EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Nervo hipoglosso

Este vídeo tem legendas em Português

Percurso, ramos e núcleos do nervo hipoglosso.

Fantástico!
A sua primeira videoaula. Continue para o teste abaixo para solidificar o seu conhecimento.

Destaques

Transcrição

Olá a todos! Aqui é a Nicole, do Kenhub, e sejam bem-vindos a esta videoaula sobre a anatomia do nervo hipoglosso. O nervo hipoglosso é um dos doze nervos cranianos, e possui uma função principal, que é fazer exatamente o que você vê aqui. Sim, este é o nervo que controla a maioria dos músculos da sua língua.

Então primeiramente deixe-me dar uma visão geral do que nós vamos discutir hoje nesta videoaula, e nós vamos começar primeiro descrevendo o trajeto e a anatomia do nervo hipoglosso, levando em conta seu papel na inervação dos músculos infra-hióideos, bem como a inervação da língua, incluindo os músculos intrínsecos e extrínsecos. E por último nós vamos concluir com as implicações clínicas de lesões ao nervo hipoglosso.

O nervo hipoglosso é o décimo segundo nervo craniano, e leva apenas informações motoras, ou seja, ele não carrega informações sensitivas da língua de volta ao cérebro. E se nós observarmos o nome hipoglosso, ele pode ser dividido em hipo-, que significa abaixo, e -glosso, que significa língua, então o papel do nervo é inervar a língua inferiormente.

Como eu mencionei no começo desta videoaula, a principal função do nervo hipoglosso é a inervação de músculos que trabalham para modificar a posição e o formato da língua. Ele portanto está envolvido no processo de mastigação e deglutição, e formação da fala, ou fonação. Ele também está envolvido na inervação dos músculos infra-hióideos, e estes também estão envolvidos na fala e na deglutição.

Mas vamos começar com uma breve revisão do trajeto do nervo hipoglosso.

Bem, nesta imagem nós temos uma visão lateral de uma parte da região da cabeça e do pescoço, e para te dar uma breve visão geral, tanto o nervo esquerdo como o direito se originam aqui no tronco encefálico. Eles então passam através do canal do hipoglosso, e em seguida se movem inferiormente, anteriormente, e finalmente superiormente, para inervar os músculos da língua. Então vamos dividir este trajeto e observá-lo passo a passo para um pouco mais de detalhe.

O núcleo do nervo hipoglosso, que nós podemos ver aqui em verde, está localizado no bulbo do tronco encefálico, ao nível do trígono hipoglossal, que é uma ligeira elevação no assoalho do recesso inferior do quarto ventrículo. Ele então deixa o crânio através do canal do hipoglosso, que está indicado em verde bem aqui, quando observamos de uma perspectiva superior. O canal do hipoglosso é uma estrutura bilateral, o que significa que existe um de cada lado, lateralmente ao forame magno, e ele dá passagem exclusivamente ao nervo hipoglosso, ou seja, nenhum vaso sanguíneo ou outros nervos passam através do canal hipoglosso.

Uma vez fora do crânio, o nervo cursa verticalmente para baixo, entre a artéria carótida interna e a veia jugular interna, antes de girar lateralmente, próximo ao corno maior do osso hioide. Ao longo de seu curso, o nervo hipoglosso recebe um ramo do plexo cervical, e este ramo contém fibras dos ramos anteriores dos nervos espinhais C1 e C2, que nós podemos ver nesta imagem aqui.

É importante lembrar que estas fibras não se combinam com o nervo hipoglosso, mas cursam dentro da bainha do nervo. Pense como se estes nervos pegassem uma carona com o nervo hipoglosso para chegar aos seus destinos, que são os músculos infra-hióideos. Então vamos ver como a combinação destas fibras nervosas junto ao nervo hipoglosso estão envolvidas na inervação dos músculos infra-hióideos.

A função do nervo hipoglosso próprio é inervar os músculos da língua, que nós vamos explorar em mais detalhes em breve. Antes disso, entretanto, eu gostaria de observar estes ramos inferiores bem aqui, e eles contêm fibras dos nervos espinhais C1 e C2, que nós vimos há pouco, e elas são contínuas com fibras dos nervos espinhais de C2 a C4, formando um circuito conhecido como alça cervical, que também é chamada de alça hipoglossal.

Conforme o nervo hipoglosso cursa inferiormente e passa entre a artéria carótida interna e a veia jugular interna, muitos dos nervos originados do nervo espinhal C1 mas contidos na bainha do nervo hipoglosso emergem, como visto aqui, e isto é conhecido como raiz ou radícula da alça cervical.

Conforme ele cursa inferiormente, ele dá origem a ramos musculares, que inervam o ventre superior do músculo omo-hióideo e a raiz superior da alça cervical também inerva os músculos esternotireóideo e esterno-hióideo, e este nervo às vezes também é chamado de ramo descendente do nervo hipoglosso. Conforme o nervo se curva mais inferiormente e posteriormente, ele se continua com a raiz inferior da alça cervical, que nós podemos ver nesta imagem, e esta raiz recebe ramos dos nervos espinhais C2, C3, e algumas vezes C4. Ela também inerva o ventre inferior do músculo omo-hióideo.

Voltando ao nervo hipoglosso, depois que ele se ramifica para a alça cervical, ele continua anteriormente, logo emitindo outro ramo, conhecido como nervo para o músculo tireo-hióideo, que, conforme seu nome diz, fornece inervação motora para o músculo tireo-hióideo, como nós vemos nesta imagem aqui. O papel deste músculo é deprimir o osso hioide e elevar a laringe.

Agora eu vou parar aqui por um momento e respirar, por que isto vai ficar um pouco complicado. Eu quero mencionar aqui que a inervação do músculo tireo-hióideo é um assunto controverso na literatura. Veja bem, apesar de o nervo para o músculo tireo-hióideo frequentemente ser um ramo direto do nervo hipoglosso, ele contém fibras nervosas derivadas do nervo espinhal C1, portanto você pode ver a inervação deste músculo como vinda tanto do nervo hipoglosso como do nervo espinhal C1.

Para complicar as coisas ainda mais, alguns livros podem ainda descrever a inervação do músculo tireo-hióideo como originária do ramo tireo-hióideo da alça cervical, e não como um ramo direto emergindo do nervo hipoglosso, e isso é geralmente considerado uma variação da anatomia típica, mas esta explicação poderá te economizar dúvidas quando for estudar para as suas provas finais.

Você vai ficar feliz de saber que nós vamos continuar e deixar para trás o músculo tireo-hióideo agora, e observar o nervo hipoglosso no local de sua principal função, que é a inervação dos músculos da língua através de seus ramos linguais. E existem músculos intrínsecos e extrínsecos da língua. Vamos começar com os quatro músculos intrínsecos.

Agora nós estamos vendo um corte coronal da língua, com o nervo hipoglosso destacado em verde mais uma vez, e, como mencionamos, o nervo hipoglosso inerva os músculos intrínsecos da língua, que mudam a forma da própria língua. Estes músculos incluem o músculo longitudinal superior, que é responsável por elevar a ponta da língua; o músculo longitudinal inferior, que encurta a porção inferior da língua; o músculo transverso, que ajuda a estreitar e alongar a língua; e o músculo vertical, que ajuda a achatar a língua.

Então agora que nós vimos os músculos intrínsecos da língua, vamos dar uma olhada nos músculos extrínsecos.

Os músculos extrínsecos da língua são músculos que se prendem a osso e alteram a posição da língua na boca, e eles incluem o músculo estiloglosso, que ajuda na retração e elevação da língua; o músculo hioglosso, que ajuda na depressão e retração da língua; e o músculo genioglosso, que é o principal músculo responsável por mostrar a sua língua, quando você não gosta de alguma coisa; e finalmente o músculo palatoglosso, que funciona para elevar o dorso da língua.

Devemos mencionar que os ramos linguais do nervo hipoglosso inervam todos estes músculos, exceto o último deles, o palatoglosso, que é inervado pelo nervo vago, também conhecido como décimo nervo craniano.

Então estamos chegando ao fim de nossa jornada com o nervo hipoglosso, mas existe um último ramo que eu quero te mostrar, e é este aqui, que é conhecido como nervo para o músculo gênio-hióideo, que, como você adivinhou, inerva o músculo gênio-hióideo.

E este é mais um destes nervos ligeiramente complicados, no sentido de que apesar de ser fisicamente um ramo do nervo hipoglosso, ele contém fibras que se originam do nervo espinhal C1, e como vimos no nervo tireo-hióideo, você frequentemente vai ver a inervação do músculo gênio-hióideo descrita como originada do nervo espinhal C1, apesar de ele fisicamente parecer ser um ramo do nervo hipoglosso.

Muito bem, com isso nós discutimos a anatomia do nervo hipoglosso, então vamos continuar e ver algumas das implicações clínicas do nervo hipoglosso.

Então, como nós falamos mais cedo, a principal função do nervo hipoglosso é inervar os músculos que movem a língua na boca, bem como alterar a própria forma da língua, e isso é importante para tarefas como a fala e a deglutição. Assim, lesões no nervo hipoglosso vão afetar estas funções. E as lesões podem ser causadas por muitas coisas, como acidentes vasculares cerebrais, tumores, trauma, infecções ou neurodegeneração, e isso pode resultar em uma paralisia da língua.

Pacientes com paralisia do nervo hipoglosso vão se apresentar com desvio da língua para um lado, dependendo se o nervo esquerdo ou direito foi afetado, e em qual nível. Os músculos da língua podem ter começado a se atrofiar no lado afetado, e algum grau de torção muscular pode também estar presente.

Então, para examinar a função do nervo hipoglosso, nós normalmente pedimos ao paciente para pôr a língua para fora, e se houver algum dano ao nervo, a língua vai sair para um lado. Se houver lesão em um neurônio motor superior, a língua vai se curvar para o lado oposto da lesão, e, ao contrário, se houver lesão do neurônio motor inferior, a língua irá se curvar na direção do lado da lesão, e geralmente, algum grau de atrofia e torção muscular é observada nas lesões do nervo hipoglosso superior.

Desvio muscular pode se apresentar quando há lesão do nervo hipoglosso, e, neste caso, a lesão pode ser avaliada ao pedir para o paciente pressionar a face interna de sua bochecha, e sentir quanta pressão ele é capaz de aplicar. Ao examinar o paciente, você deve ainda avaliar se a sua fala está enrolada, com a língua às vezes sendo descrita como pesada ou atrapalhada.

Muito bem, então vamos resumir tudo que nós aprendemos hoje.

O nervo hipoglosso - o décimo segundo nervo craniano - se origina no núcleo do nervo hipoglosso, no tronco encefálico. Ele cursa através do canal do hipoglosso, e recebe ramos dos nervos espinhais C1 e C2, que são emitidos para a alça cervical, que é parte do plexo cervical.

As radículas superior e inferior da alça cervical inervam músculos ao longo da parte superior do pescoço, e o nervo hipoglosso continua para suprir os músculos intrínsecos da língua, incluindo o músculo longitudinal superior, o músculo longitudinal inferior, o músculo transverso e os músculos verticais. Ele também supre três dos quatro músculos extrínsecos da língua, que são o estiloglosso, o hioglosso e o genioglosso. Estes grupos musculares, é claro, alteram a posição e a forma da língua. E por último nós vimos o envolvimento do nervo hipoglosso na inervação do músculo gênio-hióideo.

Nós também discutimos algumas lesões do nervo hipoglosso, que podem causar desvio muscular da língua, atrofia, e retorcimento, e para determinar a presença destas lesões você pode pedir ao paciente para colocar sua língua para fora.

Muito bem, então isso nos traz ao final de nossa videoaula. Obrigado por assistir.

Continue a sua aprendizagem

Faça teste

Leia artigos

Mostre mais 1 artigo

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!