EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Plexo Braquial - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.170.011 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Plexo Braquial

O plexo braquial é uma conjugação de tecido nervoso que é constituída de fibras formadas pelos ramos ventrais das raízes dos quatro nervos cervicais inferiores e do primeiro nervo torácico (C5-C8 e T1). Seus ramos se irradiam como grandes nervos responsáveis pela inervação cutânea e motora de todo o membro superior.

Devido à complexidade desse plexo nervoso, ele foi dividido didaticamente em cinco seções anatômicas, que contém: cinco raízes, três troncos, seis divisões, três cordões e treze ramos, havendo ainda mais ou menos quatro outros ramos, quando os pequenos ramos que surgem diretamente das raízes são considerados.

Devido à sua tremenda importância funcional, todos os constituintes do plexo braquial serão descritos neste artigo.

Fatos Importantes sobre o plexo braquial
Hierarquia Raízes -> troncos -> divisões -> cordões -> ramos
Troncos Superior (C5, C6), médio (C7), inferior (C8, T1)
Divisões Primeiro anterior (tronco superior + tronco médio), segundo anterior (tronco inferior), posterior (troncos superior + médio + inferior)
Cordões Lateral (continuação da primeira divisão anterior), medial (continuação da segunda divisão anterior), posterior (continuação da divisão posterior)
Ramos Nervo musculocutâneo (sensorial: pele do antebraço anterolateral; motora: braquial, bíceps braquial, coracobraquial)
Nervo axilar (sensorial: pele da parte lateral do ombro e parte superior do braço; motora: deltóide e redondo menor
Nervo radial (sensorial: pele posterior do antebraço lateral e punho, braço posterior; motora: tríceps braquial, braquiorradial, ancôneo, extensores do braço posterior e antebraço)
Nervo mediano (sensorial: pele de 2/3 lateral da mão e das pontas dos dedos; motora: flexores do antebraço, eminência tenar, lumbricais 1-2)
Nervo ulnar (sensorial: pele da palma e lado medial da mão, dígitos 3 a 5; motora: eminência hipotenar, certos flexores do antebraço, adutor do polegar, lumbricais 3-4, músculos interósseos)

Secções

Neste artigo serão mencionadas quatro das cinco seções, em ordem de surgimento, do ponto mais proximal ao ponto mais distal. A última seção, que trata dos ramos do nervo, será discutida separadamente abaixo, juntamente com suas regiões de inervação.

Videoaula recomendada: O que é um plexo nervoso?
Definição de plexo nervoso e sua anatomia.

Raízes

As raízes são a primeira seção do plexo, que emerge dos ramos ventrais dos quatro últimos nervos espinhais cervicais e do primeiro nervo espinhal torácico.

Troncos 

Os troncos formam a segunda seção. O tronco superior é formado pelos ramos ventrais do quinto e sexto nervos espinhais cervicais. O tronco médio vem do sétimo nervo espinhal cervical, e o tronco inferior emerge dos ramos ventrais do oitavo nervo espinhal cervical e do primeiro nervo espinhal torácico.
 

Divisões

As divisões são as bifurcações dos troncos, e são a terceira seção do plexo braquial. Há duas divisões anteriores e uma divisão posterior. A primeira divisão anterior é a dos troncos superior e médio, que forma o cordão lateral. A segunda divisão anterior é a do tronco inferior, que continua como cordão medial. A divisão posterior surge de todos os três troncos, e forma o cordão posterior.

Cordões

Conforme emergem dos troncos, os cordões seguem na quarta seção. Os cordões lateral, medial e posterior agora se dividem em seus ramos nervosos subsequentes, e continuam distal e inferiormente ao longo do membro superior, para inervar as várias estruturas anatômicas listadas abaixo.

Nervos do Plexo Braquial

Cada nervo irá agora ser discutido, fazendo-se referência às raízes espinhais das quais eles carregam suas fibras, as estruturas que inervam e se eles se tornam nervos cutâneos. Os nervos serão agrupados de acordo com a secção da qual eles emergem.

Videoaula recomendada: Plexo braquial
Estrutura do plexo braquial incluindo as suas raízes, toncos, cordões e ramificações.

Ramos das Raízes

Três nervos emergem das raízes, o primeiro dos quais é o nervo escapular dorsal, que carrega fibras do quarto e quinto nervos espinhais cervicais, e inerva os músculos romboides e o músculo levantador da escápula.

O quinto ao sétimo nervos espinhais cervicais criam o nervo torácico longo, que inerva o serrátil anterior.

O nervo final das raízes é o ramo para o nervo frênico, que emerge do quinto nervo espinhal cervical.

Ramos do Tronco Superior

Dois nervos surgem do tronco superior, e são o nervo para o músculo subclávio e o nervo supraescapular, que inerva os músculos supraespinhal e  infraespinhal. Ambos emergem do quinto e sexto nervos espinhais cervicais. O cordão lateral produz três nervos, todos emergindo do quinto ao sétimo nervos espinhais cervicais.

Ramos do Cordão Lateral

O cordão lateral produz três nervos que se originam do quinto ao sétimo nervos espinhais cervicais.

O nervo peitoral lateral inerva os músculos peitoral maior e peitoral menor, ao se comunicar com o nervo peitoral medial.

O nervo musculocutâneo inerva o músculo coracobraquial, o músculo braquial e o músculo bíceps braquial, antes de continuar e se tornar o nervo cutâneo lateral do antebraço.

A raiz lateral do nervo mediano fornece fibras para o nervo mediano.

Ramos do Cordão Posterior

O cordão posterior possui cinco ramos nervosos:

  • nervo subescapular superior
  • nervo toracodorsal
  • nervo subescapular inferior
  • nervo axilar
  • nervo radial

Começando com o nervo subescapular superior, que emerge da quinta e sexta vértebras cervicais e inerva a parte superior do músculo subescapular. Os últimos três nervos espinhais cervicais formam o nervo toracodorsal, também conhecido como nervo subescapular médio, que inerva o latíssimo do dorso. O nervo subescapular inferior possui as mesmas origens que o nervo subescapular superior, e inerva a parte inferior do músculo subescapular e o músculo redondo maior.

O nervo axilar se origina da quinta e sexta raízes, e é composto de dois ramos:  

  • o ramo anterior inerva o músculo deltoide e a pele que o recobre
  • o ramo posterior inerva o músculo redondo menor e o músculo deltoide, antes de continuar como nervo cutâneo lateral superior do braço.

Finalmente, o nervo radial emerge de todas as raízes espinhais, e inerva os músculos:

Ele então segue para se tornar o nervo cutâneo posterior do braço, que, como o nome sugere, inerva a pele da região posterior do braço.
 

Ramos do Cordão Medial

O cordão medial é o último lugar de onde ramos nervosos emergem, e as raízes espinhais que contribuem para esses ramos são a oitava raiz cervical e a primeira raiz torácica, com exceção da raiz medial do nervo mediano, que emerge da sexta e da oitava raízes cervicais, e contribui com fibras para o nervo mediano antes de inervar partes da mão que não são cobertas pelos nervos radial ou ulnar.

O nervo peitoral medial inerva os músculos peitoral maior e menor.

O nervo cutâneo medial do braço e o nervo cutâneo medial do antebraço inervam a porção frontal e medial da pele do braço e a parte medial da pele do antebraço, respectivamente. Eles são os únicos dois nervos do plexo braquial que servem inteiramente como nervos cutâneos.

Finalmente, o nervo ulnar, que inerva:

  • músculo flexor ulnar do carpo
  • dois ventres mediais do flexor profundo dos dedos
  • musculatura intrínseca da mão, exceto os músculos tenares e os dois músculos lumbricais mais laterais. Ele também inerva o lado medial da mão, o primeiro dedo e metade do segundo dedo em suas faces palmares, e o primeiro, segundo e metade do terceiro dedo em suas faces dorsais.

Nota Clínica

Uma lesão ao plexo braquial pode causar perda da sensibilidade cutânea e da movimentação do membro superior. As regiões afetadas dependem de quais fibras nervosas foram danificadas, se a lesão foi devido a trauma ou algum tipo de infecção, e qual a altura do plexo em que ela ocorreu. Tempo e repouso são o único tratamento disponível, com um regime estrito de fisioterapia para fortalecer e recuperar a amplitude de movimento uma vez que os sintomas tenham desaparecido completamente.

Plexo Braquial - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.170.011 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Referências:

  • Kyung Won Chung and Harold M. Chung: Board Review Series Gross Anatomy, 6th Edition, Wolters Kluwer - Lippincott, Williams and Wilkins, Chapter 2 Upper Limb, Cutaneous Nerves, Superficial Veins and Lymphatics, I. Cutaneous Nerves, Page 27 to 28.
  • Frank H. Netter, MD: Atlas of Human Anatomy, Fifth Edition, Saunders - Elsevier, Chapter 6 Upper Limb, Subchapter 48. Neurovasculature, Guide Upper Limb: Neurovasculature, The brachial Plexus, Page 240.
  • Stephen Kishner, MD, MHA: Brachial Plexus Anatomy. Mach 8, 2013. Medscape.
  • Daniel S. Romm, MD.: Learn the brachial plexus in 5 minutes or less. American Medical Association.

Autor:

  • Dr. Alexandra Sieroslawska

Ilustrações:

  • Plexo braquial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Plexo braquial - vista anterior - Yousun Koh
  • Tronco superior do plexo braquial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Tronco médio do plexo braquial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Tronco inferior do plexo braquial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Cordão lateral - vista anterior - Yousun Koh
  • Cordão medial - vista anterior - Yousun Koh
  • Cordão posterior - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo escapular dorsal - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Nervo torácico longo - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo frênico direito - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo subclávio - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Nervo supraescapular - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo peitoral lateral - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo musculocutâneo - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo mediano - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo subescapular superior - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Nervo tóracodorsal - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo subescapular inferior - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Nervo axilar - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo radial - vista posterior - Yousun Koh
  • Nervo peitoral medial - vista anterior - Yousun Koh
  • Nervo cutâneo braquial medial - vista anterior - Begoña Rodriguez
  • Nervo ulnar - vista anterior - Yousun Koh

Tradução para português:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Catarina Chaves
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Assista videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!