoalho da boca.

A lista dos músculos supra-hióideos incluem o digástrico, o milo-hióideo, o gênio-hióideo, e o músculo estilo-hióideo.

Bem, vamos começar com esse que você está vendo aqui destacado em verde. Esse é conhecido como músculo digástrico. E ele consiste em duas partes, então Latim para dois ventres “digástrico”, que são então separados por esse tendão intermediário que você está vendo aqui.

Agora, em termos de pontos de origem desse músculo, o ventre anterior se origina na fossa digástrica da mandíbula, e o ventre posterior se origina no entalhe mastóideo do osso temporal.

Quando se trata do ponto de inserção do digástrico, os dois ventres se inserem no tendão intermediário. Então isso é o que consideramos como o ponto de inserção desse músculo.

Agora estamos prontos para seguir para o próximo da lista. Esse é conhecido como músculo milo-hióideo. E em termos de ponto de origem, esse músculo se origina na linha milo-hióidea da mandíbula.

As fibras do músculo seguem em direção a um tendão mediano conhecido como rafe milo-hióidea, onde ambas as partes do músculo se encontram. A rafe milo-hióidea continua o seu curso e se insere no corpo do hioide. E você pode ver claramente nesta imagem aqui a rafe milo-hióidea e depois o ponto de inserção, que será, então o corpo do osso hioide.

Agora estamos olhando para este nervo que você pode ver aqui, destacado em verde. E esta é, então, a inervação do músculo milo-hióideo. Este é o nervo mandibular. Os músculos são supridos ou inervados pelo nervo milo-hióideo do nervo mandibular, que é um dos três ramos do nervo trigeminal ou nervo craniano V.

Então uma coisa importante a referir é que o milo-hióideo e o ventre anterior do músculo digástrico são, assim, inervados pelo nervo milo-hióideo.

A seguir na nossa lista temos esse músculo que você pode ver aqui, destacado em verde, o músculo gênio-hióideo. Em relação ao ponto de origem desse músculo, ele vai se originar das espinhas mentonianas da mandíbula e da superfície interna da mandíbula.

O músculo vai se inserir distalmente ao corpo do osso hioide. E você também pode ver claramente aqui o músculo se inserindo no corpo do osso hioide.

Quando se trata da inervação do músculo gênio-hióideo, é importante mencionar que esse músculo vai ser inervado por ramos do plexo cervical - como você vê aqui, destacado em verde nessa imagem - e também pelo nervo hipoglosso, que está destacado em verde, o nervo craniano número 12.

Agora estamos prontos para seguir em frente para o próximo músculo que você vê aqui, o músculo estilo-hióideo, que vai se originar do processo estiloide do osso temporal.

Esse músculo vai se inserir, então, no corpo do osso hioide. E em sua parte distal o músculo se divide em dois tendões. E você pode ver claramente aqui o músculo se dividindo em dois tendões.

Uma nota sobre a inervação do músculo estilo-hióideo, esse nervo que você vê aqui, destacado em verde, é conhecido como nervo facial, e é ele que vai inervar o músculo estilo-hióideo.

Uma conclusão importante aqui é que o músculo estilo-hióideo e o ventre posterior do músculo digástrico são ambos inervados, então, pelo nervo facial.

Nós agora vamos abordar as diferentes funções associadas aos músculos supra-hióideos. Os músculos supra-hióideos foram o assoalho da boca e desempenham um papel importante na mastigação, na deglutição, e na fala. Juntamente com os músculos infra-hióideos, eles são responsáveis pelo posicionamento do osso hioide.

Mas se nós entrarmos um pouco mais em detalhes sobre as funções dos músculos supra-hióideos, o digástrico e o estilo-hióideo permitem a elevação do osso hioide durante a deglutição e também ajudam a manter a boca aberta.

Os músculos gênio-hióideos mobilizam o osso hioide para a frente e sustentam a abertura e o movimento lateral da mandíbula.

A principal função do músculo milo-hióideo é elevar o assoalho da boca, mas ele também pode auxiliar na abertura da mandíbula e nos movimentos mastigatórios.

Nós agora estamos prontos para seguir em frente para os outros dois músculos que vamos discutir nesse tutorial sobre o pescoço anterior. Esses são conhecidos como - este visto aqui - músculo longo da cabeça do lado esquerdo, e o do lado direito da imagem, músculo longo do pescoço. Eles são encontrados profundamente no pescoço, anteriores à espinha, e nos permitem flexionar nossas cabeças quando estamos assentindo.

Dê uma olhada melhor aqui no músculo longo da cabeça. Quando se trata da sua origem, esse músculo se origina nos tubérculos anteriores dos processos transversos da terceira à sexta vértebras cervicais. Ele então se estende para se inserir na parte basilar do osso occipital.

Vamos ver agora o músculo longo do pescoço. Em relação à sua origem, esse músculo tem várias origens, desde a terceira até a quinta vértebras torácicas.

Vamos seguir em frente agora para os pontos de inserção do músculo longo do pescoço. E as inserções desse músculo são as vértebras cervicais superiores, os processos transversos da quinta e sexta vértebras cervicais, e o tubérculo anterior do atlas.

Agora vamos ver a inervação que pode ser vista aqui, destacada em verde, dos músculos longo da cabeça e longo do pescoço. O que você precisa saber é que esses músculos são inervados por ramos do plexo cervical.

Queria dar uma palavra rápida sobre as diferentes funções associadas a esses músculos. A principal tarefa desses dois músculos é curvar o crânio para a frente - o que é conhecido como flexão ventral - e, além disso, eles causam a flexão lateral da coluna cervical e da articulação atlanto-occipital através da contração unilateral. Isso significa que uma parte do músculo irá contrair. Assim, vai auxiliar na flexão lateral do mesmo lado da contração, e isso nós chamamos geralmente de movimento ipsilateral.

Nós agora estamos prontos para seguir para o último músculo da nossa lista, que pode ser visto aqui destacado em verde. Daquela primeira lista que nós vimos neste tutorial, este é o platisma. E esse é meio que um músculo especial, o que faz com que ele seja ainda mais interessante de estudar.

O platisma é um par de músculos planos e superficiais do pescoço que é considerado parte dos músculos da face. O que o torna especial é que, diferente de outros músculos, pois ele está diretamente ligado à pele. Ele cobre completamente ambos os lados da frente do seu pescoço. E devido à sua inserção direta na pele, ele pode modificar a expressão facial assim como outros músculos faciais.

Mas se tivermos que mencionar o ponto de origem desse músculo, ele surge da fáscia que recobre as partes superiores do músculo peitoral maior e também do músculo deltoide.

E quando se trata do ponto de inserção desse músculo, suas fibras atravessam a clavícula e seguem obliquamente para cima e medialmente ao longo da lateral do pescoço em direção à pele da mandíbula.

O platisma também é inervado por esse nervo que você vê aqui destacado, o nervo facial, como também ocorre com outros músculos faciais que também são inervados, então, pelo nervo facial. E você pode ver que o platisma é inervado por ramos inferiores do nervo facial, os ramos cervicais do nervo facial.

Em termos das funções associadas ao platisma, a contração desse músculo leva à depressão da mandíbula, do lábio inferior e também dos cantos da boca.

Ele também tensiona e encurta a pele do pescoço, e é responsável pelas expressões faciais de grito e de ameaçar um inimigo, por exemplo.

Já que acabamos de explorar um dos músculos faciais, eu gostaria de terminar esse tutorial com essa imagem que você pode ver na tela agora.

Nós estamos olhando agora para uma imagem de um livro de Charles Darwin, “A Expressão das Emoções no Homem e nos Animais”, publicado em 1872. Ele explora determinados aspetos geneticamente determinados do comportamento.

Foi publicado 13 anos após “A Origem das Espécies”, e nesse livro, Darwin tenta rastrear a origem animal de características humanas, tais como o franzir dos lábios ao se concentrar ou a contração dos músculos ao redor dos olhos quando se sente raiva ou nos esforços de memória.

Darwin procurou a opinião de alguns eminentes psiquiatras britânicos durante a preparação desse livro, que constitui a principal contribuição de Darwin para a psicologia.

Pouco antes de terminar esse tutorial eu quis te oferecer algumas curiosidades e conhecimento adicional.

Agora que você acabou de completar esta videoaula, está na hora de você continuar sua experiência de aprendizado testando e também aplicando o seu conhecimento. Você pode fazer isso de três formas aqui no Kenhub. A primeira é clicando no botão “Faça o teste”, a segunda é procurando na nossa biblioteca de artigos relacionados, e a terceira é conferindo o nosso atlas. Bem, boa sorte a todos, e te vejo na próxima videoaula.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!