EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Rim

Os rins são órgãos retroperitoneais bilaterais, ou seja, encontram-se fora da cavidade peritoneal, e podem ser encontrados nos quadrantes abdominais superiores à direita e à esquerda. Eles possuem forma de grandes grãos de feijão, possuindo uma convexidade maior e uma concavidade menor. Sua principal função é a de eliminar do organismo o excesso de fluidos, sais e subprodutos do metabolismo proteico. 

Uma abordagem microscópica revela entre um e quatro milhões de néfrons no tecido renal, que são compostos de um corpúsculo renal, um túbulo contorcido proximal, as porções fina e espessa da alça de Henle, o túbulo contorcido distal e os ductos coletores.

Esse artigo irá discutir as estruturas anatômicas adjacentes aos rins, seus limites teóricos, a sua anatomia macroscópica, os apêndices renais adjacentes, seu suprimento sanguíneo, inervação e as patologias comuns.

Fatos Importantes sobre os Rins
Localização T12 a L3 (os rins direitos estão localizados um pouco mais abaixo)
Limites

Anteriormente: fígado, duodeno, cólon ascendente, estômago, baço, pâncreas, jejuno, cólon ascendente

Inferior e posteriormente: quadrado lombar

Superior e posteriormente: diafragma

Estrutura Hilo renal, pelve renal, seio renal, pólos superior e inferior, limites medial e lateral, córtex, medula, pirâmides, cálices maiores e menores, papila renal
Fáscia Gordura pararenal, gordura perirrenal, fáscia renal
Vascularização Artérias e veias renais
Inervação Plexo renal
Drenagem linfática Linfonodos aórticos lombares

Localização e Limites

O rim é um órgão abdominal posterior, podendo ser encontrado iniciando-se ao nível da décima segunda vértebra torácica e terminando ao nível da terceira vértebra lombar. O rim direito está localizado levemente inferior ao esquerdo, devido ao tamanho e à localização do lobo direito do fígado, em comparação ao lobo esquerdo, que é muito menor.

Anatomicamente, sua margem medial é côncava e conhecida como hilo. É ali que a artéria renal entra através de cinco diferentes segmentos, sendo também o local por onde a veia renal deixa o órgão, levemente anterior em relação à artéria. Também a pelve renal deixa o órgão nesse ponto, posterior aos dois vasos. A entrada que leva ao tecido renal interno é conhecida pelo termo seio renal.

Estrutura do Rim - vista anterior


Os órgãos adjacentes incluem: 

Rins in situ - vista anterior

Estrutura renal

Como o hilo renal já foi discutido anteriormente, as principais estruturas que entram e deixam o órgão já foram mencionadas, e os outros aspectos do rim serão discutidos agora.

Quer aprender mais sobre a anatomia renal? Confira os artigos abaixo.

Cada rim possui um polo superior e um inferior, que são bastante evidentes, já que a margem convexa externa deixa a margem interna côncava apontando medialmente. Assim é possível distinguir imediatamente a diferença entre o rim esquerdo e o rim direito.

Quer aprender a anatomia do sistema urinário rapidamente? Confira a nossa apostila de exercícios gratuita.

O córtex é a camada externa do rim, enquanto a medula é a área interna do tecido renal, sendo dividida em pirâmides medulares.

Tanto a camada interna quanto a externa contêm várias estruturas que constituem os néfrons.

Finalmente, o seio renal é a dilatação inicial do ureter, que é separado em três grandes cálices.

Os cálices se dividem novamente em cálices menores, cada qual envolvendo uma papila renal ou a ponta de uma pirâmide medular.

A fáscia renal e os tecidos adiposos adjacentes

Existem dois tipos de gordura que podem ser encontradas na periferia dos rins. Elas são conhecidas como gordura pararrenal e gordura perirrenal.

A gordura pararrenal é o tecido adiposo mais lateral que envolve a gordura perirrenal e a fáscia renal. Ela é vista mais frequentemente no aspecto posterior do rim, e atua como uma almofada para o órgão, mantendo-o ainda em sua posição.

A gordura perirrenal está ligada com a gordura que existe no seio renal, e é conectada à mesma no hilo. Ela envolve o rim e a glândula suprarrenal completamente, possuindo basicamente a mesma função da gordura pararrenal.

A fáscia renal é a divisão entre o tecido renal e a gordura perirrenal, e envolve ambos os rins e as glândulas suprarrenais, antes de continuar com a fáscia do diafragma. Da mesma forma que o tecido adiposo adjacente aos rins, ela mantém os órgãos em suas posições.

Suprimento sanguíneo 

As veias renais são posicionadas em frente às artérias renais, e a veia renal esquerda pode ser vista cruzando a aorta, logo posterior à artéria mesentérica superior.

O link abaixo possui mais detalhes sobre as artérias, veias e nervos do rim.

As artérias renais são ramos da aorta abdominal que emergem ao nível da primeira e segunda vértebras lombares. A artéria renal direita é vista cursando posterior à veia cava inferior, e a inserção das artérias renais nos rins ocorre anteriormente à pelve renal. Logo antes da artéria renal principal entrar no tecido renal, ela se divide em quatro artérias segmentares anteriores e uma posterior.

Inervação

O suprimento nervoso dos rins ocorre através do plexo renal, que contém fibras parassimpáticas do nervo vago e fibras simpáticas dos nervos esplâncnicos torácicos.

Drenagem linfática

A drenagem linfática da área renal segue as veias e drena para os linfonodos aórticos lombares.

Pronto para testar seus conhecimentos? Confira o teste abaixo.

Você sabia que no Kenhub você pode criar testes personalizados? Basta escolher os temas nos quais você quer se desafiar e em segundos criamos um novo quizz para você. Como exemplo, criamos um teste sobre a anatomia renal.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!