EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Músculos do braço e do ombro

Este vídeo tem legendas em Português

Músculos do braço e da cintura escapular.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Ter uns músculos dos braços e ombros fortes como estes não é fácil. Pergunte a qualquer pessoa que o tenha conseguido. É preciso motivação, muita dor e muito suor. Mas quem quer uns braços destes quando pode ter uns braços assim?

Claro, se vai passar pela dificuldade de ter uns músculos como estes, mais vale saber nomear pelo menos alguns dos músculos em questão, e é precisamente isso que vamos fazer hoje. Por isso, quer você esteja mostrando os frutos dos seus muitos exercícios para os braços e ombros, quer apenas esteja tentando ter boa nota no seu exame de anatomia sobre o membro superior, fique atento enquanto exploramos os músculos do braço e ombro.

Então, para começar, vamos recordar as estruturas ósseas que fornecem os pontos de fixação para os músculos que vamos estudar hoje. Como você pode ver nesta ilustração, nós estamos olhando a face posterior do úmero
o qual, obviamente, é o maior osso do braço. Do lado esquerdo, você pode ver este osso em forma de triângulo, que conhecemos como escápula, ou também conhecido como omoplata.

Neste tutorial, em específico, nós vamos introduzir você aos músculos que têm os seus pontos de fixação num destes dois ossos. O objetivo do jogo hoje é ajudá-lo a aprender como identificar os músculos pela sua localização e pontos de fixação. Se você precisar de informação mais detalhada sobre
funções específicas e inervação de cada um dos músculos, por favor, cheque os nossos outros vídeos que aprofundam os músculos do ombro e os músculos do braço.

Nós vamos começar este tutorial agora, explorando os músculos da região do braço. Em primeiro lugar, queremos deixar claro que estes músculos podem ser divididos em dois grupos. O primeiro pertence ao compartimento anterior ou
ventral do braço e inclui o bíceps braquial, o coracobraquial e o músculo
braquial. Também poderá encontrar outro grupo que pertence ao compartimento posterior (ou dorsal) que inclui o ancôneo (ancónio) e ainda o tríceps braquial.

Agora, vamos começar pelo grupo anterior ou ventral, começando pelo músculo realçado a verde. Este músculo, como todos sabemos, é o bíceps braquial. Como o seu nome indica, o bíceps braquial tem duas cabeças - uma cabeça curta, localizada medialmente, como você pode ver aqui, e uma cabeça longa mais lateral, vista aqui. Cada cabeça do bíceps braquial tem uma origem ou fixação proximal diferente. No caso da cabeça longa, você pode vê-la originando-se aqui mesmo, daquilo que é conhecido como tubérculo supraglenoide da escápula (omoplata). Relativamente à cabeça curta, você pode ver a sua origem que se localiza aqui, nesta projeção distintiva do osso que é conhecida como processo (apófise) coracoide da escápula (omoplata). À medida que as duas cabeças continuam distalmente, elas se unem num único ventre que continua para se inserir aqui mesmo, na tuberosidade radial do rádio. O bíceps braquial também se insere em algum tecido laxo do antebraço, que é conhecido como fáscia antebraquial.

Agora, vamos continuar para o segundo membro do grupo anterior que é este músculo que você pode ver aqui marcado a verde. Agora, você consegue adivinhar qual é este músculo? Vou esperar alguns segundos - tique-taque. Sim, é mesmo o músculo braquial.

O músculo braquial se origina aqui, a partir da metade distal da face anterior do úmero e também a partir do septo intermuscular medial e lateral. Ao contrário do bíceps braquial, o braquial tem a sua inserção ou fixação distal na ulna (cúbito), especificamente no seu processo (apófise) coronoide e tuberosidade ulnar (cubital).

O terceiro músculo do compartimento anterior é este pequeno músculo aqui, que é o músculo coracobraquial e, como o nome sugere, tem a sua origem ou fixação proximal, no processo (apófise) coracoide da escápula (omoplata). E, a partir daqui, dirige-se distalmente ao longo da diáfise do úmero para se inserir na face ântero-medial do úmero.

E, assim mesmo, acabamos de discutir os músculos anteriores do braço. É literalmente tão fácil quanto contar um-dois-três, espero eu. Isto significa que é altura de nos voltarmos para o grupo posterior ou dorsal, começando pelo primeiro músculo da nossa lista, que é o tríceps braquial.

Como o seu nome sugere, o músculo tríceps braquial tem três cabeças. Então, existe a cabeça longa, vista aqui, que tem a sua origem ou fixação
proximal no tubérculo infraglenoide da escápula (omoplata), aqui mesmo. Existe também uma cabeça medial, que é a mais pequena das três, com origem na face posterior do úmero, distalmente ao sulco radial, e no septo intermuscular medial. A terceira cabeça é a cabeça lateral, que também tem a sua fixação proximal na face posterior do úmero; contudo, desta vez, proximal ao sulco radial e septo intermuscular lateral. As três cabeças do tríceps braquial unem-se num tendão comum, que atravessa o cotovelo antes de
se inserir no olecrâneo da ulna (cúbito).

Embora o tríceps braquial seja, de longe, o músculo dominante na região posterior de seu braço, existe um pequeno músculo que pode ser encontrado
nesta região e que é frequentemente negligenciado, que é o ancôneo (ancónio) agora realçado para você na tela. Como você pode ver, é um músculo relativamente pequeno e triangular que, na realidade, frequentemente se funde com o limite lateral do tendão do tríceps braquial, e que também se insere na extremidade proximal da ulna (cúbito).

Vamos agora continuar proximalmente, em direção à articulação do ombro, onde temos vários músculos para analisar, começando por este aqui, claro, o músculo deltoide. O músculo deltoide é o músculo mais superficial
da articulação do ombro e, por isso, é este músculo que dá a maior definição aos nossos ombros. Por isso, se você vir alguém com uns belos ombros, você já sabe qual é o músculo responsável.

O músculo deltoide tem três subdivisões ou partes, com base na sua origem ou fixação proximal e você verá em um momento que o nome de cada uma das partes nos ajuda a perceber o ponto de fixação em questão. Começando anteriormente, nós temos a parte clavicular do deltoide, que se fixa - sim, adivinhe - no
terço lateral da clavícula.

Olhando agora de uma perspetiva posterior, nós podemos ver a parte acromial que se origina do acrômio da escápula (omoplata). Já está vendo como
a terminologia aqui funciona. Nós gostamos de simplificar as coisas em anatomia. E, finalmente, a parte escapular espinhal que, de novo, tal como o nome indica, tem a sua origem na espinha da escápula (omoplata).

Agora, se nós removermos o grande músculo deltoide, assim, nós podemos ver melhor os músculos que se encontram profundamente a ele. Há cinco
músculos aqui para nós considerarmos - quatro dos quais pertencem à famosa coifa dos rotadores (manguito rotador) que, se você alguma vez teve alguma lesão do ombro, você já deve conhecer muito bem. Os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) têm uma característica em comum, na medida em que todos se inserem na extremidade proximal do úmero, e por causa disso, eles ajudam a suportar a articulação do ombro, ao manterem a cabeça
do úmero na sua posição correta na cavidade glenoide.

De uma perspetiva anterior, temos apenas um músculo da coifa dos rotadores (manguito rotador) para considerar, o músculo subscapular. Como o nome sugere, o músculo subscapular tem a sua origem ao longo de toda a fossa subscapular da escápula (omoplata). Como você pode ver na ilustração, o grande ventre do subscapular diminui de tamanho à medida que atinge a sua inserção, geralmente localizada no tubérculo menor do úmero.

Passando para o aspeto posterior agora, o segundo membro da coifa dos rotadores (manguito rotador) é o músculo infraespinhoso, que se origina da
Fossa infraespinhosa da escápula (omoplata). Ele se estende lateralmente onde ele se insere na face posterior do tubérculo maior do úmero. E, indo
inferiormente, nós encontramos o nosso terceiro membro da coifa dos rotadores (manguito rotador), que é conhecido como músculo redondo menor. Ele se origina da fossa infraespinhosa e bordo lateral da escápula (omoplata) e se insere imediatamente distalmente ao infraespinhoso, na face posterior do tubérculo maior do úmero.

E, finalmente, o nosso músculo número quatro da coifa dos rotadores (manguito rotador) é este aqui, realçado em verde, para si, que é chamado de músculo
supraespinhoso. Ele tem origem na fossa supraespinhosa da escápula (omoplata) e passa superiormente à cabeça do úmero para se inserir aqui, no tubérculo maior.

E aqui estão os quatro músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador). Uma pequena dica para ajudar você a se lembrar dos quatro músculos deste grupo é lembrar-se sempre que a cabeça do úmero se encontra (em inglês, “SITS”) na cavidade glenoide, sendo SITS uma pequena mnemônica que você pode usar.

Temos apenas mais um músculo a discutir aqui, que é o irmão maior do redondo menor, conhecido, de forma apropriada, como músculo redondo maior. Como podemos ver na ilustração, o músculo redondo maior tem a sua origem aqui mesmo, em torno do ângulo inferior da escápula (omoplata). Ele tem um ventre maior do que o seu irmão mais pequeno, e que se dirige em sentido ântero-superior para se inserir no aspeto anterior do úmero, mais especificamente na crista do tubérculo menor.

E isto conclui a nossa introdução aos músculos do ombro e braço. Antes de nós terminarmos o nosso tutorial, vamos ver novamente alguns dos músculos que abordamos hoje de uma perspetiva clínica.

Então, há alguns momentos atrás, nós identificámos os quatro músculos que fazem parte da coifa dos rotadores (manguito rotador) e aqueles que fazem exercício físico, jogam desportos ou usam os seus braços fisicamente nos seus trabalhos provavelmente estão familiarizados com o termo lesão da coifa dos rotadores (manguito rotador).

Há três principais tipos de lesão da coifa dos rotadores (manguito rotador). A tendinite, que é geralmente causada por sobreutilização da coifa dos rotadores (manguito rotador). Isto resulta em inflamação dos tendões da coifa dos rotadores (manguito rotador). Os jogadores de tênis e os pintores são frequentemente afetados desta forma e, tipicamente, experienciam uma dor consistente, em moedeira, em torno da articulação do ombro.

O segundo tipo é a bursite, que implica inflamação das bolsas subacromial e subdeltoidea. E, finalmente, temos distensões e ruturas da coifa dos rotadores (manguito rotador), que são causadas pela sobreutilização ou trauma agudo da articulação do ombro. Os tendões dos músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) podem sofrer estiramento ou rotura parcial ou completa. Estes tipos de lesões da coifa dos rotadores (manguito rotador) causam uma dor imediata e intensa, de certeza, e, por vezes, requerem intervenção cirúrgica.

Há algumas coisas que podemos fazer para prevenir a lesão da coifa dos rotadores (manguito rotador), começando por alongamentos diários do ombro para aumentar a flexibilidade da articulação do ombro. Além disso, muitas pessoas que fazem exercício físico tendem a focar-se nos músculos anteriores do tórax, braço e ombros, contudo, se você se lembrar do que vimos antes, muitos dos músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) encontram-se posteriormente à articulação do ombro. E isto significa que é importante fortalecer os músculos em torno da escápula (omoplata) e posteriores ao ombro, para otimizar o equilíbrio muscular da coifa dos rotadores (manguito rotador).

E, assim, terminamos o nosso tutorial. Vamos concluir com um curto resumo do que aprendemos hoje.

Começamos o nosso estudo pelos músculos do compartimento anterior do braço, que inclui três membros - o bíceps braquial, com as suas cabeças longa e curta. E nós olhamos o músculo braquial e, finalmente, o músculo coracobraquial.

Por fim, nós fomos para o lado contrário e identificamos dois músculos do compartimento posterior do braço, que são o tríceps braquial, com as suas cabeças longa, medial e lateral, e o pequeno músculo ancôneo (ancónio) localizado aqui, na região distal do braço.

Depois fomos para os músculos da articulação do ombro, começando pelo grande e superficial músculo do ombro, que é o deltoide. Nós identificamos as suas três partes, que são as partes clavicular, acromial e escapular espinhal. Nós depois olhamos os quatro músculos que, em conjunto, formam a coifa dos rotadores (manguito rotador). Estes são o músculo subscapular, bem como o músculo infraespinhoso, o músculo redondo (em inglês, “teres”) menor e, finalmente, o músculo supraespinhoso. E não se esqueça que estes músculos podem ser memorizados usando a mnemônica SITS ou S I T S. Ficou faltando apenas um último músculo a identificar, que é o músculo redondo maior.

E isso é tudo. Eu espero que você tenha gostado do nosso tutorial introdutório sobre os músculos do braço e ombro. Lembre-se de conferir os nossos outros vídeos no Kenhub, bem como outros testes, artigos, secções transversais, e muito, muito mais que você pode usar para aprender anatomia e histologia.

Obrigado por ver e vejo você numa próxima.

Continue a sua aprendizagem

Assista mais videoaulas

Mostre mais 1 videoaula

Faça teste

Leia artigos

Mostre mais 11 artigos

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!