Conexão perdida. Por favor atualize a página.
Conectado
EN | DE | PT | ES Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Músculo oblíquo externo do abdome - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Músculo oblíquo externo do abdome

Músculo oblíquo externo do abdome (Musculus obliquus externus abdominis)

Os oblíquos externos do abdome são um par de músculos localizados nas regiões laterais da parede abdominal. Juntamente com o oblíquo interno e o transverso do abdome eles formam o grupo dos músculos da parede abdominal lateral. De uma forma geral, esses músculos formam a parede abdominal anterolateral, junto com dois músculos abdominais anteriores; o reto abdominal e o piramidal.

Os músculos abdominais trabalham em conjunto para produzir movimentos da coluna vertebral, bem como para comprimir as vísceras abdominais. O oblíquo externo do abdome especificamente causa uma flexão lateral ipsilateral do tronco e uma rotação contralateral do tronco quando o músculo se contrai de forma unilateral. A contração bilateral flexiona o tronco anteriormente e promove aumento da pressão intra-abdominal, o que é útil em processos como a respiração, o canto e a defecação.

Esse artigo irá discutir a anatomia e a função do músculo oblíquo externo do abdome.

Informações importantes sobre o músculo oblíquo externo do abdome
Origem Superfícies externas das costelas 5-12
Inserção Linha alba, tubérculo púbico, metade anterior da crista ilíaca
Ação Contração bilateral - Flexão do tronco, compressão das vísceras abdominais, expiração
Contração unilateral - Flexão lateral do tronco (ipsilateral) rotação do tronco (contralateral)
Inervação Motora: nervos intercostais (T7- T11), nervo subcostal (T12) 
Sensitiva: nervo ilio-hipogástrico (L1)
Vascularização Artérias intercostais posteriores inferiores, artéria subcostal, artéria ilíaca circunflexa profunda
Conteúdo
  1. Origem e inserção
  2. Relações
  3. Inervação
  4. Vascularização
  5. Função
  6. Referências
+ Mostrar todo

Origem e inserção

O músculo oblíquo externo do abdome se origina da superfície externa das costelas 5-12. As fibras insercionais se misturam às do serrátil anterior e do latíssimo do dorso, formando uma linha oblíqua no lado lateral do tórax.

A partir dali, as fibras musculares se espalham em direção à linha média e à margem inferior do abdome; as fibras mais posteriores cursam quase verticalmente, enquanto o restante passa anteromedialmente. Na linha medioclavicular, medialmente, e na linha espinoumbilical, inferiormente, o oblíquo externo do abdome continua como uma aponeurose, através da qual ele se insere na linha alba, no tubérculo púbico e na metade anterior da crista ilíaca.

Lembre-se que a linha medioclavicular é um eixo vertical passando pelo meio da clavícula, enquanto a linha espinoumbilical é uma linha que conecta o umbigo e a espinha ilíaca anterior superior.

Aprenda tudo que você precisa saber sobre os músculos da parede abdominal com nossos testes interativos e videos.

Relações

O oblíquo externo do abdome é o maior e mais superficial dos músculos abdominais laterais. Ele situa-se sob a pele das regiões torácica e abdominal, recobrindo o oblíquo interno do abdome e as metades anteriores das costelas e dos músculos intercostais. Sua parte muscular contribui para a parte lateral da parede abdominal. Sua parte aponeurótica, entretanto, contribui para a formação da parede abdominal anterior, já que ela contribui com a formação da camada anterior da bainha do reto.

As margens superior, medial e inferior do músculo se relacionam com os seus respectivos pontos de inserção, enquanto a margem posterior é livre. Isso contrasta com os outros músculos da parede abdominal, os quais se inserem à fáscia toracolombar em suas extremidades posteriores. A parte da margem inferior deste músculo que se estende entre a espinha ilíaca anterior superior e o tubérculo púbico se curva posteriormente, formando uma curva ou canal espesso, chamado de ligamento inguinal (de Poupart), que forma o assoalho do canal inguinal.

Inervação

Os dois terços superiores do oblíquo externo do abdome são inervados pelos nervos intercostais T7-T11 e pelo nervo subcostal (T12), que na verdade são ramos anteriores dos nervos toracoespinhais. O terço inferior do músculo é inervado pelo plexo lombar, através do nervo ilio-hipogástrico (L1).

Vascularização

O suprimento sanguíneo para os dois terços superiores do oblíquo externo do abdome vem dos ramos das artérias intercostais posteriores e subcostal, enquanto a artéria ilíaca circunflexa profunda vasculariza o terço inferior do músculo.

Função

O músculo oblíquo externo do abdome possui uma variedade de funções, dependendo se ele se contrai uni ou bilateralmente. Quando atua de forma unilateral e em sinergia com o músculo oblíquo interno contralateral ele roda o tronco para o lado oposto. Quando trabalha junto com os músculos abdominais ipsilaterais e os músculos dorsais ele contribui para a flexão lateral do tronco para o mesmo lado.

Quando é contraído bilateralmente, o músculo trabalha junto com o oblíquo interno do abdome e o reto abdominal para flexionar o tronco anteriormente. Esta atividade aumenta ainda o tônus da parede abdominal e a pressão intra-abdominal positiva, que é parte de vários processos fisiológicos, como por exemplo a expiração forçada, a micção, a defecação e o parto.

Consolide o seu conhecimento sobre o oblíquo externo do abdome e outros músculos da parede abdominal com o nosso teste abaixo!

Músculo oblíquo externo do abdome - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!