Conexão perdida. Por favor atualize a página.
Conectado
EN | DE | PT | ES Contato Como estudar Entrar Cadastrar
Pronto para aprender?
Selecione a sua ferramenta de estudo favorita

Valvas cardíacas

As valvas cardíacas são estruturas muito importantes do sistema cardiovascular, relacionadas a orientação da direção do fluxo sanguíneo durante o ciclo cardíaco. O coração é um tubo muscular, que ao se contrair empurra o sangue ao longo do sistema circulatório. Sem suas válvulas, o fluxo sanguíneo seria espalhado tanto na direção anterógrada (normal) quanto na direção retrógrada (oposta). As valvas atuam como portões que impedem que o fluxo ocorra na direção retrógrada.

O coração humano possui quatro valvas:

  • A valva tricúspide, situada entre o átrio e o ventrículo direitos
  • A valva pulmonar, entre o ventrículo direito e a circulação pulmonar
  • A valva mitral, localizada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo
  • E a valva aórtica, que fica entre o ventrículo esquerdo e a circulação sistêmica.

Esse artigo vai discutir mais detalhes sobre a anatomia de cada uma das valvas do coração, e no final trará algumas considerações clínicas relevantes.

Informações importantes sobre as valvas cardíacas
Valva tricúspide Também conhecida como valva atrioventricular direita
Impede o refluxo sanguíneo do ventrículo direito para o átrio direito
Três cúspides:
anterior (anterossuperior), septal e posterior (inferior)
Associada a três músculos papilares: anterior, medial ou septal e inferior.
Valva pulmonar Impede o refluxo sanguíneo da circulação pulmonar para o ventrículo direito
Três válvulas:
anterior (não adjacente), direita (adjacente direita) e esquerda (adjacente esquerda)
Não é associada a músculos papilares
Valva mitral Também conhecida como valva bicúspide, ou valva atrioventricular esquerda
Impede o refluxo sanguíneo entre o ventrículo esquerdo e o átrio esquerdo
Duas cúspides:
anterior (aórtica, maior, anteromedial ou septal) e posterior (ventricular, mural, posterolateral ou menor)
Associada aos músculos papilares posteromedial e anterolateral
Valva aórtica Impede o refluxo sanguíneo da circulação sistêmica para o ventrículo esquerdo
Três válvulas:
coronária direita (anterior), coronária esquerda (posterior esquerda) e não coronária (posterior direita ou não adjacente)

Princípios gerais

A videoaula abaixo vai lhe ajudar a se familiarizar com as estruturas anatômicas do coração que você precisa conhecer para compreender esse artigo:

Terminologia

Antes de tudo, é importante fazer uma consideração sobre os termos incluídos no texto. Existem algumas variações na terminologia referente ao coração em Português do Brasil e Português Europeu. Essa variação de terminologia pode ser bastante confusa, portanto serão explicitadas abaixo:

  • Em Português do Brasil o termo átrio é equivalente ao termo aurícula, utilizado em Português Europeu.
  • O termo aurícula em Português do Brasil faz referência a outra estrutura, que em Português Europeu é chamada de apêndice auricular ou auriculeta. Em Português do Brasil também é utilizado o termo apêndice atrial.
  • O termo valva, utilizado em Português do Brasil, corresponde ao termo válvula, em Português Europeu.
  • No Português brasileiro o termo válvula pode ser utilizado como referência aos componentes das valvas, ou seja, como sinônimo dos termos cúspide e folheto, principalmente ao se fazer referência às cúspides das valvas semilunares (aórtica e pulmonar). O contrário ocorre em Português Europeu, que usa o termo valva como sinônimo de cúspide.

Para tornar o texto desse artigo mais claro, a partir desse ponto utilizaremos exclusivamente a terminologia em Português do Brasil.

Ciclo cardíaco

Para entender a função das valvas cardíacas é preciso conhecer o caminho que o sangue percorre no interior do coração e quando deixa este órgão para entrar no restante do sistema circulatório.

O sangue chega ao coração vindo da circulação sistêmica pelas veias cavas superior e inferior, que se abrem no átrio direito. Ele então é bombeado para o ventrículo direito, que o envia para o tronco da artéria pulmonar, ou seja, para a chamada circulação pulmonar. Depois de ser oxigenado nos pulmões ele retorna ao coração, chegando através das veias pulmonares até o átrio esquerdo. Ele passa então ao ventrículo esquerdo, que o envia para a aorta, fazendo com que ele entre novamente na circulação sistêmica. Depois de circular pelos diversos órgãos e tecidos do corpo, o sangue retorna ao coração pelas veias cavas superior e inferior, reiniciando o ciclo.

Faça uma pausa na leitura e avalie seus conhecimentos sobre o ciclo cardíaco:

Valvas atrioventriculares vs. valvas semilunares

As valvas cardíacas são didaticamente agrupadas em dois pares, chamados de valvas atrioventriculares e valvas semilunares. 

O coração é dividido em quatro câmaras, dois átrios (um direito e um esquerdo) e dois ventrículos (novamente, um direito e um esquerdo). As valvas atrioventriculares estão posicionadas na margem entre os átrios e seus respectivos ventrículos. Durante a contração ventricular, também conhecida como sístole ventricular, essas valvas se fecham, impedindo que o sangue flua em direção aos átrios. Em seguida, durante o relaxamento ou diástole ventricular, elas se abrem, permitindo que o sangue flua dos átrios em direção aos ventrículos. As valvas tricúspide e mitral são valvas atrioventriculares.

Já as valvas semilunares encontram-se entre o coração e as circulações pulmonar e sistêmica. Essas estruturas impedem que o sangue flua de volta para os ventrículos após deixar o coração em direção aos pulmões ou aos demais órgãos do corpo. As valvas pulmonar e aórtica são valvas semilunares.

Agora que entendemos esses conceitos fundamentais sobre o ciclo cardíaco e a classificação das valvas cardíacas, estamos pronto para ver os detalhes da anatomia de cada valva.

Valva tricúspide

A valva tricúspide, também conhecida como valva atrioventricular direita, é encontrada entre o átrio direito e o ventrículo desse mesmo lado. Essa valva é formada por dois componentes principais: um anel fibroso, que determina um orifício na valva, através do qual o sangue pode passar do átrio para o ventrículo direito, e três cúspides (daí o nome “tricúspide”), que são projeções teciduais que se inserem no anel fibroso e fecham o seu orifício durante a contração ventricular.

As cúspides de uma valva são nomeadas de acordo com a posição delas ao longo do anel fibroso. A valva atrioventricular direita possui as cúspides anterossuperior, que é a maior delas, orientada anterior e superiormente, septal, que é a de menores dimensões, voltada para o septo interventricular e inferior, situada mais inferiormente.

Além das margens, a valva tricúspide possui um anel fibroso que forma seu orifício. Ele possui um diâmetro de aproximadamente 10 a 11 cm.

As cúspides da valva tricúspide se inserem em extensões musculares que se projetam a partir das paredes do ventrículo direito, chamadas de músculos papilares. Elas o fazem através de fibras colágenas chamadas de cordas tendíneas.

Há dois músculos papilares maiores e um menor relacionados à valva tricúspide:

  • O músculo papilar anterior é o maior dos três músculos papilares. Ele se origina a partir da parede ventricular anterolateral direita, e se funde à parte direita da banda moderadora, também chamada de trabécula septomarginal).
  • O menor dos três músculos é o músculo papilar septal ou medial. Ele se localiza mais medialmente, e se insere no septo interventricular.

A banda moderadora ou trabécula septomarginal se estende entre o septo interventricular e a base do músculo papilar anterior, servindo como conduto para uma parte do feixe atrioventricular, uma estrutura que conduz os impulsos elétricos do nó sinoatrial (marcapasso cardíaco) para o restante do ventrículo. 

É importante ressaltar que podem haver vários músculos papilares adicionais menores e menos consistentes.

Valva pulmonar

A valva pulmonar está localizada na base do tronco da artéria pulmonar, e impede o refluxo de sangue deste vaso em direção ao ventrículo direito. Suas válvulas (cúspides) possuem um formato de meia-lua crescente e se inserem no esqueleto cardíaco, e por isso ela faz parte das chamadas valvas semilunares.

Durante a vida fetal, as válvulas da valva pulmonar são chamadas de anterior, posterior e septal. Entretanto, mais adiante na vida intra-uterina acontece uma rotação dessas valvas, e os nomes das válvulas na vida adulta refletem sua nova posição. Elas são chamadas de anterior (não adjacente), direita (adjacente direita) e esquerda (adjacente esquerda).

A valva semilunar não se insere em cordas tendíneas ou em músculos papilares.

Valva mitral

A valva mitral, também conhecida como valva bicúspide ou valva atrioventricular esquerda, situa-se entre o átrio e o ventrículo esquerdos. Ela também possui um anel fibroso, no qual normalmente se inserem duas cúspides (daí ser chamada de “valva bicúspide). Apesar disso, alguns indivíduos podem possuir pequenas cúspides acessórias entre as duas cúspides principais dessa valva, e portanto ela não é totalmente “bicúspide”. As cúspides da valva mitral são:

  • A cúspide anterior, também chamada de aórtica, maior, anteromedial ou septal.
  • A cúspide posterior, também chamada de ventricular, mural, posterolateral ou menor.

Outra curiosidade que vale a pena mencionar é a origem do nome mitral. Ele se origina da palavra “mitra”, que é um adorno utilizado na cabeça por membros da alta hierarquia da igreja católica, como papas e bispos, e faz referência ao formato das cúspides dessa valva, que lembra o adorno religioso.

A valva mitral, a exemplo da valva tricúspide, também se insere em músculos papilares que se projetam a partir da parede lateral do ventrículo esquerdo. Há um músculo papilar posteromedial, também conhecido como inferoseptal ou posterior, que se origina da parte diafragmática da parede ventricular, e um músculo papilar anterolateral, também chamado de músculo papilar anterior, que se origina da superfície esternocostal da parede cardíaca.

Valva aórtica

A valva aórtica é a maior das duas valvas semilunares. Ela está situada entre a raiz da aorta e o ventrículo esquerdo, e impede refluxo sanguíneo da primeira para a segunda estrutura. A valva aórtica não possui um anel colágeno que serve como ponto de inserção para suas cúspides. Portanto, afirmar que ela possui um anel não é uma informação precisa. Em vez disso, há três arcos fibrosos triangulares, que funcionam como pontos de inserção para as cúspides da valva aórtica.

As válvulas da valva aórtica são denominadas de acordo com as origens dos vasos coronarianos que emergem próximos às suas inserções na raiz da aorta. Assim, há a válvula coronária direita, também chamada de anterior, a coronária esquerda, também conhecida como posterior esquerda e a não coronária, também chamada de posterior direita ou não adjacente. Essa nomenclatura é compartilhada com os seios que essas cúspides determinam na raiz da aorta.

Agora é o momento de testar os seus conhecimentos recém-adquiridos sobre as valvas cardíacas:

Valvas cardíacas - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.
Entediado pela anatomia? Experimente Isto

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?