EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Seios paranasais - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.053.623 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Seios paranasais

Os seios paranasais são cavidades aéreas que ajudam na circulação do ar que é inspirado e expirado pelo sistema respiratório. Eles estão situados ao redor da cavidade nasal, e são todos pareados e algumas vezes simétricos, sendo sempre bilaterais. Existem quatro diferentes pares de seios, e eles são chamados:

  • seios maxilares
  • seios frontais
  • seios esfenoidais
  • seios etmoidais
Fatos Importantes
Seios Maxilares

Limite superior - órbita óssea

Limite inferior - osso maxilar alveolar, raízes dos dentes correspondentes

Limite medial - cavidade nasal

Limites lateral e anterior - osso malar

Limite posterior - fossa pterigopalatina, fossa infratemporal

Suprimento sanguíneo: artérias alveolar superior anterior, média, posterior (ramos da artéria maxilar)

Inervação: nervo alveolar superior anterior, médio, posterior (ramos do nervo maxilar)

Drenagem linfática: linfonodos submandibulares 

Seios Frontais

Limite anterior - fronte, arcos superciliares

Limites superior e posterior - fossa craniana anterior

Limite inferior - órbita óssea, seios etmoidais anteriores, cavidade nasal

Limite medial - seio contralateral

Suprimento sanguíneo: artérias etmoidal anterior, supraorbitária, supratroclear (ramos da artéria oftálmica)

Inervação: nervos supraorbitário e supratroclear (ramos do nervo oftálmico)

Drenagem linfática: linfonodos submandibulares 

Seios Esfenoidais
 

Limite anterior - cavidade nasal

Limite superior - fossa hipofisária, glândula hipófise, quiasma óptico

Limite inferior - nasofaringe, canal pterigoide

Suprimento sanguíneo: artéria etmoidal posterior, ramos nasais laterais posteriores (ramos da artéria oftálmica)

Inervação: nervo etmoidal posterior (ramos do nervo nasociliar), ramo orbitário do gânglio pterigopalatino

Drenagem linfática: linfonodos retrofaríngeos

Seios Etmoidais
 

Limite superior - fossa craniana anterior, osso frontal

Limite lateral - órbita óssea

Limite medial - cavidade nasal

Suprimento sanguíneo: artérias etmoidais anterior, posterior, ramos nasais laterais posteriores (ramos da artéria oftálmica)

Inervação: nervos etmoidais anterior e posterior (ramos do nervo nasociliar), nervos nasais lateral posterior e superior

Drenagem linfática: linfonodos submandibulares e retrofaríngeos

Clínica Sinusite

Seios Maxilares

Anatomia

Os seios maxilares são os maiores de todos os seios paranasais. Eles possuem paredes finas, que são frequentemente penetradas pelas raízes longas dos dentes maxilares posteriores. A borda superior deste seio é a órbita óssea, a inferior é o osso maxilar alveolar e as raízes dos dentes correspondentes, a borda medial é constituída da cavidade nasal e as bordas lateral e anterior são limitadas pelo osso malar. Posteriormente existem dois espaços anatômicos conhecidos como fossa pterigopalatina e fossa infratemporal.

Vascularização, Inervação e Vasos Linfáticos

Os linfonodos/gânglios linfáticos submandibulares são o principal destino durante a drenagem linfática.

O suprimento sanguíneo inclui as seguintes contribuições:

  • artéria alveolar superior anterior
  • artéria alveolar superior média
  • artéria alveolar superior posterior

A inervação ocorre através de nervos que possuem os mesmos nomes que as artérias.

Seios Frontais

Anatomia

Anteriormente, os seios frontais são contidos pela fronte e pelos arcos superciliares, superiormente e posteriormente pela fossa craniana anterior e inferiormente pela órbita óssea, os seios etmoidais anteriores e a cavidade nasal. Medialmente os seios se relacionam um com o outro, separados pela linha média.

Este par de seios possui um formato irregular quando comparados um ao outro, e não estão desenvolvidos ao nascimento. Eles atingem suas dimensões máximas e forma final por volta dos sete ou oito anos de idade.

Vascularização, Inervação e Vasos Linfáticos

Eles drenam primariamente através do infundíbulo etmoidal, e a drenagem linfática correspondente ocorre através dos linfonodos/gânglios linfáticos submandibulares.

Os seios frontais recebem a seguinte vascularização:

  • artéria etmoidal anterior
  • artéria supraorbitária
  • artéria supratroclear

São inervados pelo nervo oftálmico, incluindo os ramos supraorbitário e supratroclear.

Seios Esfenoidais

Anatomia

Os mais posteriores de todos os seios da cabeça, os seios esfenoidais são grandes e irregulares, da mesma forma que seu septo, que é constituído pelo osso esfenoide. Lateralmente um seio cavernoso existe, sendo parte da fossa craniana média, e também a artéria carótida e os nervos cranianos III, IV, V/I, V/II e V/III podem ser encontrados.

A parede anterior separa este par de seios da cavidade nasal e da fossa hipofisária, da glândula hipófise e do quiasma óptico superiormente, e da nasofaringe e do canal pterigoide, inferiormente.

Vascularização, Inervação e Vasos Linfáticos

A drenagem linfática ocorre da mesma forma que a dos seios etmoidais posteriores. A artéria etmoidal posterior e os ramos nasais laterais posteriores fornecem o suprimento sanguíneo para os seios esfenoidais.

O nervo etmoidal posterior e o ramo orbitário do gânglio pterigopalatino inervam os seios esfenoidais.

Seios Etmoidais

Anatomia

Superiormente aos seios etmoidais encontra-se a fossa craniana anterior e o osso frontal. Lateralmente podemos observar as órbitas, enquanto a cavidade nasal está situada medialmente. Os seios etmoidais são únicos, uma vez que eles são os únicos seios paranasais que são mais complexos do que uma única cavidade.

De cada lado da linha média, um número entre três a dezoito células aéreas etmoidais podem se agrupar. Estas células aéreas são  seios menores individuais agrupados em conjunto para formar um seio maior que envolve os meatos nasais anterior, médio e posterior.

Vascularização, Inervação e Vasos Linfáticos

Os seios etmoidais anterior e médio enviam sua drenagem linfática para os linfonodos/gânglios linfáticos submandibulares, enquanto os seios etmoidais posteriores enviam a sua para os linfonodos/gânglios linfáticos retrofaríngeos.

As artérias etmoidais anterior e posterior, bem como os ramos nasais laterais posteriores fornecem amplo suprimento sanguíneo para essa região. Enquanto isso os nervos etmoidais anterior e posterior e os nervos nasais lateral posterior e laterais superior e inferior auxiliam na sua inervação.

Nota Clínica

Sinusite

A sinusite é um quadro extremamente comum, que se apresenta como uma inflamação do epitélio dos seios. As causas podem ser infecções virais ou bacterianas, ou uma reação alérgica. A inflamação pode ser aguda ou crônica, e os seios maxilares são os mais frequentemente afetados. Antivirais, antibióticos e anti-histamínicos são prescritos em casos persistentes.

Seios paranasais - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.053.623 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências:

  • Neil S. Norton, Ph.D. and Frank H. Netter, MD, Netter’s Head and Neck Anatomy for Dentistry, 2nd Edition, Elsevier Saunders, Chapter 12 The Paranasal Sinuses, Page 300 to 324.

Autor:

  • Dr. Alexandra Sieroslawska

Ilustrações:

  • Seio maxilar - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Seio frontal - vista medial - Yousun Koh
  • Seio esfenoidal - vista sagital - Yousun Koh
  • Células etmoidais - vista anterior - Samantha Zimmerman
  • Fossa ptérigopalatina - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Linfonodos submandibulares - vista anterior - Yousun Koh
  • Artéria alveolar superior posterior - vista lateral-esquerda - Paul Kim
  • Nervo alveolar anterior superior - vista lateral-esquerda - Paul Kim
  • Nervo alveolar médio superior - vista lateral-esquerda - Paul Kim
  • Nervo alveolar superior posterior - vista lateral-esquerda - Paul Kim
  • Fossa craniana anterior - vista superior - Yousun Koh
  • Infundíbulo etmoidal - vista posterior - Samantha Zimmerman
  • Artéria etmoidal anterior - vista medial - Begoña Rodriguez
  • Artéria supra-orbital - vista anterior - Yousun Koh
  • Artéria supratroclear - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo oftálmico - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Seio cavernoso - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Hipófise - vista medial - Paul Kim
  • Quiasma óptico - vista medial - Paul Kim
  • Artéria etmoidal posterior - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Nervo etmoidal posterior - vista lateral-esquerda - Yousun Koh
  • Gânglio pterigopalatino - vista medial - Begoña Rodriguez
  • Células etmoidais - vista axial - National Library of Medicine
  • Artéria etmoidal anterior - vista superior - Yousun Koh
  • Artéria etmoidal posterior - vista superior - Yousun Koh
  • Nervo etmoidal anterior - vista superior - Yousun Koh
  • Nervo etmoidal posterior - vista superior - Yousun Koh

Tradução para o português:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Mostre mais 9 artigos

Assista videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Crie sua conta gratuitamente.
Comece a aprender anatomia em menos de 60 segundos.