EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Pensando em aprender anatomia 3D? Pense novamente.

Crânio - vista anterior

Quando nós falamos para as pessoas sobre o Kenhub, frequentemente somos perguntados se o site apresenta modelos 3D do corpo humano. A expectativa é a de que uma plataforma online moderna para ensino (e aprendizagem) de anatomia deveria naturalmente suportar técnicas avançadas de visualização. Muito raramente as pessoas nos perguntam sobre o conceito didático por trás do Kenhub, ou como ele auxilia as pessoas a memorizar e armazenar a informação por um período de tempo mais longo, e de maneira mais eficiente. A questão então é: “estamos perdendo alguma coisa por não fornecer modelos 3D?”.

Nós acreditamos, e existem algumas pesquisas que defendem a teoria, que acontece o contrário. Em alguns casos as visualizações em 3D podem prejudicar a aprendizagem eficiente mais do que ajudar no processo: “... nossa conclusão é que o potencial para apresentação dinâmica de múltiplas orientações fornecidas por softwares de computadores relacionados a anatomia podem oferecer vantagens mínimas para alguns estudantes e, baseado em pesquisas anteriores, pode ser uma desvantagem para estudantes com uma habilidade espacial menor.” (fonte). Mesmo se os modelos 3D realmente melhorassem a experiência de aprendizagem, nós acreditamos que a visualização 3D individualmente não é suficiente para se aprender anatomia de maneira eficaz.

Visualização não é tudo

É verdade que ser capaz de visualizar uma estrutura anatômica complexa ou pouco familiar é muito importante. Afinal, nós vivemos em um mundo tridimensional e nossos corpos não são planos. Ser capaz de simular visualmente o verdadeiro corpo humano pode ter seus benefícios. Entretanto, a visualização não é o único desafio na aprendizagem de um determinado assunto. Na verdade, a nossa experiência e a opinião dada por nossos usuários demonstra que a visualização sozinha pode ser desconcertante.

Músculo iliaco (verde) - vista anterior

A quantidade de informação que um estudante típico precisa digerir é imensa. Para cada estrutura anatômica os alunos tipicamente precisam memorizar pelo menos o nome (algumas vezes em mais de uma língua).

Sobrecarga de informação

Adicionalmente, muitas estruturas anatômicas possuem uma função, ou se relacionam com outras estruturas. Os músculos possuem um ou mais pontos de origem e inserção, e cada um destes é um termo a mais a se memorizar. Quando essa informação é apresentada, seja em forma 3D ou 2D, ela geralmente se acompanha de outras informações que são essenciais para a aprendizagem.

Músculo latíssimo do dorso (verde) – vista posterior

Os atlas de anatomia típicos e muitos atlas tridimensionais que utilizam computadores irão apresentar muita informação de uma só vez. Não é incomum observar visualizações com dois ou três dúzias de termos anatômicos. É isso que nós consideramos “sobrecarga de informação”, e tentamos evitar a qualquer custo.

A pesquisa da Teoria da Carga Cognitiva (TCC) suporta fortemente essa visão. Especificamente um estudo conduziu várias experiências, uma das quais focada no fluxo sanguíneo no coração, nos pulmões e no corpo. Ao se separar a informação textual de diagramas, os estudantes demonstraram resultados cada vez melhores, em relação à informação integrada: “... a simples remoção de uma fonte redundante de informação pode reduzir o tempo de instrução e aumentar a aprendizagem”. Outros experimentos no mesmo trabalho focados em diferentes áreas da aprendizagem chegara a conclusões semelhantes. “O que é frequentemente assumido, algumas vezes de forma explícita mas mais frequentemente de maneira implícita, é que a informação técnica redundante é pelo menos neutra, e talvez benéfica em seus efeitos na aprendizagem, e isso deve ser questionado.”

Braço anterior da cápsula interna - vista axial

Demasiadas opções

A liberdade e a habilidade de controlar o seu ritmo, orientação e assimilação do assunto podem intuitivamente parecer uma coisa positiva para melhorar a experiência de aprendizagem. Possuir a habilidade de rodar, aproximar e focar em diferentes estruturas anatômicas, de diferentes ângulos pode ser considerado uma vantagem.

Entretanto algumas pesquisas parecem sugerir o contrário: “Esses achados podem ser vistos como inquietantes. Um objetivo presumível de todas as inovações educacionais é o de melhorar a aprendizagem, entretanto nós demonstramos que a adição de simulação dinâmica possui um impacto negativo na aprendizagem daqueles que mais necessitam: estudantes com uma habilidade espacial ruim.”

Músculo longuíssimo – vista axial

O que muitas plataformas de aprendizagem de anatomia 3D frequentemente não possuem é estrutura. Aprendizagem e em particular a memorização podem se beneficiar de uma abordagem sequencial e estruturada, que parece limitar o estudante. Mas em nossa opinião esses limites melhoram a aprendizagem, uma vez que eles aumentam o foco e reduzem a sobrecarga de informação. “Pode parecer evidente que os estudantes iriam obter considerável benefício do potencial que um computador possui de apresentar visualizações das estruturas em múltiplas orientações. Entretanto esses estudantes demonstraram que em algumas circunstâncias a apresentação de instrução complexa em multimídia sob controle do próprio estudante pode causar mais prejuízo que benefício”, o artigo concluiu.

Nossa abordagem

Nós não estamos tentando dizer que a nossa abordagem para o ensino de anatomia é comprovadamente superior em todos os casos. Existem méritos na utilização de visualizações 3D para se obter melhor compreensão de estruturas complexas. Entretanto deve-se ser cauteloso quando se considera essas formas de visualização como fonte primária de informação. Além disso, reduzir a carga cognitiva e fornecer foco pode melhorar de forma importante a experiência de aprendizagem de muitos assuntos, incluindo a anatomia.

Testes do Kenhub

O nosso foco está em alguns aspectos centrais:

  • Memorização – um aspecto vital na aprendizagem de anatomia é ser capaz de se lembrar do termo usado para nomear cada estrutura. Esse objetivo é mais facilmente alcançado quando a distração é minimizada e os elementos não criam uma sobrecarga. Cada um de nossos exercícios está focado em uma ou duas estruturas, não mais que isso. A combinação de diferentes elementos cognitivos (voz, visão e texto) ajudam a melhorar a memorização. A repetição e as várias estruturas dos exercícios ajudam a criar uma experiência focada mas interessante.

Potencialize sua memorização através dos nossos quizzes de anatomia humana com exercícios e questões que vão te ajudar a gabaritar seus exames de anatomia!

  • Conceitos didáticos – apresentar a informação não é suficiente. O principal objetivo de nossa plataforma é utilizar elementos didáticos durante o processo de aprendizagem. Nós reduzimos a “liberdade” para obter um nível alto de retenção da informação e reduzir a carga cognitiva.
  • Personalização – cada estudante é diferente e seus níveis e necessidades podem ser diferentes. Assim, uma experiência de aprendizagem deve ser direcionada individualmente para cada estudante.
  • Diversão – nós tentamos incorporar elementos de jogos em nossa plataforma, para tornar a experiência de aprendizagem mais lúdica. Mais uma vez, não se trata só de informação. A motivação possui um papel importante na aprendizagem eficiente.

Conclusão

Nós tentamos brevemente cobrir alguns dos aspectos sobre a aprendizagem da anatomia e relacionar a algumas pesquisas disponíveis nesse campo. Nós viemos de uma experiência muito prática e não afirmamos ter produzido evidência científica de que a nossa plataforma é necessariamente superior. Nós entendemos que a aprendizagem é uma experiência integrada, e que a aprendizagem mista deve ser o melhor método para se atingir os seus objetivos. Ainda assim gostaríamos que nossos estudantes percebessem o quanto o campo da anatomia é amplo, da mesma forma que nós estamos aprendendo conforme avançamos.

Destaques

No que diz respeito à aprendizagem, o foco do Kenhub está em vários aspectos centrais:

  • Memorização – um aspecto vital na aprendizagem de anatomia é ser capaz de se lembrar do termo usado para nomear cada estrutura. Esse objetivo é mais facilmente alcançado quando a distração é minimizada e os elementos não criam uma sobrecarga. Cada um de nossos exercícios está focado em uma ou duas estruturas, não mais que isso. A combinação de diferentes elementos cognitivos (voz, visão e texto) ajudam a melhorar a memorização. A repetição e as várias estruturas dos exercícios ajudam a criar uma experiência focada mas interessante.
  • Conceitos didáticos – apresentar a informação não é suficiente. O principal objetivo de nossa plataforma é utilizar elementos didáticos durante o processo de aprendizagem. Nós reduzimos a “liberdade” para obter um nível alto de retenção da informação e reduzir a carga cognitiva.
  • Personalização – cada estudante é diferente e seus níveis e necessidades podem ser diferentes. Assim, uma experiência de aprendizagem deve ser direcionada individualmente para cada estudante.
  • Diversão – nós tentamos incorporar elementos de jogos em nossa plataforma, para tornar a experiência de aprendizagem mais lúdica. Mais uma vez, não se trata só de informação. A motivação possui um papel importante na aprendizagem eficiente.
Mostrar referências

Referências:

  • Garg, Norman, Eva, Spero, & Sharan: Is there any real virtue of virtual reality?: the minor role of multiple orientations in learning anatomy from computers. 2002
  • van Merriënboer, J. J. G., & Ayres, P: Research on cognitive load theory and its design implications for e-learning. 2005
  • Chandler, Paul and Sweller, John: Cognitive Load Theory and the Format of Instruction, 1991
  • Levinson AJ, Weaver B, Garside S, McGinn H, Norman GR: Virtual reality and brain anatomy: a randomised trial of e-learning instructional designs, 2007
  • Pereira, Pleguezuelos, Merí, Molina-Ros, Molina-Tomás, Carlos Masdeu: Effectiveness of using blended learning strategies for teaching and learning human anatomy, 2007 

Autor:

  • Yoav Aner 

Ilustrações:

  • Crânio - vista anterior - Yousun Koh
  • Músculo iliaco - vista anterior - Liene Znotina
  • Músculo latíssimo do dorso – vista posterior - Yousun Koh
  • Braço anterior da cápsula interna - vista axial - radiografia
  • Músculo longuíssimo – vista axial - National Library of Medicine

Tradução para português e Layout:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
  • Beatriz la Féria
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!