Conexão perdida. Por favor atualize a página.
Conectado
EN | DE | PT | ES Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Fígado e vesícula biliar - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Fígado e vesícula biliar

O fígado e a vesícula biliar são dois órgãos acessórios do trato gastrointestinal, que desempenham várias funções, ajudando a digestão e a homeostase. O fígado possui vários lóbulos e recebe o seu fornecimento sanguíneo principalmente através da veia porta hepática. Este órgão também desintoxica o corpo, por isso tome bem conta dele, porque ele é o seu melhor amigo quando vai celebrar depois dos exames! A vesícula biliar encontra-se inferiormente ao fígado, estando envolvida no armazenamento e libertação da bile para o duodeno

Factos importantes sobre o fígado e a vesícula Biliar
Localização Fígado: regiões hipocondríacas e epigástrica 
Vesícula biliar: quadrante superior direito
Partes Fígado: superfície diafragmática, superfície visceral, lobo direito, lobo esquerdo, lobo caudado, lobo quadrado, segmentos
Vesícula biliar: fundo, corpo, colo, trato biliar extra-hepático
Vasos Sanguíneos Fígado: artéria hepática, veia porta hepática, veias hepáticas
Vesícula biliar: artéria cística, artéria hepática direita, artéria pancreaticoduodenal posterior superior, artérias gastroduodenais, veias císticas
Inervação Simpática: plexos celíaco e mesentérico superior
Parassimpática: nervo vago
Nota Clínica Icterícia

Este artigo irá descrever a anatomia e função do fígado e da vesícula biliar.

Conteúdo
  1. Fígado
    1. Localização
    2. Ligamentos hepáticos 
    3. Anatomia
    4. Função
  2. Vesícula biliar
    1. Anatomia
    2. Trato biliar
    3. Função
  3. Vasos sanguíneos
    1. Fígado
    2. Vesícula biliar
  4. Inervação
    1. Fígado
    2. Vesícula biliar
  5. Icterícia
  6. Bibliografia
+ Mostrar todo

Fígado

Localização

O fígado é um órgão intraperitoneal localizado inferiormente ao diafragma e profundamente às costelas 7 a 11. A localização do fígado é tão extensa que é impossível que você não o veja, já que ele ocupa três regiões abdominais: hipocôndrio direito, epigástrica e hipocôndrio esquerdo.

Relações anatômicas do fígado
Superior Diafragma
Anterior Costelas 7-11, parede abdominal anterior
Posteroinferior Esófago, rim direito, glândula suprarrenal direita, flexura cólica direita, omento menor, duodeno, vesícula biliar e estômago

Aprofunde mais o seu conhecimento com os recursos a seguir sobre a localização do fígado:

Ligamentos hepáticos 

A posição do fígado é suportada por vários ligamentos peritoneais: ligamento redondo do fígado, ligamento falciforme, ligamentos coronário, ligamentos triangulares e omento menor. O omento menor compreende os ligamentos hepatoduodenal e hepatogástrico os quais unem o fígado à curvatura menor do estômago ou ao duodeno, respetivamente. O omento menor é muito importante, já que transporta a tríade portal: ducto biliar, artéria hepática e veia porta hepática.

As reflexões do peritónio formam três recessos: 

  • O recesso subfrênico separa a superfície diafragmática do fígado do diafragma.
  • O espaço subhepático, situa-se imediatamente inferior ao fígado. Ele projeta-se entre a superfície inferior do fígado e o rim direito, formando o recesso hepatorrenal (fundo de saco de Morison).

Saiba como criar seus próprios flashcards para usar como referências rápidas e revisar antes da sua próxima prova de anatomia. Eles vão cortar seu tempo de estudo pela metade!

Anatomia

O fígado tem duas superfícies: diafragmática e visceral. As suas superfícies mostram diversas fissuras, que em conjunto com os ligamentos dividem o fígado em quatro lobos:

  • Lobos direito e esquerdo, separados pelo ligamento falciforme.
  • Lobos caudado e quadrado, delimitados pelas fissuras da superfície visceral.

O fígado também pode ser dividido funcionalmente em oito segmentos de acordo com o fornecimento sanguíneo portal e a drenagem biliar.

A anatomia microscópica do parênquima hepático é representada pelos lóbulos hepáticos. Eles consistem em cordões de hepatócitos rodeando uma veia central. Os sinusóides e as tríades portais também fazem parte dos lóbulos hepáticos. A cirrose surge como resultado de uma doença hepática crônica, aprenda mais sobre a cirrose aqui.

Anatomia do fígado - vista anterior

A superfície diafragmática é coberta pela camada visceral do peritónio em toda a sua extensão, exceto posteriormente na ‘área nua’. A área nua está em contacto direto com o diafragma. Esta área contém um sulco para a veia cava inferior, que a suporta à medida que ela viaja do abdome em direção ao tórax e ao coração.

A superfície visceral do fígado também é coberta por peritónio exceto na fossa para a vesícula biliar e na porta hepática. Esta superfície contém três fissuras que juntam criam a forma de uma letra ‘H’:

  • Fissuras sagitais direita e esquerda
  • Fissura transversa (porta hepática)
Anatomia do fígado - vista posterior

A superfície visceral do fígado apresenta impressões para os órgãos vizinhos. Estas impressões são chamadas de: gástrica, esofágica, suprarrenal, renal, cólica, duodenal e fossa da vesícula biliar.

Anatomia da superfície visceral do fígado - vista inferior


Há muitas características anatômicas para um só órgão, certo? Para não falar na confusa divisão funcional do fígado em segmentos. Esclareça todas as suas dúvidas e consolide o seu conhecimento revendo os recursos disponibilizados abaixo.

Função

O fígado tem funções metabólicas, exócrinas e endócrinas. Ele sintetiza proteínas do plasma que são responsáveis por manter a pressão osmótica, transportar micronutrientes e ajudar na coagulação do sangue. As vitaminas A, D e K, o ferro e o glicogénio são alguns dos nutrientes metabólicos importantes armazenados no fígado. Eles são libertados para a corrente sanguínea quando necessário. O fígado também é responsável por modificar a ação de várias hormonas endócrinas e por sintetizar a bile que é depois armazenada na vesícula biliar. 

Vesícula biliar

Anatomia

A vesícula biliar é um pequeno órgão oco intraperitoneal. Está localizada na superfície visceral do fígado entre os lobos direito e quadrado. A parte superior do duodeno, a flexura hepática e a parte proximal do cólon transverso são posteriores a este órgão.

A vesícula biliar pode ser dividida em três partes anatómicas. De lateral para medial:

  • Fundo dirigido inferoanteriormente. Ele projeta-se para a parede abdominal anterior na interseção da 9ª costela com a margem lateral do músculo reto abdominal.
  • Corpo que se localiza na fossa da vesícula biliar do fígado.
  • Colo (infundíbulo) com pregas da mucosa em espiral.

Trato biliar

A bile viaja entre o fígado, a vesícula biliar e o duodeno através da árvore biliar. Os hepatócitos sintetizam e secretam a bile para os ductos hepáticos direito e esquerdo. Estes ductos fundem-se num único ducto hepático comum na parte lateral da porta hepática.

O colo da vesícula biliar estreita-se para formar o curto ducto cístico. Este ducto junta-se ao ducto hepático comum para formar o ducto biliar comum. O ducto cístico, o ducto hepático comum e parte do bordo inferior do fígado formam o triângulo de Calot. 

Anatomia do sistema biliar e localização da vesícula biliar - vista anterior

O ducto biliar comum une-se ao ducto pancreático para formar a ampola de Vater (ampola hepatopancreática), que se abre no duodeno através da papila duodenal maior. O fluxo da bile e do suco pancreático é controlado pelo esfíncter de Oddi.
Para encontrar mais informações sobre a localização, as relações e a anatomia da vesícula biliar dê uma olhada aos materiais seguintes. 

Função

A principal função da vesícula biliar é armazenar e concentrar a bile, que depois é transportada até ao duodeno através do trato biliar. Enquanto se ingere uma refeição, a presença de gorduras e proteínas nos intestinos estimula a libertação de colecistocinina. Esta hormona peptídica causa simultaneamente a contração do corpo e o relaxamento do colo da vesícula biliar. Quando a pressão dentro do trato biliar aumenta, o esfíncter de Oddi relaxa. De seguida, a bile flui do trato biliar diretamente para o duodeno. 

Quer aprender ainda mais sobre a vesícula biliar? Faça os testes a seguir!

Vasos sanguíneos

Fígado

Um dos aspetos que torna o fígado um órgão único e interessante é o facto de ter um fornecimento sanguíneo duplo. A veia porta hepática é responsável por 75 a 80 % do sangue que chega ao fígado, levando os nutrientes do trato gastrointestinal para serem processados e metabolizados. Ela é formada pela união das veias esplênica e mesentérica superior. A veia porta chega ao fígado como parte da tríade portal, atravessando o ligamento hepatoduodenal.

O restante fornecimento sanguíneo do fígado é da responsabilidade da artéria hepática, que se ramifica a partir da artéria hepática comum, um ramo do tronco celíaco. Depois de alcançar o fígado, a artéria hepática divide-se em ramos esquerdo e direito, cada um vascularizando os segmentos dos lobos esquerdo e direito do fígado, respetivamente. 

Artérias e veias do fígado - vista anterior

As veias hepáticas (direita, média e esquerda) são responsáveis pela drenagem venosa do fígado, elas drenam para a veia cava inferior. Quer aprender mais sobre os detalhes da vascularização do fígado, incluindo as ‘zonas perigosas’ durante os transplantes? Visite os conteúdos seguintes!

Vesícula biliar

A vesícula biliar e o ducto cístico são vascularizados pela artéria cística, um ramo da artéria hepática direita. O ducto biliar é vascularizado por três vasos sanguíneos principais, as artérias: cística, hepática direita, pancreaticoduodenal posterior superior e gastroduodenal. Estas artérias irrigam as partes proximal, média e retroduodenal do ducto, respetivamente. 

A drenagem venosa da vesícula biliar e do ducto cístico é feita através das veias císticas, que drenam depois para a veia hepática. O ducto biliar é drenado pela veia pancreaticoduodenal superior, a qual drena, por sua vez, para o sistema porta hepático.

Inervação

Fígado

O parênquima pancreático recebe inervação autônoma do plexo hepático. A inervação parassimpática é feita por ramos do nervo vago (NC X). As fibras simpáticas originam-se do plexo celíaco. A cápsula do fígado é inervada por ramos dos nervos intercostais inferiores.

Vesícula biliar

O plexo hepático também é responsável por fornecer inervação autônoma à vesícula biliar e ao sistema biliar extra-hepático. A estimulação da divisão parassimpática do nervo vago faz com que a vesícula biliar se contraia e bile flua para dentro do duodeno. A inervação simpática, que surge do plexo celíaco, inibe as contrações da vesícula biliar e transmite a sensação de dor. Para mais explicações sobre o sistema nervoso autônomo, o nervo vago e os nervos periféricos, dê uma olhada nos recursos seguintes.

Fígado e vesícula biliar - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!