EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Músculo elevador da pálpebra superior - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Músculo elevador da pálpebra superior

O músculo elevador da pálpebra superior é um delgado músculo localizado na cavidade orbitária acima do globo ocular. Baseado nas suas funções, ele é classificado como pertencendo a dois grupos musculares:

Como músculo extraocular, o elevador da pálpebra superior facilita indiretamente os movimentos do olho ao elevar e retrair a pálpebra superior, permitindo um olhar para cima. Como músculo facial ele contribui para uma variedade de expressões faciais, já que a elevação da pálpebra superior contribui com a expressão dos sentimentos de medo, raiva e supresa.

Fatos importantes sobre o Músculo elevador da pálpebra superior
Origem Asa menor do osso esfenoide
Inserção Placa tarsal superior, pele da pálpebra superior
Ação Eleva a pálpebra superior
Inervação Nervo oculomotor (NC III)
Vascularização Artéria oftálmica, artéria supraorbital

Este artigo irá discutir a anatomia e a função do músculo elevador da pálpebra superior.

Origem e inserção

O elevador da pálpebra superior é um músculo triangular que se estende ao longo do teto da órbita, desde o seu ápice até a pálpebra superior. Ele se origina com um curto tendão a partir do aspecto inferior da asa menor do esfenoide, superior e anterior ao anel tendíneo comum. O ventre muscular se alarga gradualmente conforme cursa anteriormente em direção à pálpebra. As fibras musculares penetram na pálpebra superior, se inserindo às suas partes através de dois fascículos aponeuróticos;

  • As fibras profundas se inserem na superfície anterior do tarso superior
  • As fibras superficiais se irradiam através da pálpebra e região orbicular do olho para finalmente chegar à pele da pálpebra superior.

As fibras mais laterais da aponeurose do músculo se inserem no tubérculo orbital do osso zigomático, enquanto as fibras mais mediais se inserem no ligamento palpebral medial.

Alguns autores reconhecem outro compartimento do elevador da pálpebra superior, chamado de músculo tarsal superior. É uma fina faixa de músculo liso que se prende à face inferior do elevador da pálpebra superior próximo ao seu ponto de inserção.

Relações

O elevador da pálpebra superiormente encontra-se superior ao músculo reto superior, que o separa do globo ocular. Ambos os músculos são envolvidos por bainhas de tecido conjuntivo que se fundem ao longo de suas superfícies relacionadas. As bainhas são separadas apenas nas suas partes anteriores, no nível que os tendões desses músculos se separam. O intervalo entre eles é preenchido por uma espessa placa de tecido conjuntivo, sobre a qual o fórnice conjuntival superior se insere. Além disso, o elevador da pálpebra superior prende-se ao ligamento de sustentação do reto superior. Todas essas conexões contribuem para uma contração coordenada e simultânea desses dois músculos.

Conforme o elevador da pálpebra superior se espalha em uma larga aponeurose, as fibras laterais passam entre as partes orbital e palpebral da glândula lacrimal para se inserir ao tubérculo orbital. As fibras mediais cursam adjacentes sobre o tendão do músculo oblíquo superior.

Inervação

O elevador da pálpebra superior recebe inervação motora somática da divisão superior do nervo oculomotor (NC III). O músculo tarsal superior recebe inervação simpática do plexo carotídeo, cujas fibras se unem às fibras do nervo oculomotor conforme ele passa pelo seio cavernoso.

Vascularização

O elevador da pálpebra superior recebe sangue arterial da artéria carótida interna, através da artéria oftálmica e seu ramo supraorbital.

Função

As principais ações do músculo elevador da pálpebra são a retração e a elevação da pálpebra superior e o alargamento da fissura palpebral. Estas ações são limitadas por várias características anatômicas do músculo;

  • As inserções lateral e medial da aponeurose do músculo, que impedem elevação adicinal da pálpebra uma vez que as fibras musculares se estenderam ao máximo
  • O septo orbital, que é uma parte fibrosa da pálpebra que, quando comprimida ao máximo, impede retração adicional da pálpebra
  • Ações antagônicas do orbicular do olho, que age contra o elevador da pálpebra superior, já que ele puxa a pálpebra em uma direção oposta.

O elevador da pálpebra superior ajuda o reto superior e eleva a pálpebra quando o olhar é direcionado superiormente. Isto ocorre de maneira automática porque as bainhas fasciais do elevador da pálpebra superior e do reto superior se fundem através do ligamento de contenção; é por isto que quando o reto superior se contrai o elevador da pálpebra superior também é contraído. O elevador da pálpebra superior possui um tônus muscular estático que fica equilibrado ao tônus oposto do orbicular do olho, mantendo os olhos abertos e definindo o tamanho da fissura palpebral.

Sendo inervado pelo sistema nervoso simpático, o músculo tarsal superior eleva a pálpebra em situações de resposta de “luta ou fuga”. Portanto o músculo causa um alargamento adicional da fissura palpebral durante momentos de excitação, medo, surpresa e outros.

Músculo elevador da pálpebra superior - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências:

  • Moore, K. L., Dalley, A. F., & Agur, A. M. R. (2014). Clinically Oriented Anatomy (7ª edição). Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins.
  • Palastanga, N., & Soames, R. (2012). Anatomy and human movement: structure and function (6ª edição). Edinburgh: Churchill Livingstone.
  • Standring, S. (2016). Gray's Anatomy (41ª edição). Edinburgh: Elsevier Churchill Livingstone.
  • Singh, V. (2014). Textbook of Anatomy (Regional and Clinical) Head, Neck, and Brain; Volume III. London: Elsevier Health Sciences APAC.

Ilustrações:

  • Músculo elevador da pálpebra superior - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Músculo elevador da pálpebra superior - vista superior - Yousun Koh

Tradução, Revisão, Layout:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!