EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Músculo oblíquo superior - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Músculo oblíquo superior

Os músculos extraoculares são um grupo de seis músculos extrínsecos do olho. Eles são: reto superior, reto lateral, reto inferior, reto medial, oblíquo superior e oblíquo inferior.  Localizados dentro da órbita, eles circundam o globo ocular completamente, facilitando seus movimentos em várias direções. 

O oblíquo superior é o músculo mais longo deste grupo, se estendendo do corpo do osso esfenoide até a porção súpero-lateral do globo ocular. A sua função é produzir movimentos nos olhos que dirigem o olhar ínfero-lateralmente ao abduzir, deprimir e realizar a rotação interna do olho.

Fatos importantes sobre o Músculo oblíquo superior
Origem Corpo do osso esfenoide
Inserção Porção súpero-lateral do globo ocular (profundamente ao reto superior, via tróclea) 
Ação Abduz, deprime e roda internamente o globo ocular
Inervação Nervo troclear (NC IV)
Vascularização Artéria oftálmica

Neste artigo, discutiremos a anatomia e a função do músculo oblíquo superior.

Origem e inserção

O músculo oblíquo superior se origina do corpo do osso esfenoide, medial à origem do músculo levantador da pálpebra superior e súpero-medial ao canal óptico. Em contraste com os outros músculos extraoculares, o oblíquo superior e o oblíquo inferior não se originam do anel tendíneo comum. O oblíquo superior se origina externamente, súpero-medial ao anel tendíneo.  


De sua fixação no esfenoide, o músculo oblíquo superior corre anteriormente, paralelo à parede medial da órbita. Próximo à sua inserção, o tendão do músculo muda de direção ao passar dentro de uma polia cartilaginosa, chamada de tróclea do oblíquo superior.  Essa fibra cartilaginosa é encontrada fixada na parte nasal do osso frontal. Localizada entre o tendão e a tróclea está uma bainha sinovial fina, que as separa. Depois da tróclea, o tendão faz uma grande curva póstero-lateral antes de se inserir na esclera superficial póstero-súpero-lateral do olho. Esta inserção está localizada atrás do equador do olho, entre as fixações dos músculos reto superior e do reto lateral. 

Relações 

O músculo oblíquo superior está situado na porção medial da órbita, adjacente à sua parede medial. Ele está localizado superior ao reto medial e medial aos músculos reto superior e ao levantador da pálpebra superior

O globo ocular e todos os músculos extraoculares estão envolvidos por uma fáscia muscular derivada da bainha fascial do globo ocular (cápsula de Tenon). Este é um importante ponto clínico, pois o espaço subtendinoso é um local comum de injeção de anestésicos durante diversos procedimentos cirúrgicos nesta região. 

Inervação

O oblíquo superior é o único músculo extraocular que é inervado pelo nervo troclear (NC IV). O nervo troclear é o único nervo craniano que emerge da superfície posterior do tronco encefálico. Ele tem um grande trajeto no endocrânio e entra na órbita através da fissura orbital superior para inervar o músculo oblíquo superior. 

Na prática clínica, é importante ter em mente que, com exceção do oblíquo superior e do reto lateral, todos os músculos extraoculares são inervados pelo nervo oculomotor (NC III). 

Vascularização 

O oblíquo superior é suprido por pequenos ramos das artérias ciliares anteriores que se originam da artéria oftálmica

Função 

Antes de entrarmos nas ações deste músculo, é importante destacar que, na verdade, quase todos os movimentos do olho envolvem ações de pelo menos três músculos. Para se ter uma visão clara do mundo, os movimentos dos olhos precisam ser controlados, precisos e bem coordenados. 

O ventre do músculo oblíquo superior está localizado posterior ao olho. Entretanto, devido ao fato de seu tendão atravessar a tróclea da órbita, o tendão muscular se aproxima do globo ocular pela frente e se fixa na sua porção superior. Isso permite que o oblíquo superior dirija o olhar em várias direções diferentes enquanto fornece estabilidade para o globo ocular ao neutralizar os movimentos da cabeça. Quando o globo ocular está em uma posição neutra, o oblíquo superior é responsável por abdução (movimento lateral ao nariz), depressão (inferiormente) e rotação interna (movimento do pólo superior do olho medialmente) do globo ocular. Note que essas funções não são igualmente eficientes em todas as posições do olhar. A rotação interna (intorsão) do globo ocular é particularmente efetiva quando o olho está em posição de abdução, enquanto sua depressão é mais forte quando o olho está aduzido. O músculo oblíquo superior tem funções antagônicas ao oblíquo inferior.
O teste e os vídeos a seguir podem te ajudar a aprender sobre os músculos que movem os olhos.

Nota clínica 

O prejuízo da função do oblíquo superior normalmente é causado por lesões do nervo troclear em algum lugar em seu longo trajeto do tronco encefálico até a órbita. A lesão isolada deste nervo é muito rara, normalmente ela é combinada com a lesão de outros nervos cranianos. Quando isolada ou combinada à paresia dos músculos extraoculares, tipicamente a lesão ou o processo patológico está no endocrânio ou na órbita. 

O principal sintoma da disfunção do oblíquo superior é a diplopia (visão dupla), que ocorre quando o olhar é direcionado para baixo. A diplopia ocorre porque as funções deste músculo como depressor do globo ocular, especialmente quando o olho está em uma posição abduzida, são perdidas ou reduzidas. Os pacientes normalmente compensam este sintoma ao inclinarem a cabeça ântero-lateralmente, em direção ao olho normal. Quando o músculo oblíquo superior está paralítico, a ação do oblíquo inferior fica sem oposição. Por isso, os movimentos dos dois olhos não é sincronizado quando o olhar é dirigido para baixo e medialmente. 

Músculo oblíquo superior - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências: 

  • Moore, K. L., Dalley, A. F., & Agur, A. M. R. (2014). Clinically Oriented Anatomy (7ª Edição). Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins.
  • Palastanga, N., & Soames, R. (2012). Anatomy and human movement: structure and function (6ª Ediçao). Edinburgh: Churchill Livingstone.
  • Standring, S. (2016). Gray's Anatomy (41ª Edição). Edinburgh: Elsevier Churchill Livingstone.
  • Netter, F. (2014). Atlas of Human Anatomy (6ª Edição). Philadelphia, PA: Saunders.

Ilustrações: 

  • Músculo oblíquo superior - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Músculo oblíquo superior - vista superior - Yousun Koh
  • Músculo oblíquo superior - vista anterior - Paul Kim

Tradução, Revisão, Layout: 

  • Lívia Lourenço do Carmo 
  • Catarina Chaves
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!