EN | DE | PT Contato Como estudar Entrar Cadastrar

Anatomia da perna e do joelho - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.089.559 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Anatomia da perna e do joelho

Perna - vista anterior

Quantas vezes a linguagem leiga e a linguagem da anatomia são semelhantes? Quase nunca. Por exemplo, observe o termo 'perna'. Quando os seus amigos não envolvidos em ciências da saúde falam sobre a 'perna', eles estão se referindo a todo o membro inferior. Entretanto, no mundo da anatomia, o termo 'perna' significa estritamente a porção entre o joelho e o tornozelo. Ela é composta por várias estruturas:
  • Tíbia
  • Fíbula
  • Músculos da perna

Nesta página nós vamos estudar todas as estruturas mencionadas acima, bem como a anatomia do joelho.

Tíbia e fíbula

A tíbia e a fíbula são dois ossos longos que cursam paralelos um ao outro, formando a sustentação da perna e fornecendo pontos de inserção para muitos músculos. A tíbia, popularmente conhecida como 'osso da canela', é o maior e mais medial dos dois. Você pode palpar a borda anterior quando cursa seu dedo inferiormente no aspeto anterior de sua perna. Você com certeza também é capaz de sentí-la quando bate em alguma superfície por acidente. A tíbia é o osso suportador de peso da perna, e está diretamente envolvida na formação das articulações do joelho e do tornozelo. Assim, ela facilita os movimentos.

Para aprender mais sobre estes dois ossos e sobre a articulação do tornozelo visite os recursos disponíveis em baixo.

A fíbula é menor, mais fina, e posicionada lateralmente, se comparada à tíbia. Como resultado, ela não possui nenhum papel importante na sustentação do peso. Entretanto, a função da fíbula é mais sutil - ela possui um papel secundário na articulação do tornozelo, facilitando seu movimento, e fornecendo o ponto de inserção proximal para vários músculos. A fíbula também se articula com a tíbia em dois locais: discretamente distal ao joelho (articulação tibiofibular superior) e logo superior ao tornozelo (articulação tibiofibular inferior). Estas articulações são cercadas e reforçadas por fortes ligamentos, que também evitam movimentos excessivos e potencialmente danosos. Aqui está um diagrama com a tíbia e a fíbula, destacando os seus principais relevos ósseos.

Estruturas nomeadas - perna - vista anterior

Eles parecem um pouco complicados e desafiadores à primeira vista, não parecem? Na verdade, se você aprendê-los sistematicamente, eles são mais fáceis do que você imagina. Assista ao vídeo e complete o teste para dominar a anatomia da tíbia e da fíbula.

Articulação do joelho

Ossos e tecidos moles

As principais partes da articulação do joelho são o fêmur, a tíbia, a patela e os ligamentos de suporte. Os côndilos do fêmur e da tíbia ficam próximos para formar a estrutura principal da articulação. A patela é um osso sesamóide que encontra-se no interior do tendão do quadríceps femoral. Ela possui uma função protetora para o joelho, e facilita o movimento ao agir como uma roldana para o músculo quadríceps femoral.

A articulação do joelho é uma estrutura bastante complexa. Na verdade ela consiste de duas articulações separadas, abrigadas em uma única cápsula articular:

  • Articulação tibiofemoral (articulações medial e lateral) -> entre os côndilos femorais e tibiais correspondentes
  • Articulação patelofemoral -> situada entre a patela e o fêmur

Aprenda mais sobre a articulação dos joelho com os recursos seguintes.

Já que a articulação do joelho deve demonstrar um equilíbrio perfeito entre força para sustentação de peso e flexibilidade para movimentos, ela é reforçada por várias estruturas de tecidos moles. A articulação é cercada por vários coxins adiposos e bursas, que são sacos cheios de líquido sinovial que reduzem o atrito causado pelos tendões e músculos conforme eles se movem sobre áreas ósseas. A articulação contém dois amortecedores (meniscos), cuja função é melhorar a congruência da articulação do joelho.

Estruturas nomeadas - joelho - vista parassagital

Além disso, a articulação do joelho é reforçada por vários ligamentos, como o ligamento patelar, os ligamentos colaterais tibial e fibular (medial e lateral), e o ligamento poplíteo oblíquo. Dentro da articulação há ligamentos adicionais para o reforço articular, como o ligamento transverso, junto com os ligamentos cruzados anterior e posterior. Estes ligamentos intracapsulares do joelho impedem a luxação da articulação, mas podem frequentemente ser lesionados em atletas profissionais.

Articulação do joelho - Ossos e tecidos moles
Articulações Tibiofemoral -> côndilos lateral e medial do fêmur + platôs tibiais da tíbia
Patelofemoral -> superfície patelar do fêmur + superfície posterior da patela
Meniscos Medial e lateral
Ligamentos Ligamentos frontais - estabilizam a patela: ligamento patelar (extensão do músculo quadríceps femoral), retináculo (dos vastos medial e lateral)
Ligamentos medial/lateral - impedem  o movimento lateral excessivo: ligamento colateral medial (tibial), ligamento colateral lateral (fibular)
Dorsal - eles impedem extensão excessiva do joelho: ligamento poplíteo oblíquo, ligamento poplíteo arqueado
Cruzados - eles impedem o deslizamento do fêmur sobre a tíbia: ligamento cruzado anterior (LCA), ligamento cruzado posterior (LCP)
Cápsula articular Cápsula fibrosa com a membrana sinovial interna; músculo poplíteo penetra o lado lateral da cápsula
Bursas Suprapatelar, pré-patelar e infrapatelar

Aqui está um diagrama com os nomes das estruturas do joelho, para entender como tudo se encaixa.

Estruturas nomeadas - joelho - vista anterior

Se você quiser aprender mais sobre a anatomia da articulação do joelho, incluindo sua complexa gama de movimentos (flexão, extensão, rotação e o mecanismo de travamento terminal do joelho), simplesmente dê uma olhada nos seguintes recursos!

Músculos

A articulação do joelho propriamente dita é movida por vários músculos, a maioria dos quais é parte do compartimento anterior da coxa. Estes incluem o sartório e os quatro músculos do quadríceps femoral (reto femoral, vastos medial, intermédio e lateral), todos estendendo a perna na articulação do joelho. Eles recebem inervação através do nervo femoral.

Músculos do compartimento anterior da coxa
Sartório

Origem: Espinha ilíaca anterossuperior (EIAS)

Inserção: Superfície medial da tíbia proximal (através da pata de ganso)

Função - articulação do quadril: Flexão da coxa, abdução da coxa, rotação externa da coxa

Função - articulação do joelho: Flexão da perna, rotação interna da perna

Quadriceps femoral

Reto femoral

Origem: Espinha ilíaca anteroinferior, margem superior do acetábulo 

Função - articulação do quadril: Flexão da coxa

Função - articulação do joelho: Extensão da perna


Vasto medial

Origem: Linha intertrocantérica do fêmur 

Função - articulação do joelho: Extensão da perna


Vasto intermédio

Origem: Linha intertrocantérica do fêmur 

Função - articulação do joelho: Extensão da perna


Vasto lateral
Origem: Superfície anterior da diáfise femoral

Função - articulação do joelho: Extensão da perna

Inserção

Tuberosidade tibial (através do ligamento patelar)

Inervação Nervo femoral (L2-L4)

Os músculos antagonistas das articulações do joelho são chamados de músculos do jarrete (músculos isquiotibiais). Eles também são parte da coxa, mas estão localizados no compartimento posterior. Estes músculos incluem o bíceps femoral, o semitendinoso e o semimembranoso, todos atuando na flexão da perna na articulação do joelho. Eles recebem sua inervação do nervo isquiático.

Músculos posteriores da coxa
Semimembranoso e Semitendinoso

Origem: Impressão medial da tuberosidade isquiática

Inserção: Côndilo medial da tíbia (semimembranoso); extremidade proximal da tíbia abaixo do côndilo medial da tíbia, através da Pata de Ganso (semitendinoso)

Inervação: Ramo tibial do nervo ciático (L5-S2)

Função - articulação do quadril: Extensão da coxa, rotação interna da coxa. 
Função - articulação do joelho: Flexão da perna, rotação interna da perna, estabilização da pelve

Bíceps femoral

Origem - Cabeça longa: Impressão medial da tuberosidade isquiática
Origem - Cabeça curta: Linha áspera do fêmur (lábio lateral), linha supracondilar lateral do fêmur
Inserção: Cabeça da fíbula

Inervação - Cabeça longa: Ramo tibial do nervo ciático (L5-S2)
Inervação - Cabeça curta: Ramo fibular comum do nervo ciático (L5-S2)

Função - articulação coxofemoral: Extensão da coxa, rotação externa da coxa.
Função - articulação do joelho: Flexão da perna, rotação externa da perna

Outro músculo específico, chamado de grácil, auxilia na flexão da articulação do joelho, mas também em sua rotação interna. Este músculo é parte do compartimento medial da coxa, e recebe inervação do nervo obturador.

Músculo grácil
Origem Ramo púbico inferior
Inserção Superfície medial da tíbia proximal (através da pata de ganso)
Função

Articulação do quadril: Flexão da coxa, adução da coxa

Articulação do joelho: Flexão da perna, rotação interna da perna

Se você quer aprender mais sobre os músculos do joelho, dê uma olhada no conteúdo abaixo.

Músculos da perna

Agora que nós cobrimos a articulação proximal da perna, vamos continuar e estudar os músculos que movem a articulação mais distal (o tornozelo, ou articulação talocrural). A perna é dividida em três compartimentos anatômicos principais, cada um contendo um grupo específico de músculos:

  • grupo anterior
  • grupo lateral
  • grupo posterior

Aqui está um diagrama dos músculos da perna, para uma visão geral.

Estruturas nomeadas - membro inferior - vista posterior e anterior

Como o nome sugere, os músculos anteriores da perna se localizam no aspeto anterior da perna. Existem quatro músculos neste compartimento: tibial anterior, extensor longo do hálux, extensor longo dos dedos e fibular terceiro. Eles recebem inervação através do nervo fibular profundo. Suas principais funções são a dorsiflexão, inversão e eversão do pé e da articulação do tornozelo. Alguns também são responsáveis pela extensão do hálux.

Músculos anteriores da perna
Tibial anterior

Origem: Face lateral da tíbia, membrana interóssea

Inserção: Osso cuneiforme medial, base do primeiro metatarso

Inervação: Nervo fibular profundo (L4, L5)

Função - articulação talocrural: Dorsiflexão do pé
Função - articulação subtalar: Inversão do pé

Extensor longo do hálux

Origem: Face medial da fíbula, membrana interóssea

Inserção: Base da falange distal do hálux

Inervação: Nervo fibular profundo (L5, S1)

Função - articulações metatarsofalângica e interfalângica do hálux: Extensão do hálux
Função - articulação talocrural: Dorsiflexão do pé

Extensor longo dos dedos

Origem: Metade proximal da face medial da fíbula, côndilo tibial lateral

Inserção: Falanges médias e distais dos dedos 2-5

Inervação: Nervo fibular profundo (L5, S1)

Função - articulações metatarsofalângicas e interfalângicas 2-5: Extensão dos dedos
Função  - articulação talocrural: Dorsiflexão do pé
Função - articulação subtalar: Inversão do pé

Fibular terceiro     

Origem: Face anteromedial distal da fíbula

Inserção: Face posteromedial da base do quinto metatarso

Inervação: Nervo fibular profundo (L5, S1)

Função - articulação talocrural: Dorsiflexão do pé
Função - articulação subtalar: Eversão do pé

O compartimento lateral da perna é o menor deles, contendo somente dois músculos: fibulares longo e curto. Devido à sua trajetória algo complexa conforme envolve o pé, suas ações podem não ser tão óbvias. Estes músculos promovem a flexão plantar e a eversão do pé ao movimentar a articulação do tornozelo. Eles recebem sua inervação através do nervo fibular superficial.

Músculos laterais da perna
Fibular longo

Origem: Cabeça da fíbula, dois terços superiores da face lateral da fíbula, septo intermuscular

Inserção: Cuneiforme medial e primeiro metatarso

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação subtalar: Eversão do pé
Função: Suporte ao arco transerso do pé

Fibular curto

Origem: Terço inferior da face lateral da fíbula

Inserção: Base do quinto metatarso

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação subtalar: Eversão do pé

Inervação Nervo fibular superficial (L5, S1)

E por último, vamos continuar para o compartimento posterior da perna, que é o maior deles. São sete músculos no total, separados em duas camadas. Os músculos superficiais são o gastrocnêmio, o sóleo e o plantar (que juntos formam o tríceps sural). A camada profunda consiste de muitos mais, sendo eles o poplíteo, o tibial posterior, o flexor longo dos dedos e o flexor longo do hálux. Como o nome sugere, todos estes músculos cursam no aspeto posterior da perna, promovendo flexão plantar da articulação do tornozelo. Alguns deles ajudam também na inversão do pé e na flexão dos dedos ao nível das articulações metatarsofalângicas. Eles recebem inervação através do nervo tibial.

Os músculos gastrocnêmio e plantar merecem uma menção especial. Devido às suas origens no fêmur, eles também são importantes na flexão da perna ao nível da articulação do joelho.

Músculos posteriores da perna
Gastrocnêmio

Origem: Face póstero-lateral do côndilo femoral lateral (cabeça lateral); côndilo femoral medial, face poplítea da diáfise femoral (cabeça medial)

Inserção: Face posterior do calcâneo (através do tendão calcâneo)

Inervação: Nervo tibial (S1, S2)

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação do joelho: Flexão do joelho

Sóleo

Origem: Linha soleal, cabeça da fíbula, borda posterior da fíbula

Inserção: Face posterior do calcâneo (através do tendão calcâneo)

Inervação: Nervo tibial (S1, S2)

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé

Plantar

Origem: Linha supracondilar lateral do fêmur, ligamento poplíteo oblíquo do joelho

Inserção: Face posterior do calcâneo (através do tendão calcâneo)

Inervação: Nervo tibial (S1, S2)

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação do joelho: Flexão do joelho

Poplíteo

Origem: Côndilo femoral lateral, corno posterior do menisco lateral do joelho

Inserção: Face posterior da tíbia proximal

Inervação: Nervo tibial (L5-S2)

Função: Desbloqueia a articulação do joelho; estabilização da articulação do joelho

Tibial posterior

Origem: Face posterior da tíbia, face posterior da fíbula, membrana interóssea

Inserção: Tuberosidade do osso navicular, todos os ossos cuneiformes, bases dos metacarpos 2-4
(osso cuboide)

Inervação: Nervo tibial (L4, L5)

Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação do subtalar: Inversão do pé

Flexor longo dos dedos

Origem: Face posterior da tíbia

Inserção: Base das falanges distais dos dedos 2-5

Inervação: Nervo tibial (S1, S2)

Função - articulações metatarsofalângicas e interfalângicas 2-5: Flexão do hálux
Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação subtalar: Inversão do pé

Flexor longo do hálux

Origem: Face posterior da fíbula, membrana interóssea

Inserção: Base da falange distal do hálux

Inervação: Nervo tibial (S2, S3)

Função - articulações metatarsofalângica e interfalângica do hálux: Flexão do hálux
Função - articulação talocrural: Flexão plantar do pé
Função - articulação subtalar: Inversão do pé

Para reter as informações sobre estes músculos, é importante que você revise eles consistentemente. Você pode começar dando uma olhada nas seguintes videoaulas, e em seguida testar seus conhecimentos completando o teste.

Por fim, responda ao teste global em baixo, criado para testar os seus conhecimentos sobre a anatomia da perna e do joelho. Este teste centra-se especificamente nos ossos, músculos (incluindo as suas origens, inserções, inervação e função), artérias, veias e nervos da perna e do joelho, de forma a consolidar os temas abordados anteriormente nesta página sobre a anatomia desta região.

Videoaulas relacionadas:

Testes relacionados:

Anatomia da perna e do joelho - quer aprender mais sobre isso?

As nossas videoaulas divertidas, testes interativos, artigos em detalhe e atlas de alta qualidade estão disponíveis para melhorar rapidamente os seus resultados.

Cadastre-se para ter uma conta gratuita no Kenhub hoje e se junte a mais de 1.089.559 alunos de anatomia de sucesso.

“Eu diria honestamente que o Kenhub diminuiu o meu tempo de estudo para metade.” – Leia mais. Kim Bengochea Kim Bengochea, Universidade de Regis, Denver

Mostrar referências

Artigo e revisão:

  • Adrian Rad
  • Nicola McLaren

Tradução para português:

  • Rafael Lourenço do Carmo
  • Beatriz la Féria
     
© Exceto expresso o contrário, todo o conteúdo, incluindo ilustrações, são propriedade exclusiva da Kenhub GmbH, e são protegidas por leis alemãs e internacionais de direitos autorais. Todos os direitos reservados.

Desenhos e imagens relacionados

Continue a sua aprendizagem

Leia mais artigos

Mostre mais 6 artigos

Assista videoaulas

Faça teste

Navegue pelo atlas

Muito bem!

Cadastre-se agora e obtenha sua cópia do guia definitivo de estudos de anatomia!

Crie sua conta gratuitamente.
Comece a aprender anatomia em menos de 60 segundos.