EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Osso temporal - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.105.576 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Osso temporal

Os ossos temporais são um par de ossos simétricos e bilaterais que constituem uma grande porção da parede lateral e da base do crânio. Eles são ossos altamente irregulares com anexos musculares extensos e articulações com os ossos circundantes.

Há um número de aberturas e canais no osso temporal através dos quais as estruturas entram e saem da cavidade craniana. O osso temporal também abriga as estruturas que formam o ouvido médio e interno.

Quando o crânio é observado de uma vista posterior, os ossos temporais podem ser vistos nas extremidades laterais do crânio, com uma proeminência arredondada, o processo (apófise) mastóide, sendo a característica mais proeminente visível. O osso temporal é composto por várias partes: a parte escamosa, o processo (apófise) zigomático, a parte petromastóidea, a parte timpânica, o processo (apófise) estilóide.

Fatos importantes
Parte escamosa

Superfície externa: fixação do músculo temporal, faz parte da fossa temporal, sulco para a artéria temporal média
Superfície interna: forma a parte lateral da fossa craniana média, impressões do lobo cerebral temporal
Apófises e fossas: apófise zigomática (através de suas próprias superfícies articularares articula-se com o osso zigomático e cria arco zigomático); fossa mandibular (superfície articular para a cabeça da mandíbula para a articulação temporomandibular)
Fronteiras: superior - sutura esquamoso com o osso parietal, ântero-inferior - articulação com a asa maior do osso esfenóide

Parte mastóide Superfície externa: fixação aos músculos auricular posterior e occipital, perfurada por numerosos buracos, sendo o buraco mastóide o maior (através do qual o seio transverso passa para a dura-máter)
Superfície interna: sulco sigmóide profundo para o seio sigmóide
Apófises e fossas: apófise mastoide para fixar os músculos esternocleidomastoideu, esplénio da cabeça e longuíssimo da cabeça; Incisura mastoide para inserção do ventre posterior do músculo digástrico
Fronteiras: superior - bordo serrilhado  para a articulação com o ângulo mastoide do osso parietal, posterior - também serrilhado para articulação com o bordo inferior do osso occipital, anterior - fundida com a escama
Espaços: células mastoides que comunicam com o antro timpânico
Parte petrosa

Base: fundida com as superfícies internas das partes escamosa e mastóide
Ápice: apresenta a abertura anterior do canal carotídeo e forma o bordo póstero-lateral do buraco lácero
Superfície anterior: forma a parte posterior da fossa craniana média; contém eminência arqueada, tecto do tímpano, sulco e hiato para nervo petroso maior, hiato para o nervo petroso superficial menor, término do canal carotídeo, impressão trigeminal
Superfície posterior: forma a parte anterior da fossa craniana posterior; contém abertura acústica interna

Superfície inferior: área quadrangular, abertura do canal carotídeo, fossa jugular
Conteúdo: labirinto acústico

Parte timpânica Superfície posterior: forma a parede anterior, o pavimento e parte da parede posterior do meato acústico externo; contém o sulco timpânico (para a fixação da membrana timpânica)
Superfície anterior: forma a parte posterior da fossa mandibular e uma parte do meato acústico externo
Fronteiras: lateral, superior, inferior (a sua parte lateral - apófise vaginal - divide-se para envolver a raiz da apófise estilóide)
Apófises: apófise estilóide
Articulações

Suturas: occipitomastóide, escamosa, esfeno-escamosa, zigomático-temporal

Sinovial bicondiliana: articulação temporomandibular

Fixações musculares Fossa temporal: origem do músculo temporal
Apófise mastóide: fixação dos músculos esternocleidomastoideu, esplénio da cabeça, longuíssimo da cabeça e digástricos 
Apófise estilóide: fixação dos músculos estilo-hioideu, estilo-faríngeo e estilo-glosso
Buracos

Buraco lácero ->nervo petroso maior

Canal carotídeo -> artériacarótida intera

Meato acústico interno -> nervos cranianos VII e VIII facial e vestíbulo-coclear) e artéria labiríntica

Buraco jugular -> veia jugular interna, nervos cranianos IX, X e XI (glossofaríngeo, vago e acessório), artéria meníngea posterior

Nota clínica Mastoidite, meningite

Todas as partes constitutivas do osso temporal serão explicadas ao longo deste artigo.

Anatomia

Parte escamosa

A parte escamosa é uma placa plana que forma a parede lateral da fossa craniana média. Ela abriga a artéria meníngea média, que é marcada por um sulco no osso. O processo (apófise) zigomático surge da superfície externa da parte escamosa e articula com o osso zigomático. A fossa glenóide situa-se logo abaixo do processo zigomático, onde entra em contato com o côndilo da mandíbula. Ela é parte da articulação temporomandibular (ATM). A parte escamosa é separada da parte timpânica pela parte petrosa. A fissura petrotimpânica encontra-se atrás dessa divisão.

Parte timpânica

A parte timpânica possui formato em ferradura, e contribui para as paredes anterior, posterior e inferior do meato acústico externo e para a parte posterior (e não articular) da fossa glenóide. Lateralmente ela se prende à cartilagem do meato acústico externo e medialmente à membrana timpânica (sulco temporal).

Processo (apófise) estilóide

O processo (apófise) estilóide é uma projeção espicular do aspecto inferior do osso temporal. Ele se origina anteriormente ao forame (buraco) estilomastóideo, que abriga o nervo facial (nervo craniano VII) e a artéria estilomastóidea.

Processo estilóide (verde) - vista lateral esquerda

Parte petrosa

A parte petrosa é a parte medial do osso temporal. Ela possui forma de pirâmide e separa as fossas cranianas média e posterior. É extremamente sólida, e protege o conduto auditivo interno e o aparato vestibular. O meato acústico interno localiza-se na superfície posterior, levando ao canal auditivo. A superfície inferior contém numerosas aberturas, como o canal carotídeo (artéria carótida interna) e o forame (buraco) jugular (veia jugular interna, nervos cranianos IX, X e XI). A parte mais posterior da porção petrosa contém o processo (apófise) mastóide, que é preenchido por células aéreas mastóideas e revestido internamente por uma membrana mucosa.

Suturas

A sutura escamosa conecta o osso temporal ao osso parietal e continua como sutura esfeno-escamosa anteriormente e sutura parieto-mastóidea posteriormente. A sutura occipitomastóidea cursa entre a parte mastóidea do osso temporal e o osso occipital. O processo zigomático se articula com o osso temporal através da sutura temporozigomática.

Sutura escamosa (verde) - vista lateral esquerda

Desenvolvimento ósseo

Das quatro porções do osso temporal, a porção petrosa e o processo estilóide demonstram ossificação endocondral, enquanto as partes escamosa e timpânica se desenvolvem através de ossificação intramembranosa. Oito centros de ossificação encontram-se espalhados uniformemente sobre todo o osso, que criam três fontanelas principais, antes do nascimento. O processo mastóide está ausente em recém-nascidos e começa a crescer com o aumento da força de tração do músculo esternocleidomastoideo.

Videoaula recomendada: Osso temporal
Estrutura e pontos de referência do osso temporal.

Nota clínica

Há uma região no aspecto lateral do crânio, onde convergem os ossos temporal, parietal, esfenoidal e frontal. Esse ponto é chamado ptérion, é uma das áreas mais fracas do crânio e é, portanto, muito suscetível a fraturas. Profundamente ao ptérion encontra-se um grande ramo da artéria maxilar, a artéria meníngea média, que irriga a dura-máter. A fratura no ptérion pode produzir uma laceração completa desta artéria e da veia que a acompanha resultando numa hemorragia no espaço epidural (entre a dura-máter e o crânio).

O osso temporal é, por si só, menos facilmente fraturado. Tais fraturas ocorrem geralmente em traumatismos violentos.

A mastoidite é uma inflamação das células aéreas localizadas no processo (apófise) mastóide e é frequentemente causada por uma infecção grave no ouvido médio (otite média). A mastoidite pode espalhar-se do osso temporal para a cavidade craniana, causando meningite ou inflamação das meninges.

Osso temporal - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.105.576 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências:

  • Neil S. Norton, Ph.D. and Frank H. Netter, MD, Netter’s Head and Neck Anatomy for Dentistry, 2nd Edition, Elsevier Saunders, Chapter 2 Osteology, Page 32, 50 and 53.
  • Friedrich Anderhuber, Franz Pera, Johannes Streicher: Waldeyer Anatomie des Menschen, De Gruyter (2012), 19th edition, p.718-722
  • Ellen G. Hoeffner, Suresh K. Mukherji: Temporal Bone Imaging, Thieme Medical Publishers (2008), p.1-4 

Autor:

  • Dr. Alexandra Sieroslawska

Ilustrações:

  • Osso temporal - vista anterior - Yousun Koh
  • Osso temporal - vista superior - Yousun Koh 
  • Osso temporal - vista inferior - Yousun Koh
  • Porção escamosa do osso temporal - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Processo mastóide do osso temporal - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Parte petrosa do osso temporal - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Processo estilóide do osso temporal - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Processo zigomático do osso temporal - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Articulação têmporo-mandibular - vista lateral esquerda - Yousun Koh
  • Meato acústico interno - vista superior - Yousun Koh
  • Canal carotídeo - vista superior - Yousun Koh
  • Forame jugular - vista superior - Yousun Koh
  • Sutura escamosa - vista lateral esquerda - Yousun Koh

Tradução para português:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
  • Beatriz la Féria
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Mostre mais 5 artigos

Assista videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Crie sua conta gratuitamente.
Comece a aprender anatomia em menos de 60 segundos.