EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Extensores superficiais do antebraço - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.104.786 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Extensores superficiais do antebraço

Os extensores superficiais do antebraço são um grupo de três músculos localizados na face posterior do antebraço. Devido ao seu curso superficial, eles formam a superfície da face lateral do antebraço posterior, onde eles podem ser facilmente palpados, especialmente durante a extensão da mão.

Todos eles compartilham um tendão extensor comum emergindo do epicôndilo lateral do úmero juntamente com o extensor radial curto do carpo da musculatura radial e todos eles inserem em pontos específicos no dorso da mão.

Fatos Importantes
Músculo extensor dos dedos

Origem - epicôndilo lateral do úmero

Inserção - superfície posterior das falanges médias e distais do 2º ao 5º dedos

Inervação - nervo interósseo posterior (ramo do nervo radial)

Função - extensão do 2º ao 5º dedos

Músculo extensor do dedo mínimo

Origem - epicôndilo lateral do úmero

Inserção - aponeurose dorsal do dedo mínimo

Inervação - nervo interósseo posterior (ramo do nervo radial)

Função - extensão do dedo mínimo

Músculo extensor ulnar do carpo

Origem - epicôndilo lateral do úmero e face posterior da ulna

Inserção - lado medial da base do quinto metacarpo

Inervação - nervo interósseo posterior (ramo do nervo radial)

Função - extensão do punho e adução da mão (desvio ulnar)

Anatomia

Este artigo discute a anatomia e a função de todos os três músculos extensores superficiais.

Videoaula recomendada: Extensores superficiais do antebraço
Origens, inserções, inervação e funções dos extensores superficiais do antebraço.

Músculo extensor dos dedos

Se origina do epicôndilo lateral do úmero. Distalmente se divide em quatro tendões menores que se inserem na superfície posterior das falanges médias e distais do segundo ao quinto dedos.

Ali os tendões de inserção constituem uma expansão tendinosa em forma de folha, a aponeurose dorsal, cobrindo as superfícies medial, posterior e lateral das falanges distais.

A aponeurose dorsal serve como um local de inserção para vários ligamentos e músculos.

Músculo extensor do dedo mínimo e Músculo extensor ulnar do carpo

O músculo extensor do dedo mínimo se origina do epicôndilo lateral do úmero e se insere na aponeurose dorsal do dedo mínimo. Seu ventre muscular frequentemente se mistura com o extensor dos dedos.

O músculo extensor ulnar do carpo possui sua origem no epicôndilo lateral do úmero (cabeça umeral) e face posterior da ulna (cabeça ulnar). A inserção desse músculo está localizada na base do quinto metacarpo.

Inervação

Como todos os extensores do antebraço, esses três músculos são inervados pelo nervo radial. O nervo radial se divide nos ramos superficial e profundo à altura da cabeça do rádio. Enquanto o ramo superficial continua ao longo do músculo braquiorradial, o ramo profundo penetra no músculo supinador, após o qual ele se ramifica no nervo interósseo posterior (C6-C8). Assim o nervo interósseo posterior inerva os extensores superficiais com ramos motores.

Função

Como o nome sugere, todos os extensores superficiais do antebraço realizam uma extensão dorsal da articulação do punho.

Além disso, o extensor dos dedos estende as articulações metacarpofalângicas, interfalângicas proximais e interfalângicas distais do segundo ao quinto dedos. Devido ao fato dos seus tendões de inserção serem parcialmente ligados uns aos outros através da aponeurose dorsal, a extensão de um dedo simultaneamente leva a uma leve extensão dos dedos vizinhos.

O extensor do dedo mínimo estende as articulações metacarpofalângica, interfalângica proximal e interfalângica distal do dedo mínimo. A contração do extensor ulnar do carpo puxa a mão lateralmente (adução ulnar).

Desvio ulnar - vista anterior

Nota Clínica

Aproximadamente 2 a 3% das pessoas possuem um chamado ‘irmão menor’ do extensor dos dedos, o extensor curto da mão. Ele se origina próximo à área do rádio distal e se insere na aponeurose dorsal de um ou mais dedos. Esse músculo acessório é normalmente inofensivo, mas pode comprimir o nervo interósseo posterior em casos de hipertrofia, causando dor na articulação do punho. Durante o exame clínico, ele aparece como um volume no dorso da mão, motivo pelo qual ele é frequentemente confundido com um cisto gangliônico tendíneo ou mesmo um tumor de partes moles. Para prevenir diagnósticos incorretos e cirurgias desnecessárias, deve-se sempre considerar um músculo acessório como um diagnóstico diferencial quando diante de um quadro de dor no punho.

A causa para o desenvolvimento encontra-se em uma migração incompleta dos músculos do antebraço durante a embriogênese. Assume-se que esse músculo anormalmente representa um atavismo, uma “memória” dos nossos ancestrais filogenéticos. Ele nos lembra que nossos ancestrais distantes controlavam suas mãos e dedos somente por músculos curtos intrínsecos da mão. A tomada dessa função por músculos do antebraço com longos tendões só se desenvolveu com o curso da evolução.

Extensores superficiais do antebraço - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.104.786 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências:

  • M. Schünke/E. Schulte/U. Schumacher: Prometheus – LernAtlas der Anatomie – Allgemeine Anatomie und Bewegungssystem, 2. Auflage, Thieme Verlag (2007), S. 312-313.
  • J. E. Muscolino: The muscular system manual – The skeletal muscles of the human body, 2.Auflage, Elsevier Mosby (2005), S. 609-617, 648.
  • A. V. Ranade/R. Rai/L. V. Prabhu et al.: Incidence of extensor digitorum brevis manus muscle, Hand/NY (Dezember 2008), Issue 3(4), S. 320-323.
  • S. R. Bolla/V. R. Vollala/B. Bovindala et al.: Extensor digitorum brevis manus – It’s clinical significance and morphology, International Journal of Anatomical Variations (2008), Issue 1, S. 32-34.

 Autor:

  • Achudhan Karunaharamoorthy

 Ilustrações:

  • Região anterior do antebraço - vista anterior - Irina Münstermann
  • Antebraço - vista posterior - Yousun Koh
  • Antebraço - vista anterior - Irina Münstermann
  • Músculo extensor dos dedos - vista posterior - Yousun Koh
  • Aponeurose dorsal do segundo dedo - vista posterior - Yousun Koh
  • Aponeurose dorsal do terceiro dedo - vista posterior - Yousun Koh
  • Aponeurose dorsal do quarto dedo - vista posterior - Yousun Koh
  • Aponeurose dorsal do quinto dedo - vista posterior - Yousun Koh
  • Músculo extensor ulnar do carpo - vista posterior - Yousun Koh
  • Músculo extensor do dedo mínimo - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo radial - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo radial - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo radial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Desvio ulnar - vista anterior - Paul Kim

Tradução para português:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Mostre mais 5 artigos

Assista videoaulas

Mostre mais 2 videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Crie sua conta gratuitamente.
Comece a aprender anatomia em menos de 60 segundos.