EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Músculos da coifa dos rotadores

Esta videoaula de momento está apenas disponível em inglês.

Origens, inserções, inervação e funções dos músculos da coifa dos rotadores.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Transcrição

A articulação do ombro é a articulação mais flexível no corpo humano, permitindo-nos participar numa grande variedade de atividades, tais como nadar, tênis e ginástica. Contudo, o aumento da mobilidade implica menor estabilidade da articulação e torna a articulação do ombro particularmente suscetível a luxações.

Há várias formas de reduzir o risco de luxação da articulação do ombro, sendo uma delas através dos músculos de que vamos falar hoje - os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador).

Antes de começarmos, gostaria de lhe fornecer uma visão geral do que vamos falar hoje, neste tutorial. Então, em primeiro lugar, vamos ver os ossos que constituem a articulação do ombro uma vez que eles formam a estrutura óssea à qual os nossos músculos se fixam, e depois vamos dar uma pequena introdução aos músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) como um todo, antes de vermos cada músculo individualmente e discutirmos as suas origens, inserções, funções e inervação. E, por fim, vamos concluir o nosso tutorial com algumas notas clínicas sobre luxação da articulação do ombro.

Ok, então vamos começar pelos ossos da articulação do ombro. Então, como eu mencionei anteriormente, a articulação do ombro é a articulação mais móvel no corpo humano e isto é devido ao fato de que é uma articulação sinovial do tipo bola e soquete (esferoide), que podemos ver aqui de uma perspetiva anterior.

A bola da articulação é formada pela cabeça do úmero, que é uma estrutura do grande osso no nosso braço, o úmero, enquanto que o soquete é formado pela cavidade glenoide, que faz parte da escápula ou omoplata. E, assim, a articulação do ombro também é conhecida como articulação glenoumeral. Ok, agora que estamos familiarizados com a estrutura óssea à qual os nossos músculos se fixam, vamos continuar e ver os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador).

Então, antes de irmos aos detalhes, vamos orientar-nos, e aqui temos a nossa querida voluntária do Kenhub. Vamos chamá-la de Annie, e podemos ver aqui quer de uma perspetiva posterior quer de uma perspetiva anterior.

Então, se removermos a pele, o tecido conjuntivo (conectivo), os vasos e nervos e alguns músculos vizinhos - obrigado, Annie! - nós podemos ver os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador). Posteriormente, temos o supraespinhoso (supraespinhal), o infraespinhoso (infraespinhal) e o redondo menor, e anteriormente temos o subescapular.

Então, agora, vamos colocar a Annie de lado para nós e vamos remover algum do tecido laxo na vizinhança e o úmero, e aqui podemos ver os quatro músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador). E, mais uma vez, podemos ver o supraespinhoso (supraespinhal), o infraespinhoso (infraespinhal) e o redondo menor posteriormente, e o subescapular anteriormente.

Uma ferramenta útil para o ajudar a lembrar-se dos músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) é a frase em Inglês “The head of the humerus SITS in the glenoid cavity”, sendo SITS uma mnemônica útil para você usar aqui, sendo que S corresponde ao supraespinhoso (supraespinhal), I corresponde ao infraespinhoso (infraespinhal), T corresponde ao redondo (teres) menor, e S corresponde ao subescapular.

Ok, agora que sabemos o que estamos olhando, deixe-me dar-lhe mais alguma informação sobre estes músculos como um todo. Então, na generalidade, os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) originam-se da escápula (omoplata) e inserem-se no úmero, que fica neste ponto aqui.

Quanto às suas funções, estes músculos trabalham em conjunto para reduzir o risco de luxação estabilizando a articulação do ombro. Essencialmente, eles ajudam a manter a cabeça do úmero na sua posição correta na cavidade glenoide, e, como o seu nome sugere, os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) também têm um papel importante na rotação medial e lateral do braço na articulação do ombro.

Então, agora que estamos familiarizados com os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) como um todo, vamos ver cada músculo individualmente, e vamos discutir as suas origens, inserções, função e inervação.

Então, o primeiro músculo de que vamos falar é o supraespinhoso (supraespinhal), que podemos ver aqui realçado a verde. Como o próprio nome sugere, este músculo origina-se da fossa supraespinhosa (supraespinhal) da escápula (omoplata) que é uma pequena depressão no corpo da escápula (omoplata) superiormente à sua espinha. O músculo segue para se inserir aqui, no tubérculo maior do úmero. Assim, quando o supraespinhoso (supraespinhal) se contrai, inicia a abdução do braço na articulação do ombro e, como músculo da coifa dos rotadores (manguito rotador), também estabiliza a articulação do ombro. E, claro, para este músculo realizar a sua função, requer inervação, e o supraespinhoso (supraespinhal) é inervado pelo nervo supraescapular que tem origem no tronco superior do plexo braquial.

Inferiormente à espinha da escápula (omoplata), encontramos o músculo infraespinhoso (infraespinhal), e este músculo origina-se da fossa infraespinhosa (infraespinhal) da escápula (omoplata), e, tal como o supraespinhoso (supraespinhal), ele insere-se aqui, no tubérculo maior
do úmero.

Quanto às suas funções, o infraespinhoso (infraespinhal) é responsável pela rotação lateral do braço na articulação do ombro, e também estabiliza a articulação do ombro. E, tal como o supraespinhoso (supraespinhal), este músculo é inervado pelo nervo supraescapular, que podemos ver aqui realçado a verde.

Então, o próximo músculo da coifa dos rotadores (manguito rotador) de que vamos falar é o músculo redondo menor, e este músculo origina-se da fossa infraespinhosa (infraespinhal) e bordo lateral da escápula (omoplata). Ele depois dirige-se, como você pode ver, obliquamente em sentido superior e lateral, para se inserir no tubérculo maior do úmero.

A contração deste músculo resulta em rotação lateral do braço na articulação do ombro e, claro, ele também estabiliza a articulação do ombro. Quanto à sua inervação, o redondo menor é inervado pelo nervo axilar, que nós podemos ver aqui realçado em verde.

Ok, então para vermos o último músculo da coifa dos rotadores (manguito rotador), temos de mudar para uma vista anterior da articulação do ombro e, aqui, podemos ver o músculo subescapular que se origina da fossa subescapular. Ao contrário dos seus companheiros, este músculo insere-se no
tubérculo menor do úmero, como podemos ver aqui. O subescapular é responsável pela rotação medial do braço na articulação do ombro e também estabiliza a articulação do ombro. No que concerne à inervação do músculo subescapular, este músculo é inervado pelos nervos subescapular superior e inferior, que são ramos do cordão posterior do plexo braquial.

Ok, agora, à medida que nos aproximamos do fim do nosso tutorial, devemos sentir-nos confortáveis com os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador). Vamos passar a discutir algumas notas clínicas relacionadas com a luxação da articulação do ombro.

Então, como eu disse no início do nosso tutorial, a articulação do ombro é a articulação mais flexível do corpo humano, o que significa que é particularmente vulnerável a luxações. E, uma vez que temos formas de reduzir o risco de luxação, como os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador), é precisa uma força bem forte para tirar esta articulação do soquete e, por isso, isso é normalmente causado por uma queda ou colisão com
outra pessoa ou um objeto.

Então, a maior parte das pessoas desloca o seu ombro quando jogam um desporto de contato, como rugby, ou ao realizar desportos que têm um potencial para quedas frequentes ou de alto impacto, como ginástica. Contudo, em indivíduos mais velhos, pode também ser causada por uma queda sobre as mãos estendidas e a maior parte das luxações do ombro envolvem a luxação anterior da cabeça do úmero, que nós podemos ver neste raio-x.

Então, aqui, nós podemos ver a cabeça do úmero e, atrás dela, podemos ver a cavidade glenoide da escápula (omoplata). Assim, os sintomas de uma luxação do ombro incluem dor intensa, incapacidade de mobilizar a articulação, e deformação visível da articulação do ombro. E em termos de tratamento, podemos realizar um procedimento chamado de redução, no qual o médico roda o braço até que ele volte ao seu soquete, e alguns doentes lesionam os seus tecidos laxos quando deslocam o seu ombro e podem precisar de cirurgia para os reparar.

Então, a recuperação requer repouso e medicamentos para a dor, bem como fisioterapia para melhorar a força e a mobilidade, e pode demorar três a quatro meses para recuperar completamente de uma luxação do ombro.

Ok, antes de terminarmos o nosso tutorial, vamos rever rapidamente o que aprendemos hoje. Nós começamos o nosso tutorial falando sobre os ossos da articulação do ombro, que são o úmero e a escápula, e depois falamos sobre os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador) como um todo, antes de olharmos cada músculo individualmente e discutirmos a sua origem, inserção, função e inervação.

E, finalmente, nós terminamos o nosso tutorial com algumas notas clínicas sobre a luxação da articulação do ombro. E isto leva-nos ao fim do nosso tutorial sobre os músculos da coifa dos rotadores (manguito rotador).

Espero que você tenha gostado.

Obrigado por assistir e bom estudo.

Continue a sua aprendizagem

Assista mais videoaulas

Mostre mais 1 videoaula

Faça teste

Leia artigos

Mostre mais 11 artigos

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Crie sua conta gratuitamente.
Comece a aprender anatomia em menos de 60 segundos.