Conexão perdida. Por favor atualize a página.
Conectado
EN | DE | PT | ES Contato Como estudar Entrar Cadastrar
Pronto para aprender?
Selecione a sua ferramenta de estudo favorita

Músculos da coxa

Músculos da coxa
Músculos da coxa

Os músculos da coxa são divididos em três grupos de músculos que agem nas articulações do quadril e do joelho. Esses músculos são agrupados de acordo com sua posição anatômica, mas também de acordo com suas funções. Assim, os músculos da coxa podem ser divididos em:

  • Músculos anteriores da coxa, ou flexores do quadril. Esses músculos também estendem a articulação do joelho.
  • Músculos mediais da coxa, ou adutores do quadril.
  • Músculos posteriores da coxa, ou extensores do quadril. Esses músculos também flexionam a articulação do joelho.

Para facilitar o aprendizado, observe que os músculos de cada um desses grupos geralmente compartilham o mesmo padrão de inervação.

Esse artigo discutirá a anatomia e a função de cada músculo e de cada grupo muscular da coxa.

Informações importantes sobre os músculos da coxa
Compartimento anterior Músculos: iliopsoas, ilíaco, psoas maior, psoas menor, sartório, quadríceps femoral
Principais funções:
flexão do quadril, extensão do joelho
Inervação:
nervo femoral (L2-L4), ramos anteriores dos nervos espinais (L1-L3)
Compartimento medial Músculos: grácil, pectíneo, adutor longo, adutor magno, adutor mínimo, obturador externo
Principais funções:
adução do quadril
Inervação:
nervo obturatório (L2-L4), exceto pelo músculo pectíneo (nervo femoral (L2-L3)). O adutor magno recebe inervação adicional do nervo ciático (L4).
Compartimento posterior Músculos: bíceps femoral, semitendíneo, semimembranáceo
Principais funções:
flexão da perna, extensão da coxa, estabilização das articulações do joelho e do quadril
Inervação:
divisões tibial e fibular (peroneal) comum do nervo ciático
Conteúdo
  1. Músculos anteriores da coxa
    1. Iliopsoas
    2. Ilíaco
    3. Psoas maior
    4. Psoas menor
    5. Sartório
    6. Quadríceps femoral
  2. Músculos mediais da coxa
    1. Grácil
    2. Pectíneo
    3. Adutor longo
    4. Adutor curto
    5. Adutor magno
    6. Adutor mínimo
    7. Obturador externo
  3. Músculos posteriores da coxa
    1. Bíceps femoral
    2. Semimembranáceo
    3. Semitendíneo
  4. Referências
+ Mostrar todo

Músculos anteriores da coxa

O compartimento anterior da coxa contém os músculos que flexionam o quadril e estendem o joelho. Os músculos que fazem parte desse grupo são o iliopsoas, o sartório e o quadríceps femoral.

Iliopsoas

O iliopsoas é um grupo de músculos que recebe seu nome dos músculos que o compõem: ilíaco, psoas maior e psoas menor. Eles se localizam no compartimento do iliopsoas, na região posterior do abdome, junto com o plexo lombar. O músculo iliopsoas se origina na parede abdominal posterior e se insere no trocânter menor do fêmur.

Todos os músculos do iliopsoas cruzam a articulação do quadril e compartilham as mesmas funções:

  • Flexão do tronco e da coxa
  • Rotação externa da coxa

Adicionalmente, o psoas maior e o psoas menor flexionam o tronco lateralmente.

Ilíaco

O ilíaco é um músculo grande de formato triangular que se localiza sobre a superfície do osso ilíaco, lateralmente à parte inferior dos músculos psoas maior e psoas menor.

Suas fibras se misturam com as fibras do músculo psoas maior aproximadamente ao nível do ligamento inguinal e, juntos, eles se tornam o músculo iliopsoas - o principal flexor da coxa.

O ilíaco é inervado pelo nervo femoral (L2-L4), e age flexionando o tronco e o quadril e fazendo a rotação externa da coxa.

Informações importantes sobre o músculo ilíaco
Origem Fossa ilíaca
Inserção Trocânter menor do fêmur
Inervação Nervo femoral (L2-L4)
Função Articulação do quadril: flexão da coxa/tronco, rotação externa da coxa

Psoas maior

O psoas maior é um músculo longo, espesso e fusiforme, situado lateralmente às vértebras lombares e medialmente ao quadrado lombar. É coberto em sua extremidade superior pelo ligamento arqueado medial, conforme ele passa pelo diafragma.

O psoas maior se origina nas vértebras T12 a L4 e desce para se inserir no trocânter menor do fêmur, após sua fusão com o músculo ilíaco. Parte do plexo lombar está inserido no músculo, e os ramos anteriores dos nervos espinais L1-L3 o inervam. O psoas maior flexiona o tronco anteriormente e lateralmente, além de também flexionar e promover a rotação externa da coxa na articulação do quadril.

Informações importantes sobre o músculo psoas maior
Origem Corpos vertebrais de T12-L4, discos intervertebrais T12-L4, processos transversos das vértebras L1-L5
Inserção Trocânter menor do fêmur
Inervação Ramos anteriores dos nervos espinais L1-L3
Função Articulação do quadril: flexão da coxa e do tronco; rotação externa da coxa; flexão lateral do tronco

Psoas menor

O psoas menor é um músculo longo, fino e fusiforme, situado anteriormente ao psoas maior. Nem sempre está presente - somente cerca de 40% das pessoas têm o psoas menor. Assim como o psoas maior, é inervado pelos ramos anteriores dos nervos espinais L1 a L3 e também tem as mesmas funções daquele músculo.

Informações importantes sobre o músculo psoas menor
Origem Corpos vertebrais das vértebras T12 e L1
Inserção Eminência iliopúbica, linha pectínea do púbis
Inervação Ramos anteriores dos nervos espinais L1-L3
Função Articulação do quadril: flexão da coxa e do tronco, rotação externa da coxa, flexão lateral do tronco

Sartório

O músculo sartório é o músculo mais longo do corpo humano. Juntamente com o quadríceps femoral, pertence ao grupo de músculos anteriores da coxa.

Esse músculo tem um trajeto oblíquo pela coxa; se origina na espinha ilíaca anterosuperior, cruza para o lado medial da coxa e, finalmente, se insere na região medial da tíbia proximal. Devido ao seu trajeto oblíquo, o músculo sartório é capaz de promover a flexão, a abdução e a rotação externa da coxa, além da flexão e rotação interna da perna.

Informações importantes sobre o músculo sartório
Origem Espinha ilíaca ântero-superior
Inserção Extremidade proximal da tíbia, abaixo do côndilo medial (através da pata de ganso)
Inervação Nervo femoral (L2-L3)
Função Articulação do quadril: flexão, abdução e rotação externa da coxa
Articulação do joelho:
flexão e rotação interna da perna

Quadríceps femoral

O músculo quadríceps femoral é o músculo mais forte do corpo humano. Está localizado no compartimento anterior da coxa, juntamente com o músculo sartório.

O nome quadríceps deriva do latim e significa “músculo de quatro cabeças”. Não é de se espantar, portanto, que o músculo tenha esse nome, já que é constituído de quatro músculos individuais: o reto femoral, o vasto medial, o vasto lateral e o vasto intermédio. De todos os quatro músculos, somente o reto femoral cruza tanto a articulação do quadril quanto a do joelho. Os demais músculos cruzam somente a articulação do joelho. Os quatro músculos possuem origens diferentes, mas compartilham um tendão comum que se insere na patela. A função do músculo quadríceps femoral é estender a perna na articulação do joelho e flexionar a coxa na articulação do quadril.

Informações importantes sobre o músculo quadríceps femoral
Partes Reto femoral, vasto lateral, vasto medial, vasto intermédio
Origens Reto femoral: espinha ilíaca ântero-inferior, sulco supra-acetabular
Vasto medial:
linha intertrocantérica, linha pectínea do fêmur, linha áspera, linha supracondilar medial do fêmur
Vasto lateral:
linha intertrocantérica, trocânter maior, tuberosidade glútea, linha áspera do fêmur
Vasto intermédio:
superfície anterior da diáfise do fêmur
Inserções Reto femoral e vasto intermédio: tuberosidade da tíbia (através do ligamento patelar), patela
Vasto lateral:
tuberosidade da tíbia (através do ligamento patelar), patela, (côndilo lateral da tíbia)
Vasto medial:
tuberosidade da tíbia (através do ligamento patelar), patela, (côndilo medial da tíbia)
Inervação Nervo femoral (L2-L4)
Função Articulação do quadril: flexão da coxa (somente o reto femoral);
Articulação do joelho:
extensão da perna

Músculos mediais da coxa

Todos os seis músculos adutores do quadril estão localizados no compartimento medial ou adutor da coxa, e todos eles promovem, principalmente, a adução da coxa na articulação do quadril. Esses músculos são os músculos grácil, pectíneo, adutor longo, adutor curto, adutor magno e adutor mínimo. Considera-se que o músculo obturador externo também faça parte dos adutores do quadril, já que uma de suas funções é aduzir a coxa na articulação do quadril. Os adutores do quadril se originam no púbis e cruzam a articulação do quadril para se inserirem no fêmur. O músculo grácil também cruza a articulação do joelho e, ao contrário dos outros músculos, se insere na tíbia.

Como os adutores do quadril pertencem ao mesmo compartimento, eles compartilham sua vascularização e inervação. Todos eles são irrigados pela artéria obturatória, um ramo da artéria ilíaca interna, e todos são drenados pela veia obturatória, que por sua vez drena na veia ilíaca interna. A maior parte dos adutores do quadril é inervada pelo nervo obturatório (L2 a L4), exceto o músculo pectíneo, que é inervado pelo nervo femoral (L2 e L3). O adutor magno recebe inervação adicional do nervo ciático (L4).

Como você pode perceber, há muitos músculos na coxa. Aprenda ainda mais de sua anatomia com esta unidade de estudos:

Grácil

O grácil é o músculo mais superficial e mais medial do grupo. Trata-se de um feixe muscular longo que desce do ramo isquiopúbico da pelve até a superfície medial da diáfise da tíbia. Em sua inserção, seu tendão está localizado posteriormente ao tendão do músculo sartório e anteriormente ao tendão do músculo semitendíneo. A inserção desses três tendões em conjunto é chamada de "pata de ganso". Assim, os músculos que compõem a pata de ganso são:

  • Músculo sartório
  • Músculo grácil
  • Músculo semitendíneo

Como o grácil cruza tanto a articulação do quadril quanto a do joelho, ele age em ambas essas articulações. No quadril, o músculo grácil flexiona e aduz a coxa. No joelho, promove a flexão e a rotação interna da perna.

Informações importantes sobre o músculo grácil
Origem Corpo anterior do púbis, ramo púbico inferior, ramo do ísquio
Inserção Superfície medial da tíbia proximal (através da pata de ganso)
Inervação Nervo obturatório (L2-L3)
Função Articulação do quadril: flexão e adução da coxa
Articulação do joelho:
flexão e rotação interna da perna

Pectíneo

O músculo pectíneo é o mais superior dos adutores do quadril, possuindo um formato achatado e quadrangular. A partir da linha pectínea do púbis, ele se estende lateralmente sob o ligamento inguinal para se inserir na linha pectínea e na linha áspera do fêmur. Juntamente com o adutor longo, forma o assoalho do trígono femoral. Adicionalmente, sua margem medial forma a borda lateral do trígono femoral.

O pectíneo promove flexão, adução e rotação da coxa na articulação do quadril, assim como estabiliza a pelve. Ao contrário dos outros músculos do compartimento medial da coxa, é inervado pelo nervo femoral (L2 e L3), e não pelo nervo obturatório. No entanto, pode ser que o músculo seja inervado pelo nervo obturatório em algumas pessoas devido a variações anatômicas.

Informações importantes sobre o músculo pectíneo
Origem Ramo superior do púbis (linha pectínea do púbis)
Inserção Linha pectínea e linha áspera do fêmur
Inervação Nervo femoral (L2-L3); algumas vezes nervo obturatório (L2-L3)
Função Articulação do quadril: flexão, adução e rotação externa da coxa
Estabilização da pelve

Adutor longo

O adutor longo também é um músculo plano que se expande conforme desce em direção à articulação do joelho. É o mais anterior dos músculos adutores e cobre partes do adutor curto e do adutor magno, que são mais posteriores.

O adutor longo se origina no corpo anterior do púbis e se insere no lábio medial da linha áspera do fêmur. Juntamente com o músculo pectíneo, forma o assoalho do trígono femoral. Suas margens laterais formam a borda medial do trígono femoral. Ele também contribui para a formação da parede posterior do canal dos adutores, juntamente com o adutor magno. O adutor longo promove flexão, adução e rotação externa da coxa na articulação do quadril e estabiliza a pelve.

Informações importantes sobre o músculo adutor longo
Origem Corpo anterior do púbis
Inserção Linha áspera do fêmur (lábio medial)
Inervação Nervo obturatório (L2-L4)
Função Articulação do quadril: flexão, adução, rotação externa da coxa
Estabilização da pelve

Adutor curto

O adutor curto é um músculo triangular localizado posteriormente aos músculos pectíneo e adutor longo, e anteriormente ao adutor magno. Origina-se no púbis, superiormente ao grácil, e insere-se na linha áspera do fêmur, lateralmente aos músculos pectíneo e adutor longo.

Próximo à região superior do adutor curto encontra-se o canal obturatório, através do qual a artéria, a veia e o nervo obturatórios passam da pelve para a coxa. Após passar pelo canal obturatório, o nervo obturatório se divide em um ramo anterior e um posterior, que seguem anteriormente e posteriormente ao músculo adutor curto, respectivamente. O músculo adutor curto promove adução, flexão e rotação externa da coxa na articulação do quadril e estabiliza a pelve.

Informações importantes sobre o músculo adutor curto
Origem Corpo anterior do púbis, ramo púbico inferior
Inserção Linha áspera do fêmur (lábio medial)
Inervação Nervo obturatório (L2-L4)
Função Articulação do quadril: flexão, adução e rotação externa da coxa
Estabilização da pelve

Adutor magno

O adutor magno é o maior e mais posterior dos músculos do compartimento medial da coxa. Assim como o adutor longo e o adutor curto, é um músculo de formato triangular. A partir de sua origem na pelve, ele se expande para se inserir ao longo do fêmur. O músculo adutor magno é constituído de duas partes:

  • Parte adutora - origina-se no ramo isquiopúbico e insere-se desde a tuberosidade glútea, ao longo da linha áspera até a linha supracondilar medial. 
  • Parte isquiocondilar - é a parte medial, que se origina na tuberosidade isquiática e se insere no tubérculo adutor. Também é conhecida como “parte isquiotibial”.

Existe uma grande abertura entre os pontos de inserção do músculo, através da qual a artéria e a veia femorais passam, desde o canal dos adutores até a fossa poplítea, chamada de hiato dos adutores. O músculo também contribui para a formação da parede posterior do canal dos adutores, juntamente com o músculo adutor longo.

As duas partes do adutor magno são inervadas por diferentes nervos. A parte adutora é inervada pelo nervo obturatório (L2 a L4), assim como outros adutores do quadril, enquanto a parte isquiocondilar é inervada pelo nervo tibial, um ramo do nervo ciático (L4). Assim  como outros músculos adutores do quadril, o adutor magno promove flexão e adução da coxa na articulação do quadril e, além de estabilizar a pelve. Adicionalmente, a parte adutora promove rotação externa da coxa e a parte isquiocondilar realiza rotação interna e extensão da coxa na articulação do quadril.

Informações importantes sobre o músculo adutor magno
Origem Parte adutora: ramo púbico inferior, ramo do ísquio
Parte isquiocondilar:
tuberosidade isquiática
Inserção Parte adutora: tuberosidade glútea, linha áspera (lábio medial), linha supracondilar medial
Parte isquiocondilar:
tubérculo adutor do fêmur
Inervação Parte adutora: nervo obturatório (L2-L4)
Parte isquiocondilar:
divisão tibial do nervo ciático (L4)
Função Articulação do quadril: flexão, adução e rotação externa da coxa (parte adutora); extensão e rotação interna da coxa (parte isquiocondilar)
Estabilização da pelve

Adutor mínimo

O adutor mínimo é um pequeno músculo localizado entre o quadrado femoral e o adutor magno. Está presente em cerca de 50% dos adultos e pode estar incorporado na margem superior do adutor magno. Ele se origina no ramo púbico inferior e se insere na tuberosidade glútea para promover a adução e a rotação externa da coxa na articulação do quadril.

Fatos importantes sobre o músculo adutor mínimo
Origem Ramo púbico inferior
Inserção Tuberosidade glútea do fêmur
Inervação Nervo obturatório (L2-L4)
Função Articulação do quadril: adução e rotação externa da coxa

Obturador externo

O obturador externo é plano e triangular. Origina-se na membrana obturadora externa (anterior) e na margem óssea do forame obturado. Suas fibras musculares se expandem posterolateralmente abaixo do acetábulo e do colo do fêmur para se inserirem na fossa trocantérica.

O obturador externo realiza rotação externa e ajuda a aduzir a coxa na articulação do quadril. Também estabiliza a cabeça do fêmur. Como uma de suas ações é a adução da coxa, alguns autores o consideram como um músculo adutor do quadril.

Informações importantes sobre o músculo obturador externo
Origem Superfície anterior da membrana obturadora externa, limites ósseos do forame obturado
Inserção Fossa trocantérica do fêmur
Inervação Nervo obturatório (L3-L4)
Função Articulação do quadril: rotação externa, abdução da coxa (quadril flexionado), adução da coxa (função secundária)
Estabiliza a cabeça do fêmur no acetábulo

Músculos posteriores da coxa

Os músculos isquiotibiais estão intimamente relacionados entre si, já que compartilham um ponto de origem comum e todos se inserem nas partes proximais da tíbia e da fíbula. Eles são inervados pelas divisões tibial e fibular (peroneal) comum do nervo ciático (L4-S3).

Todos os músculos isquiotibiais cruzam as articulações do quadril e do joelho, atuando sobre elas. Sua principal função é flexionar a articulação do joelho e estender o quadril, possibilitando algumas atividades essenciais dos membros inferiores, tais como andar, correr e escalar. Os isquiotibiais também têm uma importante função de estabilização, ficando relaxados quando o peso do corpo está igualmente distribuído entre os membros inferiores na posição ortostática. No entanto, quando o indivíduo inclina o corpo para a frente, esses músculos são acionados, contraindo-se para contrabalancear o movimento de inclinação. Dessa forma, estabilizam a articulação do quadril e evitam a queda. Além disso, devido ao posicionamento de suas inserções, os isquiotibiais agem em conjunto com os ligamentos colaterais para estabilizar a articulação do joelho.

Bíceps femoral

O bíceps femoral é um músculo de dois ventres que segue superficialmente pela região posterior da coxa. Cada ventre do bíceps femoral tem sua própria origem e suprimento neurovascular, mas ambos compartilham a mesma inserção. A cabeça longa do bíceps femoral se origina da tuberosidade isquiática e no ligamento sacrotuberal. A cabeça curta se origina no lábio lateral da linha áspera e na linha supracondilar lateral do fêmur. As fibras musculares de ambos os ventres musculares convergem para formar uma bainha aponeurótica comum, que se insere na cabeça da fíbula.

A cabeça longa do bíceps femoral é inervada pela divisão tibial do nervo ciático, enquanto a cabeça curta é inervada pela divisão fibular comum.

A cabeça longa do bíceps femoral atua em duas articulações, do quadril e do joelho, enquanto a cabeça curta atua somente na articulação do joelho. Primeiramente, a cabeça longa contribui para a extensão do quadril, uma ação que é particularmente potente quando o tronco está flexionado e é trazido de volta para a posição ereta. Ambas as cabeças do bíceps femoral contribuem para a flexão da perna na articulação do joelho. Adicionalmente, o bíceps femoral pode atuar promovendo rotação externa da perna quando o joelho está semi-fletido e rotação interna da coxa quando o pé está fixo no chão.

Informações importantes sobre o músculo bíceps femoral
Origem Cabeça longa: (impressão inferomedial da) tuberosidade isquiática, ligamento sacrotuberal
Cabeça curta:
(lábio lateral) da linha áspera do fêmur , linha supracondilar lateral do fêmur
Inserção (Aspecto lateral da) cabeça da fíbula
Ação Articulação do quadril: extensão e rotação externa da coxa;
Articulação do joelho:
flexão e rotação externa da perna;
Estabilização da pelve
Inervação Cabeça longa: divisão tibial do nervo ciático (L5-S2)
Cabeça curta:
divisão fibular comum do nervo ciático (L5-S2)

Semimembranáceo

O semimembranáceo, também conhecido como semimembranoso, é um músculo fusiforme na região posterior da coxa. Ele segue profundamente ao músculo semitendíneo e medialmente ao bíceps femoral. O semimembranáceo se origina na tuberosidade isquiática da pelve e se insere no côndilo medial da tíbia.

O músculo é inervado pela divisão tibial do nervo ciático. Sua vascularização é realizada pelas artérias femoral e poplítea.

Assim como outros músculos desse grupo, o semimembranáceo atua tanto na articulação do joelho quanto no quadril. Sua ação depende da posição inicial dos membros inferiores. Quando o pé está fixo no chão, o semimembranáceo estende o quadril, trazendo o tronco para a posição ereta. Em contrapartida, quando o pé está elevado, o semimembranáceo realiza a flexão e a rotação interna da perna. Adicionalmente, quando o quadril está completamente estendido, o músculo faz a rotação interna do quadril.

Informações importantes sobre o músculo semimembranáceo
Origem Impressão superolateral da tuberosidade isquiática
Inserção Côndilo medial da tíbia
Ação Articulação do quadril: extensão e rotação interna da coxa
Articulação do joelho:
flexão e rotação interna da perna
Estabilização da pelve
Inervação Divisão tibial do nervo ciático (L5-S2)

Semitendíneo

O semitendíneo é um músculo longo e fusiforme que segue pela região posterior da coxa, medialmente ao bíceps femoral. Mais especificamente, ele se estende na tuberosidade isquiática, na pelve óssea, até a extremidade proximal da tíbia, abaixo do côndilo medial, onde se insere através da pata de ganso.

O semitendíneo recebe sua inervação da divisão tibial do nervo ciático. É vascularizado pelas artérias femoral profunda e circunflexa femoral medial. Assim como o semimembranáceo, a ação do semitendíneo nas articulações do quadril e do joelho depende principalmente da posição inicial do corpo. Quando o tronco está ereto, o semitendíneo atua como um rotador interno da coxa. Por outro lado, quando o tronco está flexionado anteriormente, ele estende a coxa.

Na articulação do joelho, o semitendíneo realiza, principalmente, a flexão da perna e a estabilização do joelho. Adicionalmente, quando o joelho está semi-fletido, ele contribui para a rotação interna da perna.

Informações importantes sobre o músculo semitendíneo
Origem (Impressão posteromedial da) tuberosidade isquiática
Inserção Extremidade proximal da tíbia, abaixo do côndilo medial (através da pata de ganso)
Ação Articulação do quadril: extensão e rotação interna da coxa, estabilização da pelve.
Articulação do joelho:
flexão lateral e rotação interna da perna
Inervação Divisão tibial do nervo ciático (L5-S2)

Fortaleça o seu conhecimento e tire as suas dúvidas com ajuda do nosso teste:

Músculos da coxa - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Com quais você prefere aprender?

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!